Novos tempos (por Mauro Jácome)

214 - 29102014 - Novos temposO ano de 2015 começou. Carlinhos já anunciando sua saída, outros ameaçando e algumas contratações (Guilherme, Edson, Renato). Ao contrário de anos anteriores, não há expectativa de superelenco. Parece que tudo vai ser mais modesto. No entanto, uma classificação para a Libertadores pode dar maior ambição a Peter e Celso.

A propalada saída de Carlinhos, somada à indefinição quanto à renovação dos contratos de Diego Cavalieri, Gum, Diguinho e Valencia, dão o indicativo de que teremos um novo estilo de vida, com menos grife.

Desses aí, certamente, sentiríamos falta de Diego Cavalieri. Os reservas Kléver e Felipe Garcia não são confiáveis ou, ainda, não foram testados, caso de Júlio César e do garoto Marcos Felipe. Preocupante.

Apesar de não ser nenhum artista da posição – longe disso – o Gum faria falta também. O zagueiro nem é unanimidade, mas eu não gostaria de vê-lo sair. Dentro da nova política tricolor e da realidade do futebol brasileiro, nosso guerreiro está bem na foto. Juntamente com Marlon e Guilherme, formaria uma boa base e restaria a contratação de mais um ou o aproveitamento de alguém da base.

Tecnicamente, Carlinhos é um bom lateral, mas é muito instável o que o torna pouco confiável. Valencia cumpre bem sua função de cão-de-guarda, mas contunde-se muito e o seu custo/benefício é desfavorável. Diguinho pode tomar rumo.

Dos emprestados

Michael tem vaga no elenco. Ótimo reserva para Fred. Ou até titular, pois já especularam a saída do artilheiro. Martinuccio é um desperdício de jogador. Lembrando alguns jogos que fez pelo Fluminense, pelo Cruzeiro e agora pelo Coritiba, percebe-se qualidade, mas é de uma preguiça… Não é nem sombra daquele jogador do Peñarol. Pena. Higor jogou muita bola nas categorias de base, mas teve dificuldades no time principal. Moderno, joga de intermediária a intermediária. Nunca mais o vi em campo. Tem muito garoto que arrebenta na base, mas quando chega no meio dos adultos, some. O empréstimo seria para pegar maturidade, mas, parece, quase não jogou pelo Criciúma. Difícil formar opinião.

Do Samuel, nunca gostei. Perderam o timing para passá-lo nos cobres, então, por mim, continuaria “emprestável” (ou “imprestável”, como queiram). Wellington Silva, que está no Inter, pode ficar por lá e, se não quiserem, joguem no Guaíba. Tem outros que vieram da base e também estão emprestados: Marcos Junior, Wellington Carvalho e Igor Julião. O atacante já foi utilizado várias vezes e nunca apresentou futebol para ser titular. Compor elenco? Talvez nem isso. Igor Julião começou bem, depois caiu. No entanto, o time estava em péssima fase. Não sei se os EUA estão lhe fazendo bem. O zagueiro Wellington Carvalho não teve chances ainda. Quem sabe? Resumo: não podemos esperar grandes surpresas com essa turma que vai voltar para as Laranjeiras. Acredito que a maioria sairá novamente.

Contratações? Já falei em outra coluna: precisamos de gente com qualidade, mas com fome. Nada de pegar gente do estoque de boleiros que já deram o que tinham que dar. O Cruzeiro é um exemplo a ser seguido. Vários jogadores que estão fazendo a diferença estavam no mercado: Henrique, Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e Marcelo Moreno. Há outros e este é o momento de dar o bote, antes que outros o façam.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: osaciperere.wordpress.com

2 Comments

  1. O Higor é bom jogador e se não se firmou foi porque o Abel só dava chance ao Fabio Braga; vide o Rafinha, que nunca jogou com o Abel e quando finalmente foi escalado foi aproveitando e agora já é uma realidade. Nâo vi ninguém falar do Eduardo – meia que está no Ceará _ outro bom jogador, que não é titular, mas tem entrado sempre, marcando gols e vi algumas boas atuações dele no clube cearense. Estes dois mais Robert e Gerson, creio que teremos boas opções para meias…

  2. O Eduardo estava emprestado ao Ceará, vi uns bons jogos dele, principalmente contra o Inter na Copa do Brasil, porém como o Ceará está em queda livre……..

Comments are closed.