O Fluminense na marca do pênalti (por Aloísio Senra)

DOWNLOAD GRÁTIS DO LIVRO “PEDACINHOS DA COPA”

Tricolores de sangue grená, o empate com o Vasco nesta última quinta-feira poderia ser encarado como um bom resultado se nossa situação não fosse tão periclitante na tabela de classificação. O foco infelizmente mudou para a luta contra o rebaixamento e, enquanto não conseguirmos resultados melhores em sequência, provavelmente seguirá nessa toada. Atualmente (sem considerar os resultados de sábado), o Fluminense se encontra na 12ª posição, com 15 pontos, a distantes seis pontos do G6, e apenas a dois pontos da temida zona de descenso. Queiramos ou não, estamos caminhando sob gelo fino e na beira de um abismo. O espaço para errar acabou, e ainda que a contratação de Marcelo Oliveira seja um alento, já que nomes cabulosos estavam sendo ventilados para o cargo de técnico do Flu, não dá pra falar do restante do elenco com a mesma sensação de alívio.

A Copa chegou, foi embora, e o Fluminense ainda não contratou meias. É impressionante. Agora que temos Sornoza em má fase e Luquinhas sem nem fazer sombra, sobrou para os volantes e atacantes fazerem esse papel. Marcos Jr. e Jadson são os mais recorrentes no quebra-galho, mas muitos já passaram e, pelo visto, passarão por esse processo. Até quando? No vaivém, Luan Peres, que mal jogou, foi vendido. Nathan, que pareceu ter um início promissor, foi emprestado. E, como compensação para a posição, veio o bom(?) e velho Digão. Enquanto isso, o Reginaldo permanece na Ponte. Mas não foi só isso. Acabamos de vender o Douglas para o Corinthians, numa transação que rendeu R$ 4,6 milhões, segundo a mídia esportiva. Tudo bem que temos muitos volantes no elenco, mas peças piores ficaram. Porém, não é isso o que me preocupa.

Nós trouxemos, também, três – eu disse três – atacantes, todos por empréstimo: Junior Dutra, que era reserva no Corinthians, e que – segundo dizem – veio para ser reserva do Pedro, Everaldo, jogador que se destacou no São Bento, e Luciano, que já teve passagem pelo Corinthians e que estava no Panathinaikos, da Grécia. Se a contratação desses três significar que temos um reserva para o Pedro e que vão mandar Dudu e João Carlos catarem coquinho, maravilha. Mas meu temor é que nossos atuais titulares, Pedro e Marcos Jr., é que estejam na mira de Abad & Cia. Desnecessário dizer que os jogadores em questão não são cracaços incontestáveis, mas no atual elenco do Flu, são titulares sem fazer muita força: Pedro é a máquina de gols do time, e Marcos Jr., o motor ofensivo, tricolor pra caralho e que sua sangue a cada partida. Os dois não podem ser vendidos de jeito nenhum, principalmente se formos receber uma pipa e duas mariolas, como é de costume nas transações do Abad.

Ainda estamos negociando com Bryan Cabezas, que jogou junto com Sornoza, e que estava no Atalanta. Vários veículos de mídia já dão como certa a contratação, e seria mais um atacante a engrossar um elenco já lotado deles. Em alguns sites, vi a informação de que tanto Everaldo quanto Cabezas seriam meias-atacantes. Não sei se procede, mas Everaldo está registrado no site oficial do Fluminense como atacante. Eu queria tentar entender a lógica das contratações, mas uma fala do Marcelo Oliveira, dizendo que estão tentando contratar meias, mas que está difícil, revela que provavelmente alguns desses atacantes devem ser improvisados mesmo como meias-atacantes, como o próprio Marcos Jr. às vezes tem sido (e como já tentaram fazer com o Robinho, que, aliás, podia meter o pé também). O problema dos meias é urgente e precisa ser solucionado logo para que sejamos mais competitivos.

Hoje temos um duro compromisso na Ilha do Retiro, pegando um Sport que perdeu dois dos três últimos jogos (um deles pro lanterna Ceará) e, em que pese esse retrospecto, está à nossa frente e, portanto, se quisermos pensar ainda em G6, é adversário direto nosso. Já perdemos pontos demais em casa e fora, e não há outro resultado que nos interesse que não seja a vitória, principalmente porque na sequência enfrentaremos o Palmeiras no Maracanã, no meio de semana, e o Ceará no sábado que vem, no Presidente Vargas. Não sei como, mas temos que tentar fazer nove pontos e voltar a olhar pra cima. Marcelo Oliveira sinalizou que vai com três atacantes, já que não terá Jadson, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Que essa postura ofensiva, que aliás apareceu contra o Vasco em vários momentos, se mantenha para que possamos subir na tabela e voltarmos a ter alegrias no Brasileirão.

Curtas:

– Se tivéssemos um meio mais organizado, poderíamos ter vencido o Vasco e seu goleiro milagreiro.

– Falando em goleiro, tudo bem que o De Amores infelizmente vive machucado, mas já poderiam ter dado uma chance pro Rodolfo né? Contudo, conta-se à boca pequena que Marcos Felipe, o quarto goleiro, é o melhor do elenco. Tenho fé que com o Marcelo Oliveira não teremos panela e o rodízio nessa posição finalmente acontecerá.

– Dodi não dá, Marcelo.

– E esse jogo pela Sul-Americana que não chega! Só dia 2!

– Meu filho Ícaro nasceu e passa bem. Eu queria tirar uma foto dele com uma roupinha tricolor, mas ele ainda está muito pequeno e as roupas que ganhamos são maiores. Assim que possível vestí-lo-ei a caráter para torcer pelo Fluzão e publicarei uma foto dele aqui. Paciência!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri 

2 Comments

Comentário