Três pra cá, três pra lá (por Crys Bruno)

crys bruno green

O Fluminense está a três pontos do G4 e do Z4. A partida de amanhã contra um Corinthians sem o treinador – que é o para-raios do time – deverá ser um divisor de águas do mês em que os times irão se descolar uns dos outros na tabela, exceto se tivermos uma série jamais vista de empates.

Conforme o blog “Bastidores FC” do GE e outras fontes da mídia (escrevo às 18h), Tite é o novo técnico do Brasil (a CBF/Globo consertando um erro de dois anos atrás em, após um 7 a 1 humilhante, contratou um camarada que representava um futebol SÓ marcação, um técnico sem currículo, sem carisma, sem capacidade nenhuma para função, a não ser a dar coices, como foi quando jogador).

Se por um lado será o primeiro jogo do Corinthians sem seu maior pilar, Tite, por outro o Fluminense jogará sem um importante pilar, novamente: o Maracanã. O estádio faz com que os adversários respeitem mais nosso time, e este entender algo que muitas vezes não alcança: a nossa grandeza.

Os números do Fluminense no Maracanã mostram isso. É uma tremenda perda que só será saneada em outubro, mês que já saberemos quem briga pelo título, quem cumpre tabela, quem briga pela permanência.

Mais uma bola fora da diretoria do Peter. Bola fora, não, bola isolada para fora do estádio, pela demora em ajeitar um campo na capital ou Grande Rio para colher a nata da nossa torcida.

Voltando ao time, Levir muda novamente o ataque e, novamente, me decepciona. Isso porque o problema não é o ataque, mas o meio-campo que ele escala. Vou repetir com exaustão: Cícero não é meia. Cícero é um segundo volante lento, com qualidade de passe e chegada no ataque. Ponto final. Colocá-lo ao lado de um Pierre é crime. Colocá-lo de meia ofensivo, também. Se Levir não gosta dele de volante, que barre.

Por que bato nesta tecla de forma taxativa e repetitiva? Porque Cícero está sendo escalado de forma improvisada na posição mais importante de um time de futebol. O 10 é o cara que ocupa o espaço entre a intermediária ofensiva e o gol adversário. É onde mais o oponente irá marcar, pressionar, dar o bote. Cícero ali é uma negação. Melhor escalar um jogador de ataque ágil, que se desloque mais, para fugir dessa marcação que um segundo volante de alta categoria como ele.

Em nossas melhores atuações esse ano, tivemos o Cícero de segundo volante e um trio ofensivo por trás do centroavante (ou o definidor). Contra o América-MG, única partida no Brasileirão que jogamos bem, foi assim. Tivemos um trio ofensivo por trás do Fred, até então o finalizador, o homem do último toque. Jogamos com Osvaldo, Scarpa e Richarlison, além do 9.

Urge repetir essa característica na escalação. Tirar proveito da ausência do Fred, dando mais liberdade e velocidade na frente. Esperava Marcos Jr. (que apesar de tecnicamente fraco, tem atitude, coragem, parte pra cima e não sente quando perde um gol ou lance), com Maranhão (que foi muito, muito bem para uma estreia e gostei demais!), com Scarpa e o novo centroavante, o Richarlison.

É um jogo para pôr intensidade, vencer o Corinthians, dar moral. Ao contrário disso, Levir me decepciona e refuga de novo. O meio-campo com Edson e Douglas protege a defesa, libera laterais que não são ofensivamente técnicos, em detrimento de escalar jogadores ofensivos, prendendo os laterais para não desguarnecer.

Esse tipo de vício dos nossos treinadores, da visão desfocada por duas décadas que destorneou tudo de melhor do nosso futebol, aquele que fez o mundo ficar de joelhos até passarmos a imitar os outros, destruindo nossas caracteristicas de drible e ousadia, me mata. Só vejo futebol brasileiro ainda por causa do Fluminense. Lembrando que acho o futebol europeu um porre de chato, gostando apenas de assistir os confrontos entre times grandes.

Levir, volte a ser Levir! Mesmo sem um 10, volte a ser um Levir. Os outros time também não têm. O Corinthians, de amanhã, não terá. Levir, volte a ser Levir, com ofensividade para vencer, porque só a ofensividade nos levará à vitória.

Mesmo sem o Maracanã, nunca tivemos uma chance tão boa de vencer o Corinthians como amanhã. É só não refugar, Levir. Porque são três pra cá, três pra lá. Onde quer ir com o Fluminense? Eu digo: pode ir pra cá, para o G4. Avante, Levir! Avante, Fluzão!

::Toques rápidos::

– Se o Fluminense sondou Nilmar (e acredito no empresário, até pela ligação do Jorge Macedo com o ex-colorado), igualmente caro, o problema com Fred não foi o salário. O problema com Fred foi Fred.

Ninguém me convence que Peter, sempre muito esquivo, passivo, iria querer perder o jogador símbolo da sua gestão pós-Unimed nesse momento, meados do ano, em ano de eleição.

Isso só reforça a minha certeza de que o ex-camisa 9 ficou melindrado com a perda de poder que o próprio Peter, equivocadamente, lhe concedeu, de mandar soltar e prender, contratar e dispensar profissionais no Fluminense, comprometendo o ambiente com o resto dos jogadores.

Fred preferiu ir para novo clube do que, após perder a estrela de xerife no feudo Laranjal, a perda do moral atingir seu ego tornando-se insuportável encarar os mesmos companheiros sem aquele poder anterior. No Atlético, ele será o alvo. O tempo mostrará. Vaidade é uma desgraça, amigos.

– Um pouco de Euro: Cristiano Ronaldo não jogou nada, dizem os “especialistas”. CR7 é apenas um atacante. Como atacante, ele é perfeito. Mas atacante é SÓ quem define a jogada. Todo atacante depende de quem cria a jogada. Por isso, os camisas 10 (que o brasileiro destruiu para formar corredores, carregadores de bola) são os grandes gênios. Ainda mais quando conseguem criar e definir como um atacante.

Casos de Pelé, autor de mais de mil gols. Por mais Pita, Zico, Rivaldo, Alex, Amoroso, Ronaldinho, e menos Fred, Ricardo Oliveira, Leandro Damião… Não deixe o marketing confundir sua vista…

Fraternalmente.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @CrysBrunoFlu

Imagem: urb

Conheça e ajude o Lar Maria de Lourdes – CLIQUE AQUI.

4 Comments

  1. Olá Crys, bom post como sempre, mas acho que o Cicero precisar de um banco, como 2° volante, ele pode render se jogar com o Edson ou o Douglas como 1° (talvez) pq ele é fraco de marcação, é lento, seus passes “primorosos” são na maioria para os lados e para trás, quantos passes decisivos ele deu desde o começo do ano? Não sei a estatística.
    Nilmar e Grafite são brincadeira de mal gosto, vc tem toda razão qd diz que o problema não é dinheiro, o Peter é um frouxo.

    ST

    1. Oi Gaia! Obrigada pela força.

      Muitos concordam com você. Para jogar de meia, é melhor o banco, mas não abriria mão dele como segundo volante pela qualidade do passe.

      Abraços, ST!

  2. Oi Crys.
    Permita-me discordar de você.
    Acho que não urge vencermos o Corinthians hoje. Urge sim, sabermos quem somos, o que queremos e onde realmente podemos chegar. Urge PLANEJAR. E deveria ter sido feito isso ano passado e não agora. O Fluminense não é pior que a maioria dos 20 times serie A este ano. Mas não temos time melhor que Gremio, Corinthians, SP, Santos, Palmeiras, Atletico MG. Só aí já se preenche o G4. Pontuar hoje, URGE!
    Empates somados a vitórias formam séries invictas!!!…

    1. Esse é um detalhe importante, segundo a “mídia imparcial” estávamos a quatro jogos sem ganhar, como por um milagre, estamos a 5 jogos sem perder. Maior invencibilidade do momento. Apesar da lerdeza do Cicero…hahaha

      ST

Comentário