Porta da rua aos insatisfeitos (por Paulo Rocha)

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVROS “RODA VIVA” 1 E 2

Nesta última coluna de 2017, eu não vou fazer balanço da temporada do Fluminense. Pouquíssima coisa boa aconteceu para nós – com boa vontade, apenas algumas vitórias esporádicas, a conquista da Taça Guanabara e a artilharia de Henrique Dourado. Mas acredito que o próximo ano deve ser melhor; para tal, só deve permanecer no clube que possui desejo de ir até a morte pelas nossas três cores.

Como não dispomos de grana teremos que reforçar o plantel na base de trocas, e creio que nossa melhor moeda neste sentido é Gustavo Scarpa. É nítido que ele não deseja permanecer no Flu e é um jogador que interessa a grandes equipes, em especial a Cruzeiro e Palmeiras. Pois bem, que seja usado numa troca, mas de maneira inteligente.

Estive dando uma olhada no elenco do Palmeiras e imaginei: que tal Scarpa por Hyoran, Róger Guedes e mais uma compensação financeira? No Cruzeiro também há bons valores que poderiam cair bem no Fluminense, como Elber, Alisson…

O mais importante, contudo, é que cheguem jogadores com tesão para vestir nossa camisa. Não babaquinhas, mariquinhas, mas guerreiros. Conforme nossa tradição. Jogadores que lutem até o fim e que tenham força mesmo quando a imprensa diga que há 99% de chance de a gente se foder.

Pois que troquem logo quem não quiser ficar. Porta de rua aos insatisfeitos. O zagueiro Henrique também poderia ser usado numa transação. Desperta cobiça igualmente e possui bom valor de mercado. Agora, Henrique Dourado não. Esse tem que ficar.

Encerro esta coluna desejando boas festas a todos e na esperança de que em 2018 o Fluminense mostre a força e a união, dentro e fora de campo, necessárias para as conquistas. Que Abel fique no clube, se torne o segundo treinador a ter mais vezes dirigido o time tricolor e conquiste mais um título para a nossa galeria. Sejamos otimistas e não derrotistas.

Saudações Tricolores e que Deus abençoe as nossas famílias.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#JuntosPeloFlu

Imagem: paro

7 Comments

  1. Tá entrando nessa onda da mídia, doida para pegar nosso melhor jogador e colocar em algum outro queridinho ????

  2. Boa noite, Paulo. Tô contigo. Ficam aqueles que se sentem bem e tricolores. Lembro dos “troca-troca” do Horta, com exceção do último. É só usar a criatividade em nosso favor. Abelão e Dourado. Incontestáveis. Vamos crescer com as adversidades deste ano. Agora, salários em dia. Senão desanda. Prá mim este foi o maior dos erros. Não é questão de corpo mole. Ninguém é patriota sem grana. É questão ética. Abraços tricolores.

    1. Abel incontestável? O Flu tomou gol de bola parada o ano todo e ele não conseguiu acertar isso. Não temos laterais e ele insistiu numa linha de quatro com Leo Pelé e Lucas ao inves de mudar o esquema pro 3 6 1. Inventou Romarinho na Sulamericana e perdemos a vaga pro maior rival.
      Até quando teremos que aturar esse treinador incompetente. Não vale falar que foi Campeão Brasilleiro em 2012 com Deco,Fred, Tiago Neves, Wellinton Nem esqueçendo que nosso melhor jogador foi o Cavaliere.
      Fora Abel…

    2. Vários outros clubes estão com salários atrasados e não vemos corpo mole.
      Vasco é 1.
      Botafogo é outro.
      O próprio Grêmiio.
      Atl Mineiro.
      Corintians.

      Enfim pelo que se vê aqui de fora, falta é comando.

      Vcs leram a entrevista do Torres após a demissão, que veio após entrevista na band, onde discordou do projeto Disney???

      ST

  3. Quem se lembra do que passamos após a demissão do Abel, em 2013, depois do jogo contra o Grêmio. O time campeão de 2012 simplesmente se “achou”. Tal qual o São Paulo. Preferiram demitir o Muricy ao invés de fazerem uma limpa no elenco. Olhem o São Paulo hoje. Nunca mais. O grande São Paulo … Vamos puxar pela memória. Vamos lá. Elenquem o time de técnicos que tivemos após isso. Memória curta…Não fosse o Abel, não se iludam, estaríamos na ZR desde as primeiras rodadas e de lá não sairíamos.

  4. Quantos desfalques tivemos este ano? vamos lá. Puxem pela memória. Essa é fácil. É deste ano. Sem elenco, sem salário. Quem trabalha sem salário? alguém se habilita? Não é questão de “corpo-mole” não. É questão ética. E, quem vocês acham que, no Fluminense de hoje, está administrando isso e não deixando a moral se esvair pelos ralos do futebol?

  5. Quero me identificar com os nossos garotos cada vez mais, com alguns cascudos que se identifiquerm conosco e que sejam referencia. Como Dourado, por exemplo. Acredito que crescemos com as adversidades e elas nos foram fartas este ano. Temos tudo para um 2018 bem melhor. Temos que ter paciência e acreditar. Abraços tricolores.

Comments are closed.