Fluminense 3 x 0 Botafogo: atuações (por Mauro Jácome)

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVRO – COPACABANA CITY BLUES

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVRO – PEQUENOS RELATOS DA OPRESSÃO

 
O Fluminense entrou organizado para jogar no contra-ataque. Gilberto, Marcos Junior e Ayrton exploravam os espaços da defesa alvinegra e chegavam com perigo. Aos 12’, Sornoza e Ayrton tabelaram na entrada da área de Jeferson, o lateral deu uma excelente assistência para Pedro, que bateu para abrir o placar. O Fluminense continuou atraindo o Botafogo para explorar a velocidade. Em outra forte chegada, Ibañez bateu cruzado e quase fez o segundo. A partir dos 25’, o Botafogo tomou o controle do jogo e só não chegou ao empate devido às ótimas defesas de Júlio César. Nos minutos finais da primeira etapa, o Fluminense voltou a respirar, trocar passes e arriscar contra o gol de Jeferson.

Na volta do intervalo, o Fluminense manteve a proposta dos contra-ataques, mas com o sistema defensivo mais organizado para manter o Botafogo longe do gol de Júlio César. Deu certo. E numa assistência sensacional de Pedro, Marcos Junior ampliou aos 11’. O Botafogo sentiu o segundo gol e passou a errar em todas as vezes que ultrapassava o meio-campo. O Fluminense recuperava a bola e criava perigo a Jeferson. Nos últimos minutos, o Botafogo pressionou e quase diminuiu, mas Júlio César fez uma defesa sensacional. No contra-ataque, Pablo Dyego lançou Jadson, que penetrou, bateu pelo alto e fechou o caixão alvinegro.

JÚLIO CÉSAR

Fez milagres. No primeiro minuto de jogo, despachou curto uma bola recuada, mas se recuperou e fez boa defesa no chuto de fora da área. Sensacional com duas defesas em sequência por volta dos 30’1T: a primeira espalmou uma pancada; na cobrança de escanteio, salvou em cima da linha. Menos trabalho no segundo tempo, mas fez um milagre aos 45’ num chute à queima-roupa. A defesa deu início ao contra-ataque do terceiro gol.

GUM

Perdeu algumas disputas pelo alto. Melhorou no segundo tempo.

RENATO CHAVES

Dificuldades nas jogadas de velocidade do Botafogo. Quando o meio-campo diminuiu os espaços para o Botafogo manobrar na intermediária, o zagueiro teve a vida facilitada.

IBAÑEZ

Deixou alguns espaços, principalmente, nas bolas que eram invertidas pelo meio-campo botafoguense. No segundo tempo, jogou mais fixo e mais perto de Ayrton.

GILBERTO

Importante nos contra-ataques. Conseguiu chegar ao fundo do campo, mas não encontrou Pedro o Marcos Junior nos cruzamentos. Correu uma barbaridade e cansou no segundo tempo.

LÉO

Entrou para recuperar o fôlego pela lateral e acompanhar os contra-ataques. Deu boa assistência para Richard perder boa chance.

RICHARD

Correu, brigou, ganhou, perdeu… Tem muita vitalidade, mas precisa de mais calma em determinados lances, colocar a bola no chão, porque perde boas oportunidades de iniciar contra-ataques. Também, tomar mais cuidado com a quantidade de faltas que comete.

JADSON

Mais contido no primeiro tempo devido à pressão do Botafogo. Errou alguns passes fáceis e acertou outros para os laterais iniciarem os ataques em velocidade. Cresceu quando Douglas entrou, jogou mais adiantado e puxou alguns contra-ataques. Muita tranquilidade para fazer o terceiro gol.

SORNOZA

Ótimo primeiro tempo. Procurou o jogo, movimentou-se e distribuiu boas bolas. Só faltou chutar de média distância. Sentiu logo no começo do segundo tempo e saiu.

DOUGLAS

Recuperou o gás do meio-campo e fechou a entrada da área de Júlio Cesar.

AYRTON

Muita personalidade. Está em ótima fase. Bons passes, arrancadas espetaculares, visão de jogo, tem sido um dos principais jogadores neste início de ano. Diminuiu o ritmo no segundo tempo.

MARCOS JUNIOR

Muita movimentação, procurou encostar nos dois laterais e em Pedro. Timing perfeito para ultrapassar a linha de defesa do Botafogo e marcar o segundo gol do Fluminense. Levou uma pancada e saiu.

PABLO DYEGO

Um tanque. Quando tem espaços para acelerar é difícil ser parado. Excelente assistência para Jadson fechar a conta.

PEDRO

O nome do jogo. Mais ativo do que em jogos anteriores, teve sangue frio para aproveitar o tempo de bola, bater de primeira e abrir o placar. Uma assistência sensacional, de peito, para Marcos Junior ampliar. Apareceu bem em outros momentos para acionar os companheiros pelos lados do campo. Só faltou um pouco mais de tranquilidade nas conclusões.

ABEL

Muito boa estratégia para enfrentar o Botafogo: atrair o alvinegro e partir em contra-ataques com Marcos Junior e os dois laterais. Tirou o Pedro da área para participar das jogadas na intermediária. Deu certo. Tem apostado muito em Pablo Dyego e o garoto está ganhando confiança. A bela vitória teve a mão do técnico

ARBITRAGEM

Fez vistas grossas a alguns puxões na área: em Marcos Junior, em Igor Rabelo. Aliviou Richard em seguidas faltas.

 

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

#JuntosPeloFlu

Imagem: jam

1 Comments

  1. Renato Chaves foi soberano nas bolas altas. Júlio César, Ayrton e Pedro brilharam. O jogo foi estranhamente fácil.

Comentário