Fluminense 4 x 2 Barra Mansa (por Marcelo Vivone)

Fluminense-Mansa-Paulo-Sergio-LANCEPress_LANIMA20150329_0164_52

Começamos o jogo da mesma forma modorrenta de sempre. Nada aconteceu até que aos 4 acabou a luz. 20 minutos de espera e, na volta, a mesma lentidão.

Até que aos 14 minutos, num erro de posicionamento ridículo do Gum, o atacante adversário recebeu nas suas costas e na cara do Cavalieri. Nosso goleiro dessa vez não pôde salvar e 1 a 0 no placar para o adversário. O gol serviu como catalizador para o time.

Logo em seguida, aos 16 minutos, Wagner fez linda jogada no meio de campo e lançou Fred já quase na pequena área e nas costas do zagueiro. Nosso goleador tocou com pouca força na bola e o goleiro adversário conseguiu salvar. Na parada técnica foi possível ver Fred explicando para alguém que o refletor o atrapalhou a enxergar a bola.

Aos 17, Wellington Silva fez bela jogada pela direita e cruzou na cabeça do Kenedy, que ajeitou de cabeça para Fred se esticar e marcar, quase dentro do gol. 1 a 1.

Aos 20, Kenedy fez boa jogada, ao seu estilo, indo na diagonal da lateral direita do campo para o meio. O jovem atacante foi parado com falta. Na cobrança de Wagner, Edson, em posição de impedimento, marcou. O gol, corretamente, não foi confirmado.

Cravados 28 minutos, Gerson fez boa jogada e tocou para Jean, que lançou para Fred, nas costas do zagueiro, dominar no peito e tentar o chute de primeiro. O Camisa 9 perdeu o equilíbrio e o chute saiu fraco.

No lance seguinte, aos 29 minutos, o Barra Mansa quase marcou em jogada individual de Vitinho, que passou por Gum já dentro da área como se tivesse driblando um poste.

Recuperamos a bola e no ataque seguinte, Wagner tocou para Giovanni na ponta esquerda. Nosso lateral fez cruzamento perfeito para Kenedy, que matou no peito e fuzilou no canto esquerdo do gol adversário. 2 a 1 para o Fluzão.

Aos 36, em cobrança de escanteio do Barra Mansa, Gum perdeu mais uma e o atacante adversário não marcou por pouco.

Um minuto depois, Wellington Silva tomou cartão amarelo. Segundo o narrador do PFC, foi o terceiro cartão do nosso lateral, que estaria fora do clássico. Pelo que li na internet essa informação não procede. Tentei encontrar a informação sobre os cartões dos jogadores no site da FFERJ e não encontrei. Espero que a informação realmente esteja equivocada, pois Wellington Silva tem sido, ao lado de Gerson e Kenedy, um dos melhores jogadores do time e faria muita falta no clássico.

No rebote da cobrança de falta, a defesa falha novamente e Cavalieria salva chute cara a cara.

Aos 40 minutos, mais uma falha de Gum, que tentou um drible na saída de bola e perdeu a bola.

Aos 43 foi possível ouvir o Drubsky chamar o Vítor Oliveira para aquecer. Nitidamente acabou a paciência do treinador com o caminhão de erros do Gum. A dele demorou muito mais tempo para acabar que a minha.

Na última jogada do primeiro tempo, aos 44 minutos, Edson marcou mais um gol em impedimento.

Na volta do intervalo, Vítor Oliveira apareceu no lugar do Gum.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Kenedy tentou cruzar e a bola bateu na mão de dois jogadores seguidamente do Barra Mansa. Bola na mão corretamente não marcada pelo juiz. A pena é que para outros times esse lance é sempre pênalti.

Depois disso só deu Barra Mansa no ataque até que, aos 6 minutos, Cavalieri fez quase um milagre para salvar um chute cara a cara, quando Edson perdeu a terceira bola na intermediária e a bola foi metida nas costas da zaga. Edson precisa ser orientado em relação a essas bolas perdidas na saída de jogo.

Aos 9, bola novamente nas costas da nossa defesa e o atacante adversário chutou com muito perigo por cima da meta de Cavalieri.

