Hora de união (por Felipe Fleury)

Findo o primeiro turno do campeonato brasileiro, o Fluminense conquistou 26 pontos, atingiu a 9ª. colocação e foi o quarto melhor time em número de gols marcados. Um scout apenas razoável se o considerarmos objetivamente. Levando-se em conta, no entanto, a grave crise financeira por que passa o clube, a escassez de reforços, a juventude do grupo e a quantidade e gravidade das lesões que vitimaram seus principais jogadores, se não é um resultado para ser comemorado, também não deve ser considerado o pior dos mundos.

Num campeonato em que apenas o primeiro e o último destoam, o Fluminense, mesmo diante de todas as dificuldades que vem enfrentando, tem condições de alcançar uma posição melhor, quem sabe, o que seria a glória, uma vaga na Libertadores. Para tanto, precisa ser mais eficiente dentro de sua própria casa. Empatar e perder menos dentro de seus domínios é a receita para que o Flu possa fazer um segundo turno bem melhor do que o primeiro e sonhar com a vaga na competição sul-americana.

É certo que lesões continuarão ocorrendo, que as arbitragens continuarão nos prejudicando e que reforços não virão, quiçá peças para reposição de jogadores que deixaram o grupo, como no caso de Robinho, cujo acerto está próximo, mas foi precipitadamente anunciado como concretizado quando a negociação ainda não havia sido concluída.

Não duvido dos bons propósitos e do esforço que o Presidente Abad tem realizado para manter o Fluminense vivo, mas é preciso não medir esforços para que, mesmo em face da complicada situação financeira do clube, o Tricolor seja mais eficiente e dê ao seu torcedor alguma alegria em 2017, conquistando a tão sonhada vaga para a Libertadores.

Vaga conquistada, portas se abrem, receitas surgem, torcida se empolga e retorna aos estádios. É um esforço que vale muito a pena, como um sprint final. E aí vale novamente a comparação com o Botafogo, clube que conquistou sua vaga com jogadores desconhecidos e pés no chão, e hoje colhe os frutos desse bom trabalho, inclusive dinheiro e a chance de conquistar a América pela primeira vez.

Por isso, nesta fase derradeira da competição, a união da torcida e o seu apoio ao time é preponderante para que, motivados pelo grito da arquibancada, nossos jogadores se doem com mais ardor em busca dessa vaga. A Libertadores é bem ali e já passou da hora de o Fluminense tornar a disputá-la. E, quem sabe, vencê-la.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @FFleury

Imagem: f2

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres