Impossível é o c…! (por Paulo-Roberto Andel)

impossível
“Quando tudo está perdido
sempre existe um caminho
quando tudo está perdido
sempre existe uma luz”

Legião Urbana, “A Via Láctea”, 1996

Está tudo perdido mesmo?

Quem é capaz de antever a impossibilidade do Fluminense vencer o Corinthians por um número de gols igual ou superior aos de uma hipotética vitória vascaína sobre o Santos? Ah, sim, com o Fluminense vencendo seu jogo em atendimento à possibilidade acima, não adianta que a Ponte Preta vença seu jogo contra o Vitória e nem o Criciúma derrote o Náutico: o tricolor estará fora da zona de rebaixamento.

O Corinthians foi campeão mundial em 2012, assim como o Fluminense foi um brilhante campeão brasileiro. Ambos os times não são sombra do que já foram: o alvinegro tem 42 pontos, está bem menos desconfortável no que tange ao rebaixamento, mas nem por isso 100% tranquilo – e se está, não deveria. Ocupa a 12ª posição.

É claro que os recentes insucessos do Fluminense no campeonato brasileiro não permitem nenhum sorriso de sua torcida. E claro também que a situação é preocupante. Repetir isso é mais do mesmo, é oco, é óbvio. Esse é um ponto.

Agora, que o passado recente tenha memória determinística para pré-rebaixar o time com seis rodadas de antecedência é um pouco demais. Coisa de carpideira rancorosa em pleno ócio. Êxtase da derrota. Uma bobagem.

Mesmo com todos os problemas tricolores visíveis e tatuados, não ter vencido o Fla-Flu foi uma vírgula. Desconto os arroubos das escalações de Anderson e Bruno – a melhor posição que podem ocupar é no banco de reservas, sentados – dois homens a menos em campo. Desconto o fato de não termos um meia de ligação para criar jogadas – Wagner, pelamordedeus não! Ah, o Flamengo jogou com seu time reserva? E o que é o Fluminense hoje senão um remendo na ausência de nomes importantes como Carlinhos, Felipe e mais do que nunca Fred? Lutou muito, esbarrou nas deficiências técnicas, perdeu muitos gols, foi injustiçado pela última bola do jogo e, se cabe o mínimo consolo diante do que vem pela frente, viu-se uma fibra inexistente em jogos anteriores contra Ponte Preta e Vitória.

Chegou o limite.

No copo não cabe mais uma gota d’água sem que o mesmo não transborde.

A coisa está feia. Feíssima. Bem diferente de ser impossível. Muito diferente.

Impossível é o c…!

Será gravíssimo perder para o Corinthians. Mas não tem nenhum placar já estabelecido. O jogo nem começou!

Temos ainda três partidas onde não podemos falhar: Náutico (por motivos óbvios), São Paulo (com reservas em caso de decisão na Sulamericana ou já desmotivado pelo ano mediano) e Atlético Mineiro (penúltima rodada, já com a cabeça totalmente voltada para o Mundial).

Três partidas com vitórias magras por 1 x 0 valem os 45 pontos que vão manter o Fluminense na primeira divisão. Quem acha que isso é impossível está perdendo tempo com futebol à toa: pra que se martirizar, xingar e ofender em vão se não vai adiantar nada mesmo?

E não custa sonhar e acreditar que o velho Flu pode renascer no interior paulista. Lá, há um ano, ganhávamos um título monumental. Agora, a luta é pela sobrevivência da nossa história de superações.

Ganhar o Corinthians em 2013 na Fonte Luminosa não é mais difícil do que era vencer o Cruzeiro no segundo tempo, marcando três gols depois de levar uma raquetada de 2 x 0 na primeira etapa naquele 2009 monumental. Ah, tinha Fred. Claro. Mas também tinha um time enfiado na zona de rebaixamento com cinco pontos para tentar sair dela…

A história do Fluminense é marcada por desafios às convenções.

Não me peçam para chorar no velório antes de ser emitida a certidão de óbito do defunto. E, para falar a verdade, não vai ter defunto algum. Nós não vamos pagar nada.

Não tenho a vocação do derrotismo. Por isso estou aqui. Na hora em que tudo está perdido é que os torcedores mais apaixonados, os Maurícios Limas, ocupam as arquibancadas, cada um berra por mil e o impossível derrete feito vela acesa.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Prezado (a) leitor (a), é sempre uma honra a tua presença aqui, bem como os comentários que podem ser tanto elogiosos quanto críticos ou divergentes – tudo altamente salutar. Contudo, atendendo aos procedimentos estabelecidos no PANORAMA em prol da excelência literária que marca este sítio, não serão publicados comentários ofensivos ou lesivos à imagem de terceiros sob qualquer espécie. O mesmo vale para comentários em caixa-alta. Os cronistas respondem juridicamente por suas publicações. Divergência nada tem a ver com estupidez e grosseria. Muito obrigado. 

1995 PEQUENODR PEQUENO

5 Comments

  1. Paulo Roberto Andel a sua inteligência chega a fazer eu me arrepiar e, tudo que você relatou é a pura verdade!
    Eu sou muito TRICOLOR de chegar a viajar pelo Brasil à fora até mesmo em amistosos do FLUMINENSE. Na década de 80 quando eu fui ao Maranhão assistir , acompanhar o FLUMINENSE em dois amistosos contra o Imperatriz e o Acrob, que na verdade nem sei se existe ainda este time Acrob,Rsrsrsrsr. No segundo jogo contra o Acrob mais 12 horas de viagens. Afirmo o FLUMINENSE NÃO VAI…

    1. O MAURÍCIO LIMA meu grande amigo sabe da minha história porque foi uns dos torcedores que tem amor pelo FLUMINENSE como eu tanto na alegria, tanto nos sofrimentos…
      Não sou FLUMINENSE quando está bem e, sim quando está mal também, diferentemente de muitos torcedores por aí que só sabe dizer amor ao FLUMINENSE quando o clube está bem, ou seja, o time está bem, porque esses torcedores não querem saber do clube e sim do time que entra em campo..

      *** Service disabled. Check access key in…

  2. Venceremos os paulistas, e tenho dito!
    gambás, bambis e lambaris, tremeis!
    Tá na hora de mostrar quem é FFC.

    ST

  3. Caro Andel, como sempre com palavras de incentivo, daqueles que não desistem nunca. Dá prazer e orgulho ler seus posts.

    Mesmo muito chateado com Bruno, Anderson e Leandro Eusébio, nos vemos quinta-feira no Maracanã.

    Sei que a imprensa megera já mandar confeccionar nosso caixão. Mas, não vamos “repousar” nele. Mais uma vez, como a fênix, vamos ressuscitar e surpreender a todos.

    Flamengo reserva? E o que é isso? Felipe, Wellington Silva, Carlinhos, Ronan, Fred, Digão… Fora os que já…

Comments are closed.