A frescura de Luan e o ódio que o Flu causa (por Aloísio Senra)

Tricolores de sangue grená, há três resultados possíveis no futebol: vitória, empate e derrota. Pelas regras das nossas competições de pontos corridos, toda vitória confere três pontos ao vencedor, todo empate manda um ponto para cada um, enquanto a derrota, naturalmente, impede o time vencido de pontuar. É também sabido que a fórmula tida por muitos especialistas como a ideal para uma equipe se manter nas primeiras posições consiste em vencer em casa e, pelo menos, empatar fora. Assim, o Fluminense, desfalcado de dois jogadores, contra uma equipe considerada grande e tradicional no futebol brasileiro, o Grêmio, optou por vir com uma formação defensiva, para buscar os contra-ataques que poderiam surgir e, dessa maneira, minimizar as chances de sofrer gols enquanto, ao mesmo tempo, esperava por uma bola que pudesse nos dar os três pontos. Nada diferente do que várias equipes, inclusive as consideradas grandes, já fizeram contra o Fluminense em seus domínios.

Até aí, nada demais. Se olharmos os números, em oito jogos o Fluminense possui quatro vitórias (três em casa, uma fora), dois empates (um em casa, um fora) e duas derrotas (as duas fora), sendo que nas duas vezes em que fomos derrotados é possível dizer que não jogamos mal, principalmente na derrota bizarra para a quarta força do Rio, em que fomos amplamente superiores, mas não levamos sorte. Dessa forma, num cenário otimizado pela lógica descrita anteriormente, o Fluminense teria 16 pontos (doze pontos em casa, quatro pontos fora), apenas dois a mais do que conseguimos até aqui. Logo, convenhamos que o nosso desempenho está excelente. Nossa defesa trabalhou bem, os jogadores suaram sangue, mesmo com a perda de jogadores importantes, e conquistamos um bom resultado fora de casa, como manda a cartilha dos vitoriosos. Mas isso não impediu o “mimimi” do time do Sul.

O Grêmio jogou as mesmas oito vezes que o Flu. Conquistou três vitórias (uma em casa, duas fora), quatro empates (três em casa, um fora) e foi derrotado uma vez apenas (fora de casa). Apesar de haver conquistado duas impressionantes vitórias fora de casa, deixou de fazer o seu próprio dever de casa por três oportunidades. Se tivesse conseguido êxito, hoje seria o líder da competição, com dezenove pontos. A equipe gaúcha empatou metade dos seus jogos, sendo quase todos em seus domínios, e todos pelo placar de 0 a 0, o que quer dizer que não teve competência para marcar gols e sair com o resultado positivo. Será que nas outras três partidas em que não conseguiu o que queria, o elenco “gremimimista” saiu cuspindo marimbondos pra cima de seu adversário, desqualificando-o gratuitamente? Paraná, Internacional e Atlético-PR ouviram essa mesma reclamação de retranca?

É sempre contra o Fluminense, cara. É incrível como esse povo sente prazer em reclamar do Fluminense. Deve ser alguma inveja entranhada na história, porque é inacreditável o incômodo que causamos! Isso vem de muito tempo. Lembro do choro do Palmeiras em 2009, reclamando do gol anulado de Obina, esquecendo-se que o escanteio do qual se originou a jogada foi marcado irregularmente; lembro-me bem das acusações do Corinthians de entrega de resultados do São Paulo e do Palmeiras em 2010 para facilitar o nosso título, sendo que o jogo contra o São Paulo chegou a estar empatado, e o Palmeiras saiu na frente naquele confronto, cabendo a nós virar o jogo; e não dá pra esquecer, é claro, do choro galináceo “CBFlu” em 2012, como se algum dia o Fluminense tivesse sido sistematicamente ajudado por quem quer que seja. É para rolar de rir, minha gente. O que não faltam são achincalhes.

E agora, depois de estarmos comendo o pão que o diabo amassou nos últimos anos, fazendo cata-cata na base, no Samorín e em equipes de menor expressão, conseguimos formar pelo menos uma equipe titular (e alguns suplentes) que estão dando gosto de ver jogar, mas claramente ainda possuem limitações, e vem um borra-botas que não foi convocado para a Copa do Mundo (e por isso deve estar putinho) falar que o Fluminense jogou como uma “equipe inferior”. Vai se foder, Luan! Vão se foder, você, Cícero, Renato Gaúcho e quem mais ousar vomitar ódio contra o Fluminense! Quarto empate no campeonato, terceiro em casa, e o culpado é o Abel, que montou esquema defensivo em que o capitão era o Renato Chaves (que sofreu pênalti!)? Ah, vá pro inferno! Se sua equipe fosse essa “coca-cola” toda, seria líder do campeonato mesmo com esse empate. Lave sua boca imunda antes de falar do Fluminense!

O empate foi excelente para nós, mas infelizmente perdemos o Pedro por três semanas, o que significa que ele só voltará após a Copa do Mundo, juntamente com o beijoqueiro da ala esquerda. O compromisso de amanhã é contra o Paraná, na casa deles. Sobre esse confronto, basta dizer que eles não têm vitórias no campeonato, marcaram apenas três gols em oito jogos e amargam a lanterna. Esse é jogo para três pontos, para voltar às cabeças e fungar no cangote dos molambos pedindo passagem. Vamos de Marlon permanecendo no lugar do Ayrton, e de João Carlos substituindo o queixada. Que eu faça um churrasco com a minha língua e o jogador do Fábio Braga seja um matador nato à là Fábio Bala. Precisamos muito dessa vitória, pois a distância do primeiro para o sexto lugar é de três pontos, e o décimo-primeiro colocado está a somente cinco pontos da liderança. Pontuar é preciso.

Curtas:

– Ganhar do lanterna será extremamente importante porque a sequência será pesada. Com os desfalques, nossa competitividade diminui, e a projeção, antes mais otimista, agora requer uma análise mais cuidadosa. Molambos em Brasília, Galo no Horto, Santos no Maracanã são os jogos seguintes. Nenhuma moleza, embora o Santos ande mal das pernas. Duas vitórias e dois empates nesses quatro jogos são o melhor que posso esperar, dadas as circunstâncias. Se isso ocorrer, teremos 22 pontos em 12 rodadas, uma ótima projeção.

– Palpites para os jogos da semana: Fluminense 2 x 0 Paraná, Fluminense 1 x 1 Flamengo.

– Só eu estou extremamente ansioso pelo sorteio da segunda fase da Copa Sul-Americana?

– A 9ª rodada nos reserva confrontos entre times da parte de cima da tabela, o que pode nos favorecer muito. Internacional x Sport, Palmeiras x São Paulo e Flamengo x Corinthians são partidas que, aliadas a uma vitória nossa, certamente nos darão algum conforto. Precisamos aproveitar.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: alo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres