Guerreiros tricolores a caminho da batalha (por Paulo Rocha)

INFORMÁTICA PARA PEQUENOS E MÉDIOS AMBIENTES

Estão definidos os finalistas do Campeonato Carioca de 2017. O destino conspirou para que um Fla-Flu voltasse, após 22 anos, a decidir a competição. Mas antes de falar sobre a final é preciso lembrar como o Fluminense obteve sua classificação. Não podemos esquecer o show proporcionado pela equipe no último sábado diante do Vasco.

A exemplo do que ocorrera no primeiro turno, vencemos por 3 a 0. E poderia ter sido de mais tal nossa superioridade. Confesso que eu estava com saudade: no meu tempo de garoto, era comum darmos esses sacodes no Vasco. E as duas porradas em confrontos seguidos me trouxeram à memória muitas coisas boas, sensações que pareciam perdidas no tempo.

Tudo bem, ficamos felizes, almoçamos bacalhoada no dia seguinte, colocamos nossas belas camisas e fomos às ruas. Mas já acabou. O que era alegria hoje pode se tornar frustração amanhã.  Por isso é hora de concentração máxima.

Ah, temos um jogo nesta quarta-feira contra o Brasil de Pelotas, pela Primeira Liga? Foda-se esse jogo! Abel, por favor, ponha os reservas e os caras que precisarem de ritmo – Henrique Dourado e, quem sabe, Scarpa por alguns minutos. Já temos esse título da Primeira Liga. E este Carioca é de muita importância para nós.

É sempre bom lembrar: temos sim, este compromisso no meio de semana. Mas o Flamengo também joga, contra o Atlético-PR, em Curitiba, pela Libertadores. Na semana que vem, livre para nós (a chamada semana cheia), eles enfrentarão o Universidad Catolica de Chile, no Maraca. Sei que descanso não ganha jogo, mas pode ser um aliado importante.

Por isso digo sem medo de errar: nossos garotos estão na batida certa. Abel Braga sabe como poucos o caminho das pedras e tenho certeza que moldará seus comandados para mais uma conquista. Pois se eles têm Guerrero, nós temos um Time de Guerreiros.

xxxxxxxxxx

Pouco se fala nele, mas Lucas é uma das principais armas ofensivas do Fluminense. Suas subidas ao ataque geralmente pegam as defesas adversárias desprevenidas. O chapéu que culminou no gol de letra de Wellington foi de antologia. Finalmente temos um lateral-direito.

xxxxxxxxxx

Não me surpreende que o Flamengo queira administrar sozinho o Maracanã. Gostei da posição do presidente tricolor Pedro Abad sobre o tema, não baixando a guarda e monitorando os passos do concorrente. A megalomania e o olho grande são especialidades de nosso maior rival; por isso, derrotá-los sempre tem um gosto especial. É muito bom meter a porrada em quem pensa ser mais forte do que você.

CENAS DO CENTRO DO RIO – CLIQUE AQUI

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: paro

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres