Peter e o futuro (por Marcelo Vivone)

Peter

Antes tarde do que nunca.

Nosso presidente finalmente reuniu a imprensa e visitou todos os assuntos que têm pipocado na mídia nas 2 últimas semanas: renovação de contratos, Cristóvão, Mario Bittencourt, Unimed e consórcio Maracanã.

Fiquei satisfeito com a entrevista? Em parte.

De positivo, a simples manifestação do presidente do clube. Finalmente Peter reuniu a imprensa para exercer seu papel de mandatário do clube e dar alguma satisfação à sua torcida.

Outro ponto que gostei foi a sua certeza quanto ao cumprimento do contrato entre o consórcio que administra o Maracanã e o Fluminense. Nesse item, nosso presidente, com toda a sua fidalguia, deu um tapa com luva de pelica na cara do nefasto presidente eleito do glorioso Vasco da Gama. Aliás, uma pena ver de volta à cena essa pessoa e seus shows pirotécnicos. Pobre do Vasco e do futebol do Rio.

Concordo também com Peter quando ele fala sobre os problemas financeiros. Eles realmente existem e, principalmente, porque o clube foi asfixiado por penhoras de quase dois anos. Ninguém hoje no Brasil sobrevive sem receber dois anos o dinheiro da televisão. E nós ficamos sem esse orçamento e outros.

De negativo, a pouca explicação e aprofundamento que deu para algumas das questões.

Talvez guiado pela incerteza que ele mesmo tem nesse momento com relação ao ano de 2015, nosso presidente não quis se alongar muito no que mais aflige o torcedor no momento: quais jogadores ficarão? Quantos e quais os componentes da barca que certamente irá zarpar em muito breve?

A entrevista concedida confirma mais um ponto negativo: a falta de planejamento na gestão do futebol. Se o próprio presidente, no dia 04 de dezembro, não tem certeza do que vai acontecer no clube no ano seguinte, quem pode saber?

Outro ponto que não gostei foi o tom sereno em relação às declarações dos atletas. Acho que nessas horas falta um presidente que demonstre maior firmeza para rebater algumas declarações infelizes de seus subordinados. Talvez a estratégia do presidente esteja certa, mas passa a impressão de certa fraqueza.

É importante que a negociação com a Unimed seja finalizada o mais rápido possível. Se vão ser 32 ou 40 milhões de reais e até se o plano de saúde continua no Flu ou não. Se vai haver um segundo patrocinador e esse será ou não o master, se haverá repasse de parte da grana desse patrocinador para a Unimed. Tudo isso precisa ser finalizado “ontem”.

Não há mais tempo a perder.

Gostaria muito, mas sei que esse é um sonho impossível de ser alcançado, que todos nos clube se unissem. Situação, oposição, independentes, todos deveriam se unir por uma causa maior, que se chama Fluminense Football Club.

Estamos, sem dúvida, em um momento crítico. Crise política, crise financeira, incertezas múltiplas, torcida infelizmente divida, talvez como nunca. Um elenco que sem dúvida precisa ser renovado.

Não é hora de aproveitadores, brigas, novas declarações bombásticas de jogadores.

Tenho lido muito pessoas se achando no direito de definir de que forma o verdadeiro tricolor deveria agir. De que lado ele deveria estar (como se devesse existir um lado).

Na minha humilde opinião, o verdadeiro Tricolor deveria estar ao lado, fechado com Fluminense Football Club. Minha hashtag é #fechadocomofluminense!

Panorama Tricolor

@Panoramatri @Mvivone

Imagem: espn.com.br

O ENGENHEIRO E A ESFINGE 19 11 2014

3 Comments

  1. Marcelo:
    Se o River Plate já está classificado para Libertadores e for campeâo da Sulamericana.
    Abre uma vaga para a Libertadores?

  2. Marcelo:
    Se o River Plate já está classificado para Libertadores e for campeâo da Sulamericana.
    Abre uma vaga para a Libertadores?

    1. Vivone:

      Carlos, não abre não. Nossas vagas são somente 5 e já estão definidas.

      Um abraço.

Comments are closed.