Sem desculpas, Fluminense! (por Paulo Rocha)

Em primeiro lugar, gostaria de dizer que somente escrevi a coluna desta semana em respeito aos meus leitores e aos meus companheiros de crônica esportiva. A minha vontade, amigos, é a de esquecer que o Fluminense existe.

A revolta que sinto é atenuada apenas pelo de fato de, por não estar mais trabalhando numa redação, ter o direito (ou pelo menos tentar) de me desligar da realidade atual. Assistir os próximos jogos? Provavelmente não irei. A tristeza temperada pelas derrotas me tira toda vontade.

O que mais me entristece é ver meu filho de apenas 10 anos, a quem transmiti a paixão por essas cores, ficar triste num momento tão mágico de sua vida. Não, eu não aceito desculpas. Já vi o Fluminense passar por fases muito ruins. Mas não suporto ver chateado o cara que mais amo nesta existência.

Portanto, meus amigos, peço licença para sequer analisar atuação, administração e o que mais for. Só gostaria de expressar – e, perdoem-me, dividir com vocês – essa frustração. Essa tristeza que me transborda o coração. Não é só um jogo, É uma questão de amor.

Vou procurar, sinceramente, superar essa chateação e mostrar ao meu filho que futebol é apenas uma diversão. E que aceitar as derrotas, as fases ruins, é preciso em todos os aspectos da vida. Afinal, como me disse meu pai um dia, são as derrotas que forjam a grandeza das vitórias. Que Deus me permita transmitir essa sabedoria da mesma forma.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

5 Comments

  1. Obrigado por expressar tão claramente o que estou sentindo nesse momento !!!

  2. Bom dia, Paulo Rocha !

    Resido em João Pessoa. Tenho 61 anos de idade e desde os 11 anos, torço apaixonadamente pelo Fluminense. Assisto todos os jogos do Tricolor aqui no Nordeste. Estava certo de ir assistir o jogo em Fortaleza, no próximo Sábado, mas desisti. Aliás desisti de ver o Fluminense jogar no momento que Osvaldo de Oliveira sacou Ganso e João Pedro do time para colocar Lucão e Caio. Naquele momento, sai da frente da TV. O coração não aguentava mais tanto sofrimento. Também sinto…

  3. Boa tarde. Caso sirva de motivação prá você é nas adversidades que encontramos força e desenvolvemos nosso crescimento. abraços

  4. E a minha tristeza tentando convencer meus netos brasileiros a torcer pelo Flu e não pelos mulambos? Vovô, o Fluminense não ganha nada, perde tudo! Felizmente os outros dois são ingleses e torcem pelo Liverpool, escaparam da falta de imaginação que é torcer pelos urubus. ST

Comments are closed.