Fluminense 1 x 1 São Paulo (por Paulo-Roberto Andel)

LIVRO – A ESSÊNCIA DO FDP BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO 2 – CLIQUE AQUI

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVRO – COPACABANA CITY BLUES

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVRO – PEQUENOS RELATOS DA OPRESSÃO

O primeiro tempo foi do São Paulo. Com mais time, mais nome e mais pegada, ameaçou várias vezes o gol de Júlio César – geralmente com a bola aérea -, neutralizou os contragolpes tricolores e praticamente não sofreu finalizações. Antes de marcar, já estava se impondo em campo.

O Fluminense não soube superar a marcação adversária, criando muito pouco e com pouca inspiração da dianteira, melhorando a condição do time nos dez minutos finais. Mesmo assim, foi pouco.

No saldo final, não sofremos nenhum atropelo, mas não custa nada ter humildade e reconhecer que o adversário foi superior, e que o próprio Flu teve um desempenho inferior em relação ao primeiro tempo do jogo contra o Cruzeiro.

Abel mexeu com ousadia na volta, tirando Frazan e colocando Matheus Alessandro, mexendo no esquema de três zagueiros. O Flu começou a ficar mais ousado pela direita, enquanto Petros e Ewerton abusavam da marginália. Que arbitrozinho… Se a velocidade tricolor aumentou, a criatividade não acompanhou as passadas. Aos 26 minutos, pênalti não marcado para o Flu, sobrando em campo. Em seguida, Pablo Dyego no lugar de Jadson.

A partir dos 30 minutos, a pressão pelo empate aumentou. Robinho entrou no lugar de Marcos Jr., o estreante Leo mereceu marcar o gol – acertou um balaço espetacular na trave direita -, Ewerton acertou a trave de Júlio César e… Robinho acertou a trave direita de Sidão. Um final eletrizante, o Flu lutando muito e nada da bola entrar. Mas como reza a tradição tricolor, quem espera sempre alcança: aos 43, Pedro fez um golaço de cabeça, acertando o ângulo direito após cruzamento de Robinho. Guerreiro, o Flu partiu para a cima, o São Paulo deu o troco e vários jogadores caíram no chão ao término da partida, boa no primeiro tempo e um jogaço no segundo.

A torcida veio e cantou até depois do fim, o que dá uma amostra do que foi este partidão, digno daquele velho Maracanã. Sem grandes destaques individuais, mas o coletivo de pura vibração. Pra escolher um do Flu, Matheus Alessandro: incendiou o segundo tempo.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

#JuntosPeloFlu

Imagem: rap

1 Comments

  1. Boa noite Andel,
    Até aqui pegamos tres times mais fortes que o nosso…por enquanto.
    Pois nosso time amadurece à olhos vistos.
    Mais uma vez, jogamos bravamente!
    4 pontos en nove disputados, muitos não acreditavam.
    Gostaria de realçar, além dos aspectos por voce abordados, o fato de que além de maior experiência e malandragem, o Sao Paulo, contava com três jogadores que odeiam o Fluminense, e como sabemos o ódio e um forte combustível, a saber: Ewerton, Nenê e Diego Souza.
    ST

Comentário