A maturação dos novos guerreiros tricolores (por Paulo Rocha)

Depois da terra arrasada deixada pela administração anterior, o Fluminense vem enfrentando um desafio após o outro na atual temporada. O mais recente foi cumprido com bravura: a LDU, adversária que já nos vitimou abrindo purulentas feridas em nossa alma, foi mandada para o caralho na Copa Sul-Americana.

As palavras de Scarpa após o apito final em Quito me encheram de alegria. Não foi ele, ou o time atual, que perdeu as decisões continentais de 2008 e 2009. Contudo, no seu subconsciente e no de seus companheiros, era a chance da vingança. Esse sentimento de torcedor me deu a certeza de que a camisa tricolor está sendo vestida de verdade.

Essa identificação com a torcida, com os anseios dela, brota somente naqueles que aprenderam a amar e respeitar a instituição. O clube que os alimentou, que os educou, que os formou como homens (tal qual Abel se orgulha tanto em dizer). São os moleques de Xerém. São vencedores, ganharam tudo o que podiam na base.

Sim, esse é o espírito do Fluminense. Guerreiros desde o nascedouro, eles pecam às vezes pela inexperiência natural da juventude. Mas não se omitem, lutam até o fim. Foi por pensarem desta forma que Pedro, quase ao apagar das luzes, garantiu a nossa classificação.

Vou dispensar o tom mais crítico – e analítico – para saborear a delícia que foi eliminar a LDU. Pois, mesmo com as falhas, com as bobeadas, não desistimos de lutar. Os novos guerreiros passaram por mais uma etapa de sua maturação, E nossa torcida precisa dar a eles todo o carinho que fizeram por merecer.

Superado o fantasma equatoriano, teremos pela frente um rival de batalhas épicas, inimigo centenário. O caminho do paraíso é feito por cascalhos que espetam os pés, mas a recompensa de atingir o objetivo tem gosto doce. Alimenta a alma. É atrás dela que iremos.

Um detalhe importante: enquanto não vêm os Fla-Flus decisivos da Copa Sul-Americana, é vital esquecê-los e concentrar as forças no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, enfrentaremos o Palmeiras, no Maracanã, e precisamos vencer. Nossa torcida tem a obrigação de dar aquela força ao time. Teremos Dourado de volta. Podemos vencer, é só acreditar.

Para finalizar: onde deve andar aquele dirigente equatoriano de merda autor da pérola “Não é um Fluminense que irá superar a LDU”. Deve estar em casa chorando as mágoas no colo do marido. Vai tomar no cu, LDU. Vá para a puta que a pariu e nunca mais volte. Nenseeee!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: paro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres