Início de temporada (por Gustavo Reguffe)


E teve início o campeonato carioca, sem grandes emoções. Não que eu achasse que a competição fosse começar “pegando fogo”, como quer nos convencer um embaraçado Escobar na chamada da Globo para as transmissões dos jogos; numa boa, chega a ser patético. Superlotado de times, com ingressos caros e os considerados grandes jogando com equipes mistas nas primeiras rodadas, não dá realmente para esperar muita empolgação desse torneio.

No caso do Fluminense, por exemplo, não é possível fazer uma análise mais acurada deste primeiro jogo. O time pareceu-me um pouco perdido, além da escalação equivocada. Não acho razoável começar um jogo contra o Nova Iguaçu, com todo o respeito a esta equipe, com três jogadores considerados de marcação, como é o caso de Valência, Diguinho e Fábio Braga. Se serviu para alguma coisa, foi para mostrar que os dois últimos estão muito mal e não merecem figurar no atual time principal do tricolor; fora isso, não entendo a utilidade de um teste desses.

De bom, tivemos a atuação de Wagner que, se ainda não está completamente recuperado, ao menos mostrou vontade de se firmar no time titular. Além dele, também achei positivas as estreias de Rhayner e Wellington Silva; ambos mostraram boa movimentação. No mais, não dá para falar muita coisa; ainda falta ritmo de jogo e entrosamento a alguns jogadores deste Fluminense B.

Além do insosso início de campeonato, outro assunto da semana foi o anúncio de Felipe como novo reforço tricolor. Como já falei aqui antes, não era exatamente o jogador de minha preferência mas já que fechamos com ele, que não nos decepcione. Afinal, está em débito com a torcida depois de sua conturbada passagem anterior pelas Laranjeiras. Ainda falando de reforços, menos mal que não ficamos com Carlos Eduardo ou Riquelme, que demonstraram pouco interesse em vestir a camisa tricolor.


Flu na NBB

Ótima notícia, a da apresentação do novo time de basquete do Flu, que tem como objetivo inicial disputar, ainda este ano, a liga NBB (Novo Basquete Brasil). A história do clube se confunde com a dos esportes olímpicos no país e já estava mais do que na hora de o Fluminense voltar a buscar um papel de destaque no basquete brasileiro. Que seja apenas a primeira de muitas iniciativas nesse sentido.

Gustavo Reguffe

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Contato: Vitor Franklin

1 Comments

  1. Caro, preferia o Riquelme, principalmente pelo marketing e a movimentada na torcida que o mesmo daria. Mas, mesmo sem conseguir entender, vejo que o mesmo preferiu jogar a série B. Pena. ST.

Comentário