“Só” estrelismo ou poder? (por Crys Bruno)

crys bruno green

Oi, pessoal

Desde sábado, quando o mais importante jogador do Fluminense e maior ídolo recente do clube decidiu retirar o pino e arremessar a granada sobre nós, estamos em estado de perplexidade e choque.

São notícias atrás de notícias – que não foram desmentidas pelo jogador, portanto, consentidas –, como a da última segunda-feira, quando a jornalista do programa “Bem, amigos” disse que uma fonte próxima a Fred lhe passou a informação que o camisa 9 está irredutível e não joga mais no Fluminense.

Então, por causa de uma briga no vestiário, comum no futebol, Fred chutou o balde? Confronto que, segundo dois jornalistas tricolores muito renomados (Sidney Garambone e Pedro Bial), não foi tão grave assim.

A partir daí, ninguém me convencerá que se Fred quisesse, se reuniria com Peter, Jorge Macedo e Levir para colocar sua insatisfação à mesa e afirmar, com razão, que sua relação com os companheiros não se modificaria – pela sua história como líder e capitão do time – e que isso não era insubordinação ao técnico. Ninguém.

Mas Fred não quis resolver o problema. Fred quis aumentá-lo quando decidiu, após dois dias sem  treinar, ir diretamente à diretoria exigir a demissão do comandante técnico, se afastando do elenco.

Dessa forma, foi de uma grande falta de profissionalismo e um grau absurdo de insubordinação. Colocou-se acima dos interesses do Fluminense, mostrando com clareza que sua vontade de jogar no clube acabria num “plim”, se seu status de mandar e desmandar fosse diminuído.

Bem, . Afinal, se Fred estivesse apenas insatisfeito com uma briga, não se manteria afastado, treinando em separado do grupo também nessa quarta. Não se abdicaria de cumprir a programação que todo o elenco cumprirá.

Sim, Fred pediu a saída imediata do treinador com o qual já trabalhou, já conhecia o estilo e que, foi capaz recuperou um time que vinha capenga, trôpego, há vários meses com atuações e resultados indignos da nossa instituição.

Sim, Fred cometeu insubordinação, pisou na cabeça do profissional que comanda o time e virou as costas aos companheiros num momento decisivo para o Fluminense.

Não, ninguém me convencerá de que sua atitude foi consequência da falta de respeito de quem quer que seja de dentro do clube. Clube que, inclusive, permite a ele o ato de rebeldia extrema, lhe dando o benefício de não cumprir a programação oficial de treinos, de ter dias para “refletir” e decidir se aceita não ser mais o “presidente de fato”, mas sim “apenas” ídolo e craque, ou se vai cantar de galo em outro lugar.

A única vantagem nesse aparente piti de estrelismo foi a sua sinceridade, porque ele poderia permanecer e dar uma rasteira no treinador na moita, na trairagem, pelas costas, o que traria ao time um ambiente e resultados catastróficos ao longo do ano.

A sua decisão de sair virá com base na mágoa por não ter mais o poder que tinha antes. Ninguém me convencerá do contrário. Não engolirei que será por algum mal estar de vestiário. E mais: por mais que Levir tenha firmeza, nunca ouvi dizer que ele desrespeitou jogador, nem mesmo dos mais abusados, imagine um Fred!

Qual foi o erro grotesco de Peter? Conceder a Fred essa posse de mandatário no futebol. O erro maior e ainda mais grave? Fred resolver sair do clube que sempre o acolheu, mesmo após ele ter virado piada nacional no pós-Copa, por ego ferido de ter perdido, não a condição de titular, líder e capitão do time, mas por ter perdido o poder de mandar e, no caso, mandar o técnico embora.

Profundamente lamentável e baixa a atitude desse ídolo notório. Por isso, se Fred decidir sair, sairá deixando uma mancha desnecessária em sua maravilhosa história no Fluminense. Por isso, se Fred decidir sair, só lhe direi com meu coração traído e ferido nessa sua pequena atitude: “A porta é a serventia da casa. Adeus”.

E que venha o “Asco” e o título da Taça Guanabara, porque o que importa mesmo é: “Vamos para cima, Fluzão. Quero gritar campeão”. É ou não é?

