O sacode na molambada e a volta do Jornal do Brasil (por Marcus Vinicius Caldeira)

 

Que final de semana, tricolores… Que final de semana!

Fomos para o Fla-Flu com setores da imprensa (a famosa Fla-Press) dizendo que o time reserva do Flamengo era melhor que o do Fluminense. O clube de remo resolveu poupar seu time contra o Fluminense para a estreia da maior comédia ao vivo da TV brasileira, conhecida como “Flamengo na Libertadores”. Num misto de arrogância e auto suficiência foram para o Fla-Flu com um mistão que tinha o goleiro titular, uns seis reservas (entre eles, o maior engodo do futebol atual, conhecido como Vinicius Jr) e alguns moleques.

O Fluminense foi impiedoso: deixou a molambada de quatro com o Marco Jr fazendo dois gols. E não adianta vir com o papo furado que era o time reserva. Ano passado, jogamos com reservas contra o time titular deles e empatamos por um a um, estando ganhando até o minuto final. Então, sem conversa fiada e sem “chororô”. O que fica para história é uma goleada impiedosa que poderia ter sido de seis ou sete.

Um orgasmo, como diria Renato Gaúcho.

Para completar o excelente fim de semana, além de tocar com meu grupo de sambas de enredo, tive o prazer da volta do bom e velho Jornal do Brasil às bancas.

Aprendi a amar o JB com os meus pais. Lá em casa nunca entrou “O Globo”. Nunca!

Do antigo JB lembro-me da coluna Castello, do Vilas-Boas Correa, Oldemario Touguinhó, Mauro Santayanna, João Saldanha, Informe JB, Revista de Domingo, Caderno B, Revista Programa, Letras, JB Informática… Era bom demais!

E na parte de Esportes dessa edição de volta, vem com Paulo Victor, tricarioca e brasileiro de 1984.

Com o JB a gente era feliz e e nem sabia.

Que venha o Avaí, na quinta, no nosso Salão de Festas!

Até lá.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @mvinicaldeira

#JuntosPeloFlu

Imagem: mvc

1 Comments

  1. Sem contar que foram jornalistas no JB seu biso Fausto Leite Caldeira e seu avo Durval Braga Caldeira.

Comentário