Venha logo, Ricardo! (por Paulo-Roberto Andel)

A se concretizar a contratação de Ricardo para o lugar de Autuori no Fluminense, o clube só terá a ganhar com esse fato.

Formado nas Laranjeiras, multicampeão, ponderado, sério, honesto e profundo conhecedor da casa, Ricardo tem a estirpe tricolor dentro e fora das quatro linhas.

Um dos maiores zagueiros da história do Flu, já com histórico relevante como treinador em outros clubes, pode oferecer ao clube serviços relevantes nos bastidores, amparando Abel e o elenco frente as intempéries da permanente batalha política de Álvaro Chaves, além de conhecer profundamente as nuances da esfera boleira.

Em suma, é a antítese de tudo que se costuma ver na panfletagem hater da internet tricolor.

Desde que saiu da zaga irretocável do meio dos anos 1980, as outras oportunidades de Ricardo à frente do clube nunca estiveram à altura de sua história no Fluminense. Um desperdício que precisa ser corrigido para ontem.

É fato que uma boa gestão de futebol precisa de equilíbrio, maturidade e tranquilidade. Nestes quesitos, o candidato ao posto é imbatível.

Independentemente de todas as críticas – justíssimas – que merece o atual governo tricolor, a confirmação do nome no staff será uma bola dentro. Oxalá o carnaval aconteça.

Em tempo: aos que sentiram falta do sobrenome Gomes, trata-se de uma imposição midiática dos anos 1990, quando trabalhou ao lado do zagueiro Ricardo Rocha. Ricardo era só Ricardo e isso lhe bastava para ser um dos maiores zagueiros do mundo à época, que só não foi vencedor da Copa do Mundo em 1994 por ter se contundido às vésperas do Mundial.

Quem vem do Fluminense dos anos 1980 sabe muito bem que Ricardo só tinha um.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Imagem: rap

1 Comments

Comentário