Querem acabar com o Flu, acabar com a gente (por Márcio Machado)

Fatos como o ocorrido no jogo de domingo passado, com a validação surreal de um gol e todas as suas decorrências, demonstram uma intenção clara e, pra mim, um tanto quanto suicida do sistema.

Observem que não basta pagar pouco pelas nossas transmissões. É preciso colocar os seus cronistas “independentes” para falar que quatro clubes no Rio são “muita coisa”; às vezes, ignorar a cobertura tricolor; difundir a lenda da “dívida de séries B” e outras bobagens.

Isso facilita abusos da arbitragem como o deste domingo, que está longe do padrão normal dos acontecimentos já estranhos da arbitragem e seu “comentarismo”.

Se fosse possível, seria bom ao clube ter acesso ao relato das conversas entre cabine e árbitro principal na avaliação desse lance capital. A possibilidade de termos podridão é grande e não é impossível que demonstre o esquema para nos eliminar.

Um futebol com menos clubes grandes, menos jogos importantes, num mundo com cada vez mais opções disponíveis pra entretenimento, será um futebol que importa menos à sociedade.

Parabéns aos envolvidos. ST.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

2 Comments

  1. Não duvido de que haja, há muitos anos, uma campanha da mídia carioca, destinada a reduzir o tamanho das torcidas rivais dos mulambos. Mas colocar como exemplo de perseguição, vídeos que a cada vez que assisto, me deixam dúvida sobre no braço de quem a bola tocou, é um mal serviço para o Flu. Continuo assistindo ao lance, pelos vários ângulos apresentados e ainda não cheguei a uma conclusão. Acho que precisamos dirigir as nossas reclamações aos motivos certos, não a situações que vejo…

  2. A causa principal da nossa situação atual, é a sequência ininterrupta de diretorias incompetentes e corruptas, desde a década de 90, que sem representar devidamente os interesses do Flu junto às instituições esportivas no Brasil, nos empurrou, ladeira abaixo, em direção a uma extinção como clube importante no cenário futebolístico brasileiro.

Comments are closed.