Liverpool-URU 1 x 0 Fluminense (por Paulo Tibúrcio)

INFORMÁTICA PARA PEQUENOS E MÉDIOS AMBIENTES

Era para ser um jogo mais tranquilo. Enfrentaríamos um adversário sem muita tradição em torneios sul-americanos e que vem mal no campeonato uruguaio. A torcida dos Negriazules não compareceu, noa aliviando da incômoda pressão que este tipo de jogo proporciona à equipe visitante. Era para ser tranquilo. Mas não foi. Acabamos passando por uma dificuldade desnecessária, quase resultando em um revés inesperado.

Para nós, torcedores, o time, às vezes, vive a peleja do Médico e o Monstro. No primeiro tempo, se transforma no Sr. Hyde, nos aterrorizando com jogadas bisonhas, erros primários e uma certa apatia em campo. Em uma dessas jogadas equivocadas, o Liverpool abriu o placar. Henrique Dourado perde uma bola ainda no campo adversário e num rebote surpresa, pegando nossa defesa toda desarticulada, o time Uruguaio avançou com Royol que tocou para Ramirez, excelente atacante, abrir o placar. Deste momento até o final do primeiro tempo, foi só pressão uruguaia. O Fluminense estava irreconhecível. A defesa totalmente desorganizada e Richarlison e Sornoza jogando abaixo das expectativas. Cavalieri nos salvou em alguns lances.

No segundo tempo, voltamos a ser Dr. Jekyll. O time entrou mais ligado em campo, a defesa melhorou e os jogadores de frente, principalmente Richarlison, passaram a impor um ritmo de jogo. Conseguimos oferecer algum perigo, embora as jogadas não tenham se convertido em gol. Foi a vez do goleiro De Amores brilhar, salvando o time uruguaio. De qualquer forma, conseguimos neutralizar o jogo e sair com a classificação.

Mesmo com a classificação garantida, algumas coisas começam a preocupar. A falta de opções no banco para alterar o andamento do jogo tem se mostrado bastante evidente. Sem contratações, iremos ter bastante dificuldades, pois os jogos mais fáceis contra adversários menos qualificados ficaram para trás. A partir de agora, será só pedreira. Na minha opinião, o que temos no elenco ainda não é suficiente para encara o que teremos pela frente e, por isso, Abel terá que conseguir um upgrade na forma de atuar do time.

A torcida está sedenta por títulos e talvez não tenha tanta paciência daqui por diante, além do fato do ambiente político do clube ainda não estar totalmente amenizado. Manter-se bem nas disputas, principalmente no Campeonato Brasileiro, é fundamental para que o ambiente não se torne conturbado. Da minha parte, a torcida tem que apoiar neste momento de transição da equipe e dificuldades de contratação.

Enquanto não é possível contratar, talvez Abel tenha que começar a experimentar outros esquemas de jogo. O time é bastante ofensivo, mas visivelmente fraco quando defende. Funciona bem contra equipes menos fortes, mas acaba sendo um problema quando enfrentamos times de maior qualidade. Só faz sentido manter este tipo de esquema quando o ataque compensa e supera os gols sofridos, o que não é o nosso caso. Apesar da qualidade dos jogadores de frente, os gols não estão saindo mais com tanta frequência. Como proposta, pode-se utilizar um jogador mais defensivo no meio de campo, ainda que, com isto, se perca qualidade ofensiva. Este esquema pode ser utilizado contra times mais fortes ou em jogos fora de casa.

De qualquer forma, conseguimos passar por mais uma fase da Copa Sul-americana. A próxima, certamente será muito mais difícil. Poderá ser uma equipe mais tradicional, de forma que teremos que fazer o resultado em casa para encarar a pressão adversária no jogo fora. Mas antes, iniciamos outro grande desafio, o mais crítico do ano. O campeonato brasileiro se inicia no próximo domingo, contra o Santos. Não tem mais jogo fácil.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @paulotiburciojr

Imagem: bat

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres