Os dilemas de Diniz (por Hugo Jácome)

O Fluminense de Fernando Diniz parece viver um grande dilema: jogar bonito ou ter resultados? Os resultados não estão aparecendo, mas, espera! Temos jogado bonito? A resposta também é negativa. Grande parte da imprensa diz que sim, que dá gosto de ver, alguns torcedores vão na onda, mas, ao menos no meu modo de ver, o time de Diniz não tem jogado bonito há tempos.

O time do Diniz começou, de fato, encantando. O trabalho era interessante, envolvia o oponente, estava na cara do gol o tempo inteiro. E, apesar de alguns contra-ataques, não sofria tanto. Hoje, não é mais assim.

Há um ilusório domínio de jogo, tem mais posse de bola, ronda a área adversária, mas cria poucas situações claras de gol. No geral, são finalizações sem muito perigo ou com excesso de toque de bola no campo ofensivo e pouca ânsia de fuzilar a meta.

Ao se posicionar na intermediária ofensiva com um grande número de jogadores, se perde a bola, o sistema defensivo fica exposto. O ataque e o meio deveriam brigar para destruir as jogadas adversárias, atacando quem tomou a bola para roubá-la ou, pelo menos, para retardar o ataque oponente até a defesa se reestruturar. Isso não tem acontecido.

O Fluminense tem ocupado a área ofensiva, sem agredir com contundência e, quando perde a posse, o oponente constrói sua jogada em velocidade. A consequência é a defesa exposta, com os meias e atacantes adversários em transição rápida e no mano a mano.

O resultado disso tudo: uma das piores defesas do campeonato e a que precisa de menos finalizações do adversário para sofrer um gol. Claro! É a mais exposta e a que menos dificulta o chute contra o gol tricolor.

Diniz precisa equilibrar seu time, cobrar dos seus homens de meio para que recomponham em velocidade e de seus atacantes para que matem os contragolpes ainda no seu nascedouro. Caso contrário, a defesa, que já tem graves deficiências, só expõe sua fragilidade e faz a festa dos outros.

E mais: Diniz precisa enxergar melhor o rendimento dos seus jogadores e ter autocrítica do trabalho. Tem dito com frequência que joga bem, mas o resultado não vem, o que não é verdade.

Cria-se, assim, o dilema: jogar bonito ou ter resultado? O Fluminense do campeonato brasileiro não tem nem um, nem outro…

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

5 Comments

  1. boa análise, Sucesso como comentarista!, tá no DNA hehe.
    acho que já melhoraria muito saindo o Daniel e colocando o Caio Henrique no meio. Mascarenhas na lateral e/ou buscar outro na base e idealmente contratar um de bom nível (dificil sem dinheiro). Zagueiro precisamos contratar também. abs

  2. Essa tese de que o Flu joga bonito mais não vence, deverá ser equivalente a joga feio mais perde. Vencer ou não, a meu ver não está ligado a nenhuma das teses. Se nossos atacantes tivessem feito os gols conforme as oportunidades que tiveram, estaríamos, talvez, na primeira página da tabela. Na minha opinião, o Flu tem jogado com inteligencia, com padrão de jogo definido, que era sempre do que reclamava a torcida_ Que éramos um bando em campo com os treinadores que jogavam feio. Contra o Galo,…

  3. Finalmente li uma postagem que condiz com o que penso e prego a respeito do Fluminense de Diniz, que tem duas únicas alternativas: mudar ou cair. E eu não gostaria, de forma alguma, de amargar uma série B, assim como todos os tricolores certamente não o querem.
    Saudações tricolores!

  4. Sofremos uma falta acintosa do goleiro adversário, fora da área, com atacante tricolor em condições de marcar, portanto o goleiro deveria ser expulso, o que mudaria o panorama da partida..O juiz eo war ignoraram o lance. Que culpa tem o Din iz. ST.

Comments are closed.