Abraços,

Panorama Tricolor

@Panoramatri @CrysBrunoFlu

Imagem: CB / PRA

21 Comments

  1. É isso aí, Crys
    Disse tudo sobre esse episódio lamentável.
    Eu sou é Fluminense!!
    Vou torcer p quem estiver usando a sua linda camisa.
    Agora, então, é Magnata e CIA.

  2. Imperdoável, a atitude de Fred, se tem serviços prestados, foi muito bem pago pra isso, não fez nada de favor não, não é e nunca será maior que a instituição. Tumultuou o ambiente num momento em que finalmente, após muitos altos e baixos, a time conseguiu uma boa sequencia, que pegue o seu banquinho e saia de mansinho, não queremos mais você no nosso time, nossa camisa tem peso e até o quarentão magnata vai ser artilheiro com ela, FORA SEU BABACA!

  3. Pois é, Xavier, ao colocar um sentimento de se sentir destratado por um dirigente e treinador acima de tudo, ele desprezou a torcida, sem pensar nessa sua relação com ela, que era, quanto a nós, especial…
    Obrigada mesmo pela leitura e seu registro. ST

  4. ótimo. visão de gente sério e não de torcedor bobalhão q acha q ídolo é maior q legalidade, q honestidade, com confiabilidade. depois, pedem profissionalismo no esporte.

    1. Oi Marcos,
      Muito grata por sua leitura e registro. Pela reação de boa parte da.torcida, fica claro que Fred não deu um tiro no pé, mas em nós.
      ST
      Viva o Fluminense!

  5. PERFEITO CRYS ! Você conseguiu sintetizar o que eu, e grande parte da torcida tricolor, pensa sobre o assunto. Parabéns mais uma vez. Se houver eleição pra melhor colunista do panorama vc já tem meu voto. ST.

    1. Rs Oseas, muito obrigada pela força ao meu trabalho. Precisamos todos de motivação e minha torcida tricolor é minha gasolina e juiz.rs
      Se houver eleição para prefeito governador voto em vc depois dessa kkk
      ST

  6. Mt bom post, lendo-a me vi com o 2 pensamentos:
    – Essa de decidir não treinar com o grupo, significa então que nas outras vezes que ele fez isso, ou disse que estava machucado (por vezes em momentos críticos para o time) e esse tipo de coisa, era mentira dele e foi abafado pelo clube?
    – Será que as vitórias sem ele fazer seus gols, incomodaram a ponto de querer desestabilizar o time?
    Um amigo Tricolor, que viveu o clube, sempre me disse que é mascarado e seu “amor” pelo Flu uma mentira.
    ST

    1. Gaia, sobretudo, obrigada. Já aguardo seu registro por aqui.
      Há mtas histórias e disse _me_disse sobre Fred, não é? Respeito o q disse seu amigo. Só que não cobrava do Fred ser humilde nem ter amor pelo FFC pq quem tem amor ao clube é torcedor. Técnico e jogador, não. Podem ter carinho. Amor, mentira. Eu só não esperava que o ego e que a vaidade dele tivessem chegado nesse patamar arrogante e baixo. Uma pena.
      ST

  7. Pede ao Andel por favor, para deixar de pão durice e aumentar para 700 dígitos….rsrsrs

    ST

    1. Andel:

      Carlos, nenhuma pão durice. É que alguns destrambelhados sem noção insistiam em querer publicar verdadeiros livros nos comentários. Fizemos uma pesquisa e o tamanho atual atendia a 99% dos casos. Abraçaço.

    2. Meu chefe lhe respondeu abaixo.
      Me inclua fora dessa kkk
      Para descontrair rs
      Boa tarde aí
      ST

  8. Aah. Só para registrar :

    Adoraria o Kardec.

    Mas pelas nossas necessidades, um meia como Datolo e atacante veloz como Carlos, seriam excelentes para o time.

    E vcs, o que acham?

  9. ok, ok…..vou me enquadrar nos 500…rsrsrs

    Acho o Datolo um tremendo jogador, nos deu um trabalhão ano passado ou retrasado não lembro.

    Carlos (em forma) e Richarlison na frente….um sonho pra gente e um terror para as zagas adversárias.

    Acho que estamos nos acostumando com a ideia do time sem Frederico.

    ST
    em 323

    1. Andel:

      Ahahahahahaha. Abraço, Carlos. A culpa não é nossa, mas dos malas 🙂

Comments are closed.