A Copa do Brasil é prioridade (por Felipe Fleury)

Odair ainda não deu forma nem conteúdo ao Fluminense. Em verdade, seu maior mérito foi vencer um Botafogo desmantelado e um Flamengo sub alguma coisa. O que é muito pouco.

A desclassificação na Sul-americana para um modesto clube chileno, na primeira rodada da competição, foi uma falta grave, um duro golpe na pretensão do Fluminense por um título que ainda não temos e na expectativa de gerar receitas que, de forma alguma, podiam ter sido dispensadas.

Aquela desclassificação está engasgada no torcedor.

A vitória sobre o Moto Clube, em outra competição vital para os nossos cofres, amenizou a frustração, mas não deu ao torcedor nenhuma esperança de que poderemos alçar voos mais altos.

Contra um adversário fraquíssimo, sofremos dois gols em poucos minutos de partida, e só viramos o marcador graças ao sempre útil Nenê, cujo talento – muito em decorrência da permissividade da equipe maranhense – foi fundamental para a vitória.

Nada, porém, além das bolas paradas nos pés de Nenê, uma assistência também de seus pés e do belo gol de Marcos Paulo, foi visto em campo. Vale repetir: contra um adversário fraquíssimo.

Odair precisa dar a sua cara, ou outra, que seja, ao time, porque até agora nada há que empolgue a torcida.

Nosso técnico terá pela frente o Botafogo/PB, para confirmar o acesso à próxima fase da Copa do Brasil – e fazer mais um caixa – e o restante deste combalido Campeonato Carioca para dar ao seu grupo algum aspecto de organização tática.

Uma desclassificação precoce na Copa do Brasil seria catastrófica. Portanto, mesmo que passe pelo frágil time da Paraíba, se continuar sem convencer como conjunto no Carioca, melhor que se pense urgentemente numa troca de comando.

A Copa do Brasil é prioridade, e deve ser tratada como tal, inclusive evitando-se o pior com uma possível troca de técnico.

NOSSO PODCAST: CLIQUE AQUI.

Não se trata de pedir antecipadamente a cabeça de Odair, mas de preservar os interesses do Fluminense, que não pode abrir mão, de forma tão precoce – uma segunda vez – de uma competição tão rentável para seus cofres.

Ou Odair se apruma e monta a estratégia de um time competitivo, com os melhores nomes que têm à disposição, ou pede o boné. Não dá para perdermos muito tempo, como perdemos em anos anteriores, porque ao fim o resultado pode ser desastroso.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @FFleury

#credibilidade

2 Comments

  1. Sucessivas trocas de treinadores denota amadorismo e isso ficou comprovado nos últimos anos, nao só no FLU, mas em boa parte dos clubes brasileiros. Mas a contratação de Odair foi um gol contra de canela, uma tremenda bola fora e já passou da hora de corrigir isso. Demissão já.FORA ODAIR!!!!!!!!

  2. Felipe Fleury, concordo com o que vc falou, no entanto, vc está enganado com relação ao Botafogo da Paraíba. Resido em João Pessoa, sou tricolor, não torço pelo Botafogo, mas não se trata de um time flagil como vc pensa. Está liderando seu grupo na Copa do Nordeste e nos dois últimos jogos venceu o CSA e empatou com o Ceará jogando fora de casa. Não vai ser jogo fácil para o Fluminense.

Comments are closed.