Piada de “português” (por Paulo-Roberto Andel)

pagar o quê título

Deu nos jornais: Ilídio Lico, ex-presidente da Portuguesa de Desportos, supõe que tanto o Fluminense quanto sua ex-investidora Unimed estão (ou estiveram) por trás do que chamamos de Caso Heverton ou pela corruptela Guesa.

Alguma coisa está incompleta.

Muita coisa, aliás.

Até para se fazer acusações leves, é preciso um mínimo de raciocínio estável.

O assunto foi cantado e decantado neste PANORAMA por meses a fio. Provavelmente temos um dos maiores conteúdos de opinião a respeito do tema no país.

Atacado de forma covarde por boa parte da mídia brasileira, o Fluminense se defendeu com a força de sua torcida e não teve qualquer benefício na interpretação de um regulamento tão óbvio à época, digno de 8 a 0 no STJD.

O que causa espécie é perceber que todas as pessoas públicas que se manifestam sobre este tema costumam esquecer duas expressões fundamentais: “André Santos” e “esquecimento da imprensa”. Não há um ser bípede nesta Terra que explique o que aconteceu com 200 jornalistas de sábado, 07 de dezembro de 2013 a domingo, 08 de dezembro de 2013, quando TODOS SE ESQUECERAM DE NOTICIAR A ESCALAÇÃO IRREGULAR DE ANDRÉ SANTOS. É estranho que o Sr. Lico jamais tenha se indignado com a omissão dessa informação, que poderia inclusive salvar a Portuguesa, criando um alerta geral e, talvez, a salvação do Canindé a tempo.

Interessante ver o Fluminense acusado de corrupção, logo ele que se submeteu no campo a perder de virada para o Vitória por 3 a 2 naquele campeonato em sua fase final, com os baianos tendo apenas dez jogadores em campo. Não tentou uma “trapacinha”…

Também interessante não se pensar que o mesmo Fluminense, “rei da corrupção”, tenha deixado passar uma excelente oportunidade em acertar com a Ponte Preta, empatando em casa um jogo já no fim da partida. Nenhum “arranjo”… “Preferiu” ir até à última rodada dependendo dos resultados de Atlético-PR x Vasco, São Paulo x Coritiba e de uma improvável vitória sobre o Bahia, conseguida no final da partida.

Ou seja, nas palavras de Lico, corrupção é algo que se trata em cima da hora, no último momento, em cima da pinta. Tão em cima que ele foi incapaz de impedi-la, seja como dirigente ou conselheiro naquele momento. Depois, como presidente, o silêncio…

Então, o presidente do clube que “escalou” errado um jogador culpa outro clube e uma empresa sobre o que ELE mesmo deveria ter evitado como membro ativo da organização desportiva? Pouco importa que Lupa era o chefe; Ilídio estava lá também.

É isso?

Maiores informações em breve, no livro de Paulo Ricardo Paúl. Para quem já leu, o “Pagar o quê?” está esgotado.

Desculpem-me pelas aspas do título. Eram necessárias para posicionar a situação. Nenhum português legítimo cairia nessa esparrela.

Ah, sim. Corrigindo as expressões incompletas: Caso Heverton é Caso André Santos-Heverton; Guesa na verdade é Flamenguesa.

Ilídio Lico sucedeu Manuel da Lupa. Que fim levou o Joaquim da Gávea?

Saudades de Petraglia…

(Ou “Se o Samuel não faz aquele gol, a jogada teria sido perfeita”)

fox sports

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Imagem: pr paúl

16 Comments

  1. O clube tem que agir com veemência, não só contra esse senhor, mas contra o meio de comunicação de divulga um notícia sem um mínimo sequer de possibilidade de prova! Liberdade de imprensa sim, difamação barata e irresponsável não! Mal saiu essa notícia e nós tricolores já estamos sendo alvo, de novo, de chacotas nas redes sociais! O clube, REPITO, tem de agir com força! Convocar coletiva, detonar esse cara e processá-lo!!!

  2. Parece que andamos mexendo demais nessa lixeira e incomodamos as moscas. kkkkkkkkkkk

    ST

  3. Fala Grande Andel !

    Mais uma vez a globo tentando inserir de forma sublime, este absurdo na cabeca das pessoas.
    Lamentavel… Por essas e outras que o mundo esta assim.

    ST
    Abracos da Califa,

    Rodrigo

  4. O GE.COM agora recuou, depois que a Fox Sports levou o patético ex-presidente da Lusa ao vivo e este desdisse tudo.

  5. Sugiro que, na ausência de uma ação contundente por parte do Fluminense, os torcedores levem essa questão até o fim, a exemplo da luta pela manutenção do nosso tradicional pó de arroz.

  6. Tem que processar esse cara e quem divulgou a noticia sem pé nem cabeça e que já foi desmentida.

  7. SomosFluminense x 19 + (sopradores de apito x “mídia independente”)²

    ST

  8. Caro Andel,

    diante dos constantes ataques à instituição Fluminense Football Club em que insistem na relação do clube com a alteração das regras, vide uma blogueira mineira e por último o Dep. Paulo Pimenta, e da repetição deste mantra que faz esta falácia entrar no senso comum da população lhe pergunto qual a possibilidade desta obra se tornar pública na forma de download gratuito para que a mesma seja viralizada e comecemos a mudar esta cena.

    1. Juliano, seria uma honra. Mas o contrato com a editora dá a ela a exclusividade de decisão sobre o tema, ao menos até a expiração do contrato ou renúncia das partes. Levarei sua ideia aos coautores.

Comments are closed.