O Fluminense e a reta final (por Crys Bruno)

crys bruno green

Oi, pessoal.

Iniciamos setembro com a expectativa da maratona de jogos para definir se o Fluminense chegaria na briga na reta final ou morreria na praia da sua instabilidade. E não é que entraremos outubro sem a resposta?

A dois pontos do G4, o time, sim, está na briga por uma vaga na Libertadores mas não podemos afirmar que é regular em suas atuações. Ao menos a garfada à machadadas da arbitrgame, que salvou o Corinthinas da eliminação por razões óbvias, serviu para dar vida e sangue a alguns jogadores, o tesão da competividade, a indignação da derrota. Obrigada, “gambás”!

Ainda assim, quem conseguiria não temer novos tropeços da montanha russa que tem sido nossa campanha? Das próximas quatro partidas, jogaremos três em casa. Sábado, receberemos o campeão brasileiro de 1987, Sport. Excelente chance de verificar se o time manterá o sangue vivo nos olhos que mostrou no Itaquerão.

Com Pierre mas sem o centroavante-pivô, mais cornetado por mim como poste, vulgo cone, o time fluiu bem, embora prefira mais um atacante e Cícero de volante. Para sábado, faria isso. Iria com Scarpa mais solto, com Maranhão e Wellington como pontas e Magnata de centroavante. Vou querer à toa. Levir vai de Pierre e Marcos Jr. – logo, não arriscará. Se der, deu; se não der, ele virá com as desculpas que todos os técnicos dão e seguiremos.

Mesmo com Pierre, que trava o meio-campo sem garantir a proteção constante à zaga, dá para o Fluminense beliscar o G4. “O algo mais” que falta, como bem lembrou Cícero, pode ser o tal sangue nos olhos que vimos contra o Corinthians… A gana da conquista, o tesão pela vitória, com postura de time grande que se impõe onde for. É o “algo a mais” que espero. Vamos, Fluzão!

::Toques rápidos::

– Anúncio da aquisição do terreno junto ao município para a construção do Estádio foi eleitoreiro? Totalmente.

Isso torna o candidato do Peter, Pedro Abad, o melhor para o clube? Claro que não.

O anúncio de um projeto sem planejamento e sem parceiros definidos soa obsoleto? Sem dúvida.

Você preferiria, como eu, que se trabalhasse na reforma das Laranjeiras, nossa casa, nossa terra, nossa grama e história, o primeiro estádio construído no país para receber uma competição internacional? Seria viável na opinião de muitos profissionais.

Mesmo assim, que seja o início, o primeiro passo rumo a uma necessidade fundamental para um melhor rendimento com fidelidade do torcedor, que resulta na busca de títulos do futebol.

P.S: Um estádio só para a prática do futebol é irrealista. Nenhum estádio ou arena se sustenta mais sem a possibilidade de ser palco para outros tipos de entretenimento, hein? Cuidado com o populismo, “fellows”!

– Sensacional a resposta do Levir ao repórter “corinthiano” e antifluminense na coletiva após a vitória de domingo, que trocaria pela derrota da quarta…

-A conta oficial do Corinthians numa rede social falou sobre rebaixamentos e tapetão. Alguém precisa ter uma imbecilidade fenomenal, ou total falta de noção sobre o futebol brasileiro, para afirmar ou concluir que um clube, com tal poder político de se salvar do rebaixamento extracampo, acabe a competição no Z4, tendo em vista a arbitragem da CBF. Assim sendo, é leviandade e canalhice mesmo de quem veste o Fluminense com essa carapuça, concluo.

– E sábado, 11 horas da manhã, A BAIXADA É FLUMINENSE! É invasão, Mesquita! Giulite Coutinho, caldeirão! E com todo respeito ao campeão brasileiro de 1987, claro: à vitória, Fluzão!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @CrysBrunoFlu

Imagem: brun

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres