O Fluminense em campo (por Juliana Rolhano)

flu 1904

O Fluminense em campo.

Justificativa perfeita para colocar pra fora todo amor que está abrigado no peito.

Motivo de alegria, euforia e gozo. Que não é de hoje.

Razão para sacrifícios por amor à camisa.

Por amor ao futebol.

Desculpa mais que perfeita para sair mais cedo do trabalho para chegar ao estádio.

O Fluminense em campo.

Causa de muitas paixões. Muitas brigas. E muito mais reconciliações.

Motivo de agitação, desespero e ansiedade.

Explicação da mais perfeita combinação das cores verde, branco e grená.

Circunstância que traduz a glória. Que não é de hoje.

Hoje, o Flu vive um caos em sua gestão.

Está cada vez mais difícil e complicada a situação do Fluminense.

A realidade burocrática, administrativa e política que o time enfrenta, pesa nos corações tricolores. Tem o peso de uma tonelada.

O Fluminense em campo.

Deixou de ser o foco.

Tem entristecido torcedores.

Tem trazido à tona toda a recordação nostálgica de um tempo que não volta, mas que está vivo nas memórias mais apaixonadas.

O Fluminense em campo.

Não pode ser motivo de pesar.

O Flu no grande palco de gramado verde é sinônimo de devoção, fascínio e respeito.

Respeito à sua história.

Ontem, hoje e sempre.

Enquanto isso anoitece em certas regiões/ E se pudéssemos ter a velocidade para ver tudo/ assistiríamos tudo/ A madrugada perto da noite escurecendo ao lado do entardecer/ a tarde inteira logo após o almoço/ O meio-dia acontecendo em pleno sol/ seguido da manhã que correu desde muito cedo/ e que só viram/ os que levantaram para trabalhar no alvorecer que foi surgindo

“Enquanto isso”, Marisa Monte & Nando Reis, 1993

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Comentário