Não se desesperem! (por Marcelo Savioli)

Amigos, amigas, não se desesperem. Todos no Maraca terça-feira para conquistarmos juntos a vaga nas quartas de final da Sul-Americana.

Não sei se podemos dizer que a derrota para o São Paulo foi um acidente. O que posso dizer é que a vitória deles foi construída em dois lances fortuitos.

A constar, um frango de Muriel e um pênalti casual, bem marcado pela arbitragem, uma vez que a bola tinha o rumo do gol quando interceptada pelo braço de Allan.

Não quer dizer que o Muriel seja o pior goleiro do mundo, tampouco que o Allan não seja nada do que pensávamos. As coisas precisam de tempo. Não dava para dizer que contratamos o melhor goleiro do mundo, mas não temos, a partir de agora, o maior frangueiro do planeta.

Jogamos uma partida bem mais ou menos, com Daniel demonstrando um cansaço intelectual e Caio Henrique errando muito além do normal. Individualmente, salvaram-se Marcos Paulo e Yony González.

O resultado, mesmo assim, foi injusto, mas futebol não é justo. Pelo menos não na maioria das vezes. Eles fizeram bem o trabalho deles. Conseguiram bloquear nossas jogadas no último terço do campo. Foram compactos e acharam dois gols.

Não vamos sair da zona de rebaixamento em um jogo depois de termos nos enfiado lá. O Cruzeiro perdeu em casa para o Athlético PR. O Palmeiras, líder, não conseguiu ganhar do Vasco em casa. A coisa está feia para todo mundo.

O que ninguém percebeu é que o futebol brasileiro está evoluindo devastadoramente do ponto de vista tático. Até o profexô está ligado.

Mais cedo ou mais tarde, vai aparecer o trabalho de quem faz diferente. O trabalho do Diniz vai aparecer. Tem que ter paciência, não pelo jogo, mas pelos resultados. Mesmo jogando pouco, poderíamos ter vencido.

Saudações Tricolores!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

3 Comments

  1. Infelizmente nossa torcida só pensa em trocar de técnico. Impressionante como nos acostumamos com isso. Será que os dirigentes atuais serão capazes de suportar a pressão? ST.

  2. Boa tarde. O VAR, para o Fluminense, é uma sala de sádicos. Pode ter batido na mão? pode. Mas quem viu? Aí é que mora o perigo. Ninguém viu, ninguém reclamou. O escanteio sacramentado. Mas tem que ter havido alguma coisa, temos que achar. O jogo do Bahia foi o exemplo clássico. Bola na Intermediária do Bahia e…. VAR. Agenor defende e, pasmem, mandam voltar. Contra a Chape, penalty escandaloso e foi preciso uma “blitz” tricolor para chamar quem? o VAR! E contra o Goiás? Não sejamos ingênuos…

    1. Eu não tenho a menor dúvida disso. No meu entendimento, houve o pênalti, mas é claro que, sendo contra o Fluminense, os caras ficam até ansiosos para marcar.

      ST

Comments are closed.