O Flu e as fake news (por Aloísio Senra)

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVRO – COPACABANA CITY BLUES

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVRO – PEQUENOS RELATOS DA OPRESSÃO

LIVRO – A ESSÊNCIA DO FDP BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO 2 – CLIQUE AQUI

Tricolores de sangue grená, este ano nascerá meu primeiro filho. Paulo-Roberto Andel torce para o Vasco como seu segundo time, e até foi visto ao lado do Catalano em um jogo do cruzmaltino. Quando eu era criança, cheguei a usar uma camisa de pano do Vasco dada por meu saudoso avô, vascaíno que era, tentando me convencer a torcer por seu time do coração. Minha esposa torcia para o Flamengo, mas hoje não torce mais, pois prefere a ginástica. Já escrevi quatro livros, o quinto está em produção, mas apenas dois foram publicados. Felipe Fleury não suporta poesia, por isso escreve prosas com frequência e as publica de modo esparso. Acharam estranho? Vocês podem apontar com precisão quais são as verdades e as mentiras em meu texto? Agora façam uma nova tentativa no próximo parágrafo.

Ayrton Lucas teve passe fixado em 4 milhões de euros. Mascarenhas é emprestado ao Atlético-GO. Marcos Jr. tem proposta do Yokohama Marinos. Pedro pode ser negociado na janela do meio do ano, pois é monitorado pelo futebol italiano. Fluminense troca Reginaldo por Luan Peres. Conca já acertou pelo teto salarial. Abel diz que Conca se comportou mal no Fluminense. Abad e Abel descartam Conca. Gustavo Scarpa é especulado no Flamengo. Fluminense tem a intenção de trocar Gustavo Scarpa por Everton Ribeiro. Fluminense contrata Dodi, volante, porque Richard teria proposta do Atalanta e poderia sair. Robinho perde espaço e encara o ostracismo. Abel e Abad se arrependem das contratações de Romarinho e Robinho. Gladiador é reprovado nos exames médicos, mas Fluminense ainda pode fechar com ele. Revelação Ramon é reprovado nos exames médicos no Real Madrid e volta ao Fluminense.

Meus amigos, estas notícias apareceram no intervalo de uma semana! Sim, uma semana. Se você não acompanhar o Fluminense com afinco, provavelmente não saberá no que acreditar. E mesmo que acompanhe, ainda terá suas dúvidas, como eu tenho. Muitas delas são, realmente, fatos. Aconteceram, estão em veículos de comunicação com alguma credibilidade, e já foram veiculadas até mesmo em canais televisivos. Outras são puro “fake news”. A expressão “fake news”, originária da língua inglesa, remete às “notícias falsas” que tabloides impressos costumavam publicar para atrair leitores incautos. Hoje em dia, existe uma epidemia de “fake news” na internet da qual quase ninguém está a salvo (sim, eu já compartilhei notícias falsas por puro descuido, não sou perfeito). O volume de informação é tamanho que é quase impossível checar a veracidade de todas as fontes.

No Fluminense (e no futebol em geral), estas notícias assumem outras proporções, e se tornam fonte inesgotável de especulação. Nunca sabemos se são de fato confiáveis até que muitos portais e sites comecem a confirmá-las. A maioria, contudo, se perde no abismo da imaginação e jamais chega à realidade. Há um fator eminentemente humano que potencializa o estrago que esse expediente causa em nós: o sonhar. Quando a notícia nos parece boa demais para ser verdade, queremos muito acreditar nela. Quando nos parece ruim, sofremos por antecipação e torcemos para que não se concretize. É quase uma parte indissociável do futebol moderno, com todas as consequências nocivas que traz. E não, não estou “glamourizando” o “fake news”, mas ponderando sua função. Contudo, o Fluminense sempre esteve associado à verdade, e não é sadio que caiamos na vala comum do factoide. O que fazer?

Primeiro, temos que nos policiar. É difícil, porém necessário. Sempre que visito algum grupo do Fluminense nas redes sociais e me deparo com uma postagem que é claramente falsa ou duvidosa, vejo uma enxurrada de comentários. As pessoas perdem um tempo absurdo (me incluo entre elas às vezes) dando sua opinião sobre uma possibilidade remota ou incognoscível. Tentar minimizar esse comportamento já nos fará bem. Segundo, o Fluminense precisa agir, quando for possível, através do seu setor de comunicação, para desmentir as notícias inverídicas que forem mais danosas ao imaginário do torcedor. Jogar limpo, mostrar que se preocupa com a qualidade da informação que chega ao torcedor, sem deixar que ele consuma qualquer coisa, pode parecer algo pequeno, mas tem grande peso. Conhecimento é poder, e a informação correta abre portas.

Se não acontece isso hoje, que cobremos. A relação entre torcida e diretoria está abalada faz tempo, e as vibrações negativas são amplificadas com extrema facilidade. O pedido de desculpas de Abel foi uma bola dentro, mas está mais que na hora de o torcedor ser ouvido. Não é com curral para o torcedor e ingressos do Brasileiro a R$ 50 que os 15.000 de sempre voltarão. Muitos veículos de mídia alternativa tentam conseguir o furo da contratação do Conca pelo Fluminense. Embora eu entenda que possa haver uma negociação em curso e não é sábio revelá-la, até para evitar um leilão pelo jogador, já faz alguns dias que temos versões diferentes sobre os acontecimentos e, dada a nossa carência de meias, seria salutar que o Fluminense se posicionasse de modo oficial, sem parecer que está despistando. Com todas as minhas reservas ao Conca, muitos ainda o consideram ídolo. Vamos parar de brincar com os sentimentos dos torcedores.

– Curtas

– Dodi, João Carlos, Luan Peres. Que me desculpem os otimistas, mas a impressão que dá é que nosso presidente não está pensando em 2018, e sim em 2019. E não é na Série A.

– Vamos de três zagueiros com Frazan na zaga contra o Cruzeiro. Que João de Deus nos abençoe.

– Abel perdeu um ponto no domingo passado ao colocar João Carlos em campo em vez de Marcos Jr. ou Matheus Alessandro. O rapaz entrou frio, não acertou uma jogada, e acabamos sofrendo o gol do revés em vez de partir pra cima do Corinthians e buscar a virada (que era plenamente possível). Se a conversa fiada dele sobre meritocracia existisse, esse rapaz ainda comeria muita grama antes de sequer sentar no banco de reservas, e Reginaldo jamais teria sido negociado.

– Quando falo sobre o Abel aqui e tudo o que critico a respeito dele, pode pegar mal e parecer que eu não gosto do treinador. É o oposto. Tenho respeito por ele, mas não aguento mais algumas posturas e decisões dele, que entendo que estejam atrapalhando o Fluminense. Manter esse esquema de três zagueiros contra todo mundo é suicídio. Formar patotas e privilegiar certos jogadores em detrimento dos que poderiam somar mais para o time tem nos trazido dores de cabeça desde sempre. Trocar o Reginaldo por um zagueiro que desconhecemos é no mínimo imprudente. Essa contratação do João Carlos não me desce. É como Romarinho, Maranhão. É a busca do novo Gabiru que nunca se concretiza. Abel precisa refletir seriamente sobre seu trabalho, porque ele tem qualidades, mas insiste demais em seus próprios erros!

– Vou respirar bem fundo antes de chutar o placar do jogo deste domingo: Fluminense 2 x 0 Cruzeiro.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#JuntosPeloFlu

Imagem: alo

2 Comments

  1. Exato. Essas do Ayrton Lucas e Conca são fake news totais. Irresponsabilidade dos sites de notícias tricolores e o efeito manada das redes sociais são terríveis. Já dei idéia para diretoria do fazer um Fatos & Dados igual a Petrobras fez quando estava sob ataque da midia e políticos.

  2. A verdade é que a torcida acabou. Só tem torcedor de Facebook e picareta fazendo campanha pra candidato derrotado.

Comentário