Vasco 0 x 0 Fluminense (por Paulo-Roberto Andel)

O clássico, disputado em dia e horário desfocados, não ficou devendo em termos de aplicação e vontade, mas careceu de empolgação técnica. Com as barbas de molho, o Vasco veio com três zagueiros e isso pode ter atrapalhado um dos destaques tricolores no momento, que é o Marcos Jr., e também o Sornoza, que andou errando além da média. De toda forma, tivemos outras vias, com os bons avanços de Gilberto e Ayrton, este cada vez mais firme na lateral.

Na frente, a ausência de um matador, aquele que preocupa os zagueiros e toma-lhes a atenção, é ruim para o Fluminense. Não tenho dúvidas de que é preciso ter toda paciência com ele, mas também é preciso reconhecer que o jovem atacante ainda não é uma referência.

O Vasco teve uma boa chance e desperdiçou. Estivemos mais no ataque durante os primeiros 45 minutos, mas sem grande perigo para Martín. Já no finalzinho, Sornoza perdeu um gol incrível de cabeça, livre. É a tal da referência. Fomos melhores.

Considerando a presença do senhor Flamengo de Lima Henrique, foi natural o Fluminense não ter um pênalti marcado, sobre Gilberto.

Ii

Super susto logo no comecinho do segundo tempo: bobeada e Rildo perdeu sozinho, com Júlio César batido. A resposta veio dobrada: Gilberto gastando e chutando de trivela por cima do travessão, Martín raspando. No escanteio, perigosa cabeçada de Gum. O jogo voltou mais movimentado.

Balaço do Sornoza na trave direita aos 15 minutos. Uma pena. Por outro lado, Ibañez errando vários lances, inclusive forçando Richard a fazer uma falta, tomar cartão e ficar de fora do próximo jogo. Depois um chapéu. Melhor jogador do time, o equatoriano se recuperou com garbo.

Outro susto: Ibañez raspou de cabeça para trás, Júlio César já caindo salvou com o pé. Hora do Gatorade, Abelão marcou o jovem zagueiro tricolor em cima na instrução. Riascos deu um drible sinistro e finalizou perto do ângulo.

Robinho no lugar de Marcos Jr. Douglas reaparecendo para os 15 minutos finais em lugar de Ibañez, que fez sua pior partida pelo Flu. Dudu também. Em vão: o jogo seguiu sem maiores emoções conclusivas e ficou no ôxo mesmo. Gum ainda desperdiçou a última chance, de cabeça. Fomos superiores, mas não a ponto de ganhar.

Longe de querer ser chato – porque a concorrência é muito grande por aí -, é aquilo: com mais um bom zagueiro, um meia e um finalizador, o Flu passaria o trator no jogo. Sem eles, empatou. Sem envolver técnica, o clássico foi mais vibrante na etapa final, valendo o ingresso. Cinco mil pessoas num Fluminense e Vasco… para colocar doutor mais querido no horário da TV aberta. Ridículo é pouco.

Para aliviar, a piada do WhatsApp: “Amigo, com MLH apitando os dois rivais de seu time, é zero a zero sempre”.

Bem legal a campanha do Tricolor em prol da mulher. Não há mais espaço na sociedade civilizada para machismo e misoginia.

iII

Fazem tudo para acabar com o futebol carioca. Taquepariu…

IV

Para quem quiser conhecer meu trabalho literário fora do PANORAMA, basta ir ao meu blog otraspalabras! e baixar gratuitamente dois livros: “Pequenos relatos da opressão urbana” e “Copacabana City Blues”, ambos de prosa, poesia e reflexão.

É só acessar o link abaixo.

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVRO “PEQUENOS RELATOS DA OPRESSÃO URBANA”, DE PAULO-ROBERTO ANDEL. CLIQUE AQUI.

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVRO “COPACABANA CITY BLUES”, DE PAULO-ROBERTO ANDEL. CLIQUE AQUI.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

#JuntosPeloFlu

Imagem: rap

1 Comments

  1. Andel
    e domingo teremos FLUX N.Iguaçu as 19;30 hs no maraca tao de sacanagem,porque o FLU foi a Saquarema contra o Boavista e o queridinho nao vai ,joga em campo neutro se em ambos o mando e do Boavista

Comentário