Mudanças e recomeços (por Erica Matos)

Gol Robert“É hoje o dia da alegria

E a tristeza, nem pode pensar em chegar

Diga espelho meu 

Se há na avenida alguém mais feliz que eu”

Samba Enredo 1982 – É Hoje

G.R.E.S União da Ilha do Governador (RJ)

A cada inicio de temporada, sempre temos a sensação de que o time do Flu (ou mesmo outros em geral) está jogando um tanto arrastado, pois não teve tempo hábil para sincronizar a nova equipe e a tal pré-temporada tem poucos treinos, muitas especulações e parece ser tudo, menos preparação.

Este ano, por conta de toda a questão que envolve a máfia da FERJ, ficamos desanimados e sem estímulo. De que adiantou programar a ida ao primeiro jogo no Maracanã se tudo foi mudado seis dias antes? A sensação de que este campeonato está sendo comandado pelo presidente de um outro clube é desanimadora. Onde será o nosso próximo jogo? Perguntem ao Eurico.

Além das chateações citadas no parágrafo acima, tivemos muitos fatores internos que fizeram da transição 2014/2015 algo pesado de digerir. A saída da ex-patrocinadora era necessária e aconteceu. Junto, vieram muitas surpresas.

Toda mudança brusca é difícil. Foi difícil engolir uma marca, que considero fraca, estampada na camisa do meu time. Pior ainda é vislumbrá-la com um quadrado silkado por cima da logo da ex, o que deixa o atual uniforme dos jogadores em campo feio demais. Entendo que o tempo seja curto e que o improviso foi necessário. Não tiro o mérito de quem trabalhou, mas isso também não tira o meu direito de ver que está feio.

Eu estava acostumada a ver uniformes bonitos há alguns anos…

A saída do Conca foi outro fator que abalou torcedores. A preocupação de como ficaria o time sem o argentino era grande (e ainda é). A renovação do Fred foi comemorada por alguns e detestada por outros, embora pareça estar em ótima fase neste Carioca.

No entanto, um clube que passa por fase monetariamente delicada não poderia se dar o luxo de fazer um contrato longo um jogador que terá vida no futebol (por conta da idade), em um contrato altíssimo fora da realidade econômica. Será que vai valer a pena? De coração, espero que sim. Ele já fez muito pelo clube e espero que faça ainda mais. Que saia como ídolo e que honre a camisa e o salário altíssimo que ganha, sem que abra a boca para falar besteiras.

Mas verdade é que, hoje, todos os problemas que vivenciamos junto ao clube nesses últimos dois meses, estão sendo aliviados pelos resultados em campo.

O time precisa de mais entrosamento sim. Mas ver os jogadores correndo, ver um gol lindo do Robert na terceira rodada, ver a aplicação, tudo isso confirma que temos muitas joias vindas da base e que a superação já é uma máxima na vida deste jogador, que passou por uma fase delicada.

Voltando ao Fred – sim, eu costumo cobrá-lo muito, mas não posso deixar de reconhecer que está tendo a postura que todos esperavam. Ele colocou o rabo entre as pernas e está mostrando muito trabalho. Que continue assim. É líder, experiente e deve ser exemplo de postura aos novatos. O “padrinho” foi embora e chegou a hora de pensar antes de falar.

O fato é que estamos felizes. A hora é de união e estamos vendo isso na torcida. As divergências nas questões da “pré” foram desgastantes. Agora vamos dar as mãos em prol de um time que não vai deixar de existir e nem enfraquecer porque teve a saída do “grande” investidor.

Antes ter pequenos patrocínios e saber que vamos elevar tais marcas. Melhor viver com menos e saber que o Fluminense voltou a ser só nosso.

Em 2014, tivemos um inicio de temporada com derrota. Este ano, tivemos quatro vitórias seguidas e, mesmo sabendo que isto não é garantia de muita coisa, é bom ver que somos lideres isolados do “Euricão 2015”.

Continuemos assim, firmes, fiéis e seguindo com o Fluminense.

O Flu nunca pertenceu a ninguém e esta sensação de liberdade juntamente com um time mais simples, porém nosso, tendo um belo início de temporada, está sendo boa demais.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @erica_matos

Imagem: Bruno Haddad / Fluminense FC

#SejasóciodoFlu

Copa

3 Comments

  1. Estão atacando o Eurico, ele só está defendendo um direito histórico do Vasco conquistado dentro do campo, estão se aliando ao verdadeiro inimigo, aquele q recebe as maiores cotas, sem merecer e ñ admite q mexam nisso essa coisa d torcuda no estádio é bobagem, pois além disso o nosso lugar é o esquerdo, o inimigo pode até ser esse arremedo de presidente da Federação mas é tb a Rede Esgoto, os maloqueiros e os mulambentos pensem e reflitam, lugar em estádio é babaquice o q vale hj em dia é grana

    1. Babaquice é querer que tudo seja como d´antes no quartel de Abrantes. O Vasco não assinou contrato nenhum com o Consórcio e tem seu próprio estádio. Ele que mande lá. Nós mandamos cá. O lado direito é NOSSO e acabou! O Vasco tinha o direito de ocupá-lo enquanto o estádio era público. Não é mais. Agora vale o que tá em contrato, gostem ou não. A torcida do Vasco SEMPRE veio de São Cristóvão. Logisticamente, faz mais sentido eles ocuparem o lado esquerdo que o lado direito, o resto é birra!

  2. Quem deu esse direito histórico ao Vasco?

    O time do Eurico já tem estádio.

    Se queria o Maracanã tb, que fizesse contrato com a concessionária.

Comments are closed.