#GolDeBarriga20Anos – A festa (por Erica Matos)

er 2

Vinte anos depois da final do campeonato carioca de 1995, estávamos na nossa casa e  clube das Laranjeiras.

O tema do evento era o Gol de Barriga 1995 sempre na memória.

Teve estreia da camisa retrô do ano em que acabamos com o centenário do Flamengo na festa carioca, num Maracanã como nunca mais iremos ver.

Torcedores de todas as idades. Pais, filhos, avós e netos. Muitos queriam reviver aquele dia épico; outros que não estavam aqui ainda foram para viver um pouco do muito que é contado há duas décadas.

er 1Foi emocionante estar no salão nobre do nosso clube e receber o time de 1995 com o então técnico Joel Santana. Foi marcante ver a homenagem ao Super Ézio. Olhei para o “time” e vi lágrimas nos olhos dos jogadores pela lembrança do amigo e colega e se foi.

Os ex-jogadores estavam nitidamente emocionados por ver uma torcida que estava lá vibrando como se estivesse há 20 anos atrás, cantando, gritando, acompanhando cada lance passado no telão, como se não soubessem do resultado. Essa é a torcida que temos. Uma torcida que o tempo não destrói e o vento não leva. Os times mudam e nós estamos aqui, acreditando, torcendo e nos reinventando sempre.

Olhar pelos arredores e ver os colegas de torcida na celebração dos vinte anos do gol épico de barriga de Renato Gaúcho, foi como se tivéssemos trazido por um instante, o passado para o presente.

Olha pro lado e ver  Laís, Frigols, Mauricio Lima, Caldeira, Dionísio, Duda, Julia e Kote, entre tantos que lá estavam, era como poder reunir o melhor que o Fluminense nos deu com o melhor da história do nosso clube. Não nos conhecíamos naquela época, mas estávamos todos celebrando o feito histórico na vida de cada tricolor.

Vinte anos se passaram e o meu paizão estava lá comigo. Ele, que em 95 correu para levar minha mãe da maternidade para casa e, em seguida, partir para o Maracanã só com os meninos, pois “estádio não era lugar de menina”. Pois a menina que ficou em casa ouvindo o jogo com os tios, estava lá 20 anos depois ao lado do seu pai, apresentando-o aos amigos de arquibancada e de clube. O estádio se tornou o lugar das meninas mais apaixonadas e com o coração pulsando pelo tricolor das Laranjeiras.

No decorrer do dia, vi muitos torcedores dos times alheios (principalmente da torcida vítima), dizendo ser exagero comemorar vinte anos de um título carioca.

As pessoas simplesmente não imaginam a importância de um título que nem sempre está no peso da conquista pura e simples. O significado está na história que foi, é e será contada.

GOL DE BARRIGA PLACAR FINAL PINCEL 2Em 1995 eu era criança e fiquei acompanhando o jogo de casa. Hoje eu sou gente grande e no dia 25 de junho de 2015,  revivi o gol de barriga com a torcida, com o time e com meu pai.

Parabéns mais uma vez aos meus amigos do Flu Memória, Heitor D Alincourt e Dhaniel Cohen, que apresentaram o evento de forma brilhante.

Que venham mais jogos épicos e décadas para sermos a permanente história.

Panorama Tricolor

@Panorama_Tri  @erica_matos

Imagem: em/pra

DE OSWALDO GOMES A FRED 22 06

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres