Outro time (por Marcus Vinicius Caldeira)

tupi 0 x 3 fluminense 2014 nelson perez ffc

Mais uma vitória do novo Fluminense comandando por Cristovão Borges. Mais uma com pelo menos três gols marcados. Mais uma sem sofrer gol. Este é o Fluminense dos últimos três jogos. Um time totalmente oposto ao que vinha jogando sob a batuta do Renato Gaúcho, trazido por Celso Barros a contragosto da diretoria pela “bagatela” de quinhentos mil reais de salário.

Desde que chegou, Cristovão desmontou o esquema com três volantes do Renato e colocou Wagner para jogar junto com Conca no meio-campo. Com isso, temos um quarteto ofensivo de muita qualidade já que a estes dois somam-se Fred e Sóbis. Mas a principal mudança foi de atitude da equipe. O Fluminense de Cristovão marca forte, se desloca muito e, principalmente, ataca muito. É um time que joga procurando o ataque o tempo todo e faz muitas finalizações por jogo. Se a partida de ontem terminasse 6 x 0 para o Tricolor não seria nenhum espanto.

Como é bom ver o Fred recuperando o seu bom futebol, jogando disposto e feliz com o que faz. Parece que, depois daquela fundamental entrevista ao “Esporte Espetacular”, nosso camisa nove tirou um peso de si e passou a jogar de novo com amor e com leveza. Fez dois. Poderia ter feito o hattrick.

Sóbis é outro que mudou da água para o vinho com a vinda de Cristovão. Mudou os ares. Wagner com a nova oportunidade também melhorou muito o seu futebol. Tem se deslocado muito e procurado o jogo sendo uma válvula de escape pela esquerda. Se caprichar um pouco mais no chute e no último passe, será peça importantíssima no esquema do Cristovão.

A defesa tem sofrido poucos ataques e quando é atacada tem se comportado bem. Ontem, o garoto Wellington Carvalho entrou muito bem e não sentiu o peso de jogar no time profissional.

Outro que cresceu muito com a chegada do Cristovão foi Bruno. A jogada do terceiro gol é a prova disso. Tocou, deslocou, recebeu na frente e cruzou na cabeça do Walter – que entrara no lugar do Fred. Jogou muito o Bruno.

Como é bom ver o Conca de novo com a camisa do Fluminense. Passes mil, dribles e entrega total em campo. A última jogada da partida foi uma pintura. Um drible de futebol de salão e uma bomba na trave.

Não sei qual foi a porção mágica do Cristovão para fazer um time apático e entregue – como estava este time antes da chegada do treinador – jogar com disciplina tática e muita entrega. Talvez seja só trabalho do treinador mesmo, que com muita humildade e fala mansa vem conquistando a todos nós.

Tudo bem que ainda não tivemos nenhum adversário mais forte. Mas, três jogos, onze gols marcados e nenhum sofrido, fora o volume de jogo que o time vem apresentando, são números significativos.

Que o Fluminense continue nessa toada.

Ainda precisamos de reforços que, se vierem da forma que esperamos, nos tornam candidatíssimos ao título tanto na Copa do Brasil quanto no Brasileiro.

Que venha o Palmeiras.

O time de guerreiros voltou.

Obrigado, Cristovão.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @mvinicaldeira

Imagem: FFC/ Nelson Perez

3 Comments

  1. Mudou mesmo e muito! É um novo time sob o comando do CristóBOM, um cara de fala mansa, seguro, sem estrelismo, que conversa com o jogador no vestiário até os últimos segundos.
    VAMO-QUE-VAMO!
    ST!

  2. A diferença na postura é fácil, sai boleiro fanfarrão rei do rio – nós ganhamos, vocês perdem – entra fala mansa, humildade e trabalho.
    A solução tática é mais simples ainda, baseia-se na simplicidade lógica, o elenco tem perfil técnico, cadenciado, relativamente envelhecido e com defesa claudicante; assim troca-se o contra ataque que não colaria jamais por posse de bola e recuperação avançada desta, injeta-se criatividade no meio e marcar na frente = menor distância percorrida correndo…

Comments are closed.