Em seguida, aos 10 minutos e novo ataque de muito perigo do Barra Mansa. Vítor Oliveira falhou feio e a bola sobrou para o camisa 9 adversário, que tentou cruzar para o outro atacante que estava livre dentro da área. Giovanni cobriu os zagueiros e conseguiu fazer o corte, mas pareceu que o fez com a mão. Pareceu pênalti não marcado.

Aos 20, veio (finalmente) a parada técnica. Até aqui, no segundo tempo, só deu Barra Mansa que já merecia pelo menos o empate no placar.

Na volta do jogo, aos 23, Kenedy saiu por problema de sentir o músculo posterior da coxa. Preocupa muito para o próximo jogo. Drubscky colocou em seu lugar o até então inoperante Marlone.

Aos 25, quase gol em cobrança de escanteio executado pelo Marlone. Fred acertou um lindo chute de bate-pronto, que passou muito perto do travessão.

Em seguida, aos 27, novamente um quase gol do Barra Mansa, em mais uma falha da zaga. Tomamos um contra-ataque e bola foi coloca na área, mais uma vez, nas costas dos nossos zagueiros. Cavalieri só pôde esperar o que faria o atacante adversário, que, felizmente, esticou-se e só conseguiu tocar fraco na bola.

Completados 32 minutos, panorama desfavorável ainda, e nosso técnico tentou mexer no time, colocando Vinícius no lugar de Wagner, que tinha feito um bom primeiro tempo mas estava desaparecido no segundo.

No primeiro lance depois da substituição, Vinícius bateu o escanteio curto para Wellington Silva, que cruzou de pé trocado. Fred se antecipou à zaga e raspou na bola para encobrir o goleiro adversário. Bonito gol do nosso atacante que chegou aos nove gols na competição e voltou à artilharia. 3 a 1 para o Fluminense.

Aos 34, reposição de bola perfeita do Cavalieri, que colocou a bola no pé do Vinícius. Nosso meia puxou o contra-ataque, chegou à linha de fundo pela esquerda e cruzou para Gerson marcar. Quarto gol em quatro jogos da nossa joia. 4 x 1.

Aos 36, mais um contra-ataque. A bola caiu no pé do Fred que deu uma linda canetada no meio e colocou na frente para Marlone driblar o lateral adversário e chutar para defesa do goleiro adversário.

Aos 40, perdemos mais uma bola aérea na parte defensiva em bola cabeceada por cima da meta de Cavalieri.

Ainda deu tempo para o Barra Mansa conseguir mais um contra-ataque nos buracos que apresenta o nosso time e marcar aos 44. Marlon foi driblado dentro da área pelo Vitinho que tocou para trás. O atacante adversário só teve o trabalho de colocar no canto, livre, na marca do pênalti.

O placar de 4 x 2 é claro que é excelente, dá mais tranquilidade para o treinador tentar impor seus conceitos e nos coloca na briga pelas quatro primeiras colocações. Mas sua elasticidade é mentirosa em relação ao que foi o segundo tempo.

Nosso time está bem na parte ofensiva, mas muito, muito mal em seu sistema defensivo.

O jogo claramente mostrou que Drubscky vai ter muito trabalho para compactar o time acertar o posicionamento da nossa zaga para não estar sempre correndo atrás dos atacantes. Mostramos uma falta de consistência defensiva inexplicável e pra lá de preocupante durante todo o segundo tempo.

Individualmente, gostei muito de Wellington Silva, Kenedy e Gerson. Foram bem também Fred e Vinícius, que jogou de forma intensa e efetiva durante os 20 minutos que esteve em campo. Wagner e Geovanni foram bem no primeiro tempo.

O Fluminense continua seu futebol itinerante e sem existir para o horário nobre da TV que tem o direito de transmissão do campeonato.

Público pagante de menos de 1 mil pessoas e renda de 16 mil reais. Cabe a pergunta ao Sr. Rubinho se ele considera isso futebol profissional.

Panorama Tricolor

@Panoramatri @Mvivone

Imagem: lancenet.com.br

#SejasóciodoFlu

capas o espirito da copa + cartas do tetra 02 2015

3 Comments

  1. Cabe a pergunta ao Sr. Peter Siemsen se o Fluminense vai continuar participando dessa palhaçada no ano que vem…

  2. Análise correta do jogo. Gostaria de saber se o Fluminense, na era profissional, já jogou com um público pagante menor do que esse de hoje. ST

Comentário