Esperança tricolor (por Crys Bruno)

Oi, pessoal.

Chego a cento e trinta colunas com coração angustiado e triste. Sei que houve problemas.

Perdemos o time ágil e encaixado do Carioca e “perdemos” um Abel entusiasmado com o futebol ofensivo.

Abel se perdeu. A trágica e impensável dor da perda do filho levou muito da sua alma, nome que ele usou como adjetivo quando chegou e como principal característica para o time.

Nos últimos jogos, assistimos aberrações no posicionamento com volantes de meia, atacante de laterais, meias de volantes, laterais de pontas.

Perdemos o encaixe ao perdemos principalmente o único jogador pensante: Sornoza.

Jogadores como Wendel e Wellington, vindos de transferências não concretizadas, mas até anunciadas como certas, sentiram o baque. Cada um de um jeito.

O time que marcava no ataque, passou a jogar atrás da linha da bola, isolando um centroavante para fazer a parede, como atuam times médio e pequeno de Portugal, onde Abel treinou.

Estou cansada. É cansada, serei mais uma a cansá-los. Quando que Abel iria posicionar o Internacional no Beira-Rio contra o Palmeiras como fez no último domingo com o Fluminense, tratado agora até por ele como timeco?

Nunca a diretoria e torcida do Internacional iriam admitir aquela postura contra time que fosse, em pleno Beira-Rio. No Fluminense, admite-se.

Estou cansada disso. Dessa ausência de cobrança de postura ofensiva. Dessa idolatria como se Abel fosse um deus salvador do clube, como já tratavam o Fred. Estou cansada dessa pequenez.

Exausta, eu preciso de férias do Fluminense. Desmotivada, vocês merecem meu respeito e consciência de nada mais me resta a acrescentar por enquanto.

Como disse na última coluna, tratam o Fluminense como time pequeno, tratam a torcida do clube com desprezo e indiferença.

O elenco é do mesmo nível ou até melhor do que pelo menos 15 times, clubes medianos, remendados, sem tradição e história e estão na nossa frente no Brasileiro.

Cansada, exausta e desmotivada, preciso de férias do Fluminense e vocês merecem férias de mim, assim sendo.

Deixo aqui um abraço verde, branco e grená. Minha mais doce gratidão e fraternidade.

Que volte a esperança. Que o querido Abel consiga a alma que muito perdeu, evidente e compreensível, para essa difícil reta final.

Que volte a esperança…

Saudações Tricolores, amigos.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @CrysBrunoFlu

 

8 Comments

    1. Muito obrigada, amigo.
      Mas nossos corações tricolores estarão sempre conectados.
      Abraços fraternos

  1. Que o nosso tricolor nos surpreenda com uma inesperada vitória contra o time de três cores de PA. Já que não está dando pra esperar nada de bom, pelo menos desejemos. ST!

    1. Oi Vera.
      Pois é .
      Acho que para terminar o ano com o coração melhor, livrar-se do rebaixamento e eliminar o Flamengo na Sula é o mínimo.
      ST.
      Beijos fraternos.

  2. Gosto muito das suas análises. Te confesso que também estou de saco cheio de tanto amadorismo no Fluminense. Falta Gestão, cobrança. Entretanto, discordo quanto ao Abel. Acho que ele não está perdido, ele é fraco mesmo. Não consegue mudar o esquema tático. O Flu era pra jogar num 3-6-1 a muito tempo. O Orejuela seria um excelente líbero.Colocaria Douglas e Wendel fazendo a cobertura dos alas que seriam o Wellinton Silva e o Lucas.Liberava o Sornoza e Scarpa. Gum e Henrique na zaga. Abraços e ST

    1. Oi, Márcio.
      É a opinião do meu irmão tb e igualmente tricolor.

      Mas se pensarmos em treinadores brasileiros, difícil demais achar um que não seja fraco ou mto fraco rs.

      Obrigada pelo registro. Tudo de bom.por aí.
      ST

    1. Que isso, Gaia! Estou realmente exausta. Só um tempo rs. Mas
      estarei sempre aqui prestigiando o Andel e Fleury, como tive o presente de prestigiá-lo.
      Nossos corações tricolores, repito, estarão sempre conectados.
      Tudo de Bom e obrigada por todo apoio e tabelinhas rs

Comentário