Mudanças (por Gustavo Reguffe)

O Flu não jogou, mas os acontecimentos desta terça-feira passada a tornaram um dia importante para a definição da estratégia do time daqui pra frente, especialmente pensando-se em Libertadores.

Foram confirmados um estiramento de grau 2 sofrido por Thiago Neves pela manhã, além da fratura no calcanhar de Wellington Silva.

Mais pro fim da noite da mesma terça, o Grêmio perdeu para o Caracas fora de casa e aumentou sensivelmente a importância do jogo de volta contra o Flu em Porto Alegre no dia 10 de abril, para as duas equipes.

O grupo ficou embolado e qualquer vacilo pode custar a classificação.

No que se refere às contusões, elas vêm reforçar a necessidade de mudanças.

Lamento muito que o Thiago tenha que passar por isso justamente quando seu jogo parecia estar crescendo a cada partida.

Na direita, perderemos a chance de tentar um rodízio entre Bruno e Wellington Silva, o que é sempre saudável, ainda mais quando parece estar faltando mais motivação por parte dos jogadores.

Também por isso é fundamental que Abel aproveite esses cinco jogos seguidos contra times pequenos no Carioca para fazer os ajustes necessários.

Quem sabe dar mais espaço aos garotos da base como Marco Jr. e Higor, por exemplo, e voltar com Valência que, afinal, não perdera a vaga por motivos técnicos.

Além das correções táticas que se fazem necessárias, é importante que isso se traduza em vitórias nestes próximos jogos.

Como falei acima, o jogo com o Grêmio pela Libertadores não vai ser moleza e seria bom que chegássemos com o moral elevado.

Aliás, tenho muita curiosidade em relação à postura do time para este jogo.

Afinal de contas, apesar de a vitória do Caracas sobre o Grêmio ter nivelado mais o grupo, é bom lembrar que, além de ser o líder, o Fluminense é o único dos quatro a ter a possibilidade de garantir uma vaga já na próxima rodada…

Gustavo Reguffe

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

8 Comments

  1. Gustavo,

    Discordo de você que, com a derrota do Grêmio, a coisa ficou embolada e que com qualquer vacilo podemos perder a classificação.

    Pelo contrário. A vitória do Caracas nos deixou a uma vitória da classificação. Independentemente de qualquer outro resultado.

    Temos sete pontos. Com uma vitória (ou sobre o Grêmio, ou sobre o Caracas) vamos a dez e impedimos um desses dois clubes de chegar aos mesmos dez pontos.

    Ou seja, ainda que percamos do Grêmio lá (há algo que me diz que isso não ocorrerá), basta vencer o Caracas em casa para garantir a classificação.

    Sem saldos, sem contas, sem nada. Simples assim. A uma vitória da segunda fase.

    1. Walace,

      A classificação teoricamente ficou mais fácil, pois basta uma vitória. Acontece que se não conseguirmos pelo menos o empate no Sul, provavelmente jogaremos em casa na última rodada com a obrigação da vitória. Mas tomara que o algo que te diz que não perderemos no Sul esteja mais do que certo.

      Um abraço.

    2. Walace,

      Talvez não me tenha feito entender muito bem. Concordo com você que, na teoria, é fácil, mas se o Grêmio tivesse saído com a vitória de Caracas, estaria isolado com 9 pontos e jogaria com o Flu bem menos pressionado; um empate já seria bom resultado pra eles. Agora, em segundo lugar empatado com o time da Venezuela, eles têm que ganhar em casa. Também gostaria de apostar no seu pressentimento mas a derrota não é impensável, ainda mais se considerarmos o chocolate que tomamos aqui. Como já disse, a postura lá tem que ser outra para evitar jogar a última partida com a obrigação de ganhar (mesmo o adversário sendo o Caracas…).

      Abraço

      1. Estava levando pelo lado do que precisamos. Se o Grêmio ganhasse, passaríamos a depender da torcida por outros resultados, já que o jogo entre Huachipato e Caracas poderia gerar problemas para nós, fazendo com que dependêssemos de uma combinação de resultados.

        Enfim, o jogo contra o Grêmio seria difícil de qualquer maneira. O inadmissível é jogar “pressionado” por ter de ganhar em casa de um time venezuelano.

        Vai ver falte isso, esse time ser um pouco pressionado para voltar a funcionar como antes…

  2. Com a contusão de Welington Silva , Abel poderia muito bem voltar a dar chance para o Igor Juilão , que fez muiito bem a latera direita quando entrou .. Fernando quando entrou pela esquerda , entrou com mais vontade do que Carlinhos que apesar do bom futebol , não se dá conta de que se ele se esforçar mais , vira o 6 da amarelinha enquanto o também nosso Marcelo a “recusa” .. O nome do texto é perfeito , tá na hora de “mudanças” . ST !

  3. Perfeito, Gustavo ! Só queria acrescentar que, para a lateral direita, temos também o Wallace, (que foi vendido, mas só vai no meio do ano), que é 1.378.485 vezes melhor que o Bruno. No ano passado, ele jogou algumas vezes e foi muito bem. Mas o Abel, além de demorar um século para tirar um jogador que esteja jogando mal, tem medo de colocar um garoto da base, mesmo ele tendo entrado e jogado muito bem. Além disso, ele adora o Bruno pq é defensido e não sobe nunca (deu uma declaração sobre isso mais de uma vez).

  4. Se tiver que gastar fostato com a preocupação de que o Flu pode não conseguir vencer o Caracas no Rio, melhor desistir da Libertadores agora!

    1. Sou obrigado a concordar, Jorge: se não passar pelo Caracas em casa, não merece seguir em frente…

Comentário