Fluminense 4 x 0 Flamengo (por Felipe Fleury)

O Fluminense fez o que quis com o Flamengo, um créu à moda antiga. Num Fla x Flu, um placar como esse é raro e deve ser valorizado, por isso e pelo fato de que o Fluminense de 2018 é um time claramente mais fraco que o do ano passado e, também, de muito menos investimento que o rival. Time misto ou não, era o Flamengo e a surra não tem volta. Vale a chacota.

O primeiro tempo do Fluminense foi perfeito. Não é fácil fazer três gols num adversário só na primeira etapa, sobretudo quando esse adversário só havia sido vazado até então em uma única oportunidade na competição.

E o Flu fez três e não sofreu nenhum, porque foi mais organizado, mais atento e teve mais vontade que o Flamengo. Marcou o primeiro gol logo no primeiro minuto, após uma falha bisonha da defesa rubro-negra, que Marco Junio aproveitou para finalizar com categoria. Aliás, Marco Junio tem sido o principal beneficiário da ausência de Dourado. Como atacante, tem feito o que jamais fez desde conduzido à titularidade Tricolor: muitos gols.

Aos 18’, Pedro fez o segundo, na pequena área, após bate-rebate e aos 43’, Gilberto fez o terceiro, após jogada iniciada por Sornoza. Que tocou para Marlon cruzar com perfeição, Marco Junio chutou forte, o goleiro soltou e Gilberto empurrou para as redes.

O Flamengo pouco ou nada fez, senão por uma e outra jogada esparsa que não levaram grande perigo à meta Tricolor. O placar elástico não teve nada de exagerado, representou exatamente o que foi o Fluminense e o que não foi o Flamengo na primeira parte do jogo.

No segundo tempo, o Flu manteve a pegada, sempre mais organizado que o rival, tanto que fez o quarto gol, com Marco Junio de novo, de cabeça, logo aos 11’. Somente após o gol, o Tricolor deu uma relaxada, mas mesmo assim, com muita responsabilidade, ocupando os espaços e impedindo qualquer reação do adversário, que acatou o resultado e respeitou o Flu para não levar mais. Ainda assim, aos 15’, com Pedro e aos 31’ e 36’com Sornoza, o Tricolor quase chega ao quinto. Abel deve ter pedido para o Flu tirar o pé e não causar maior vexame ao Flamengo. Isso costuma ocorrer.

Eu seria injusto se destacasse um ou dois jogadores como os melhores da partida, mas também seria ainda mais injusto se não mencionasse a grandiosidade de dois atletas: Marco Junio e Sornoza. Foram impecáveis. O primeiro, o baixinho folgado, esse sempre vestiu a camisa Tricolor com honra, desde a base. Mesmo quando jogou mal nunca se omitiu. Mais centralizado, como atacante, tem tido a oportunidade de sua vida e não a tem desperdiçado. É o goleador do Flu na temporada. O outro, Sornoza, joga mais que Scarpa. É só dar tempo ao tempo. Destruiu no meio de campo hoje, voltando a ser aquele Sornoza irreverente em campo de seus primeiros dias no Fluminense.

Agora é manter os pés no chão e o moral elevado, porque nada foi conquistado. Jogar nesse nível durante as competições que se avizinham não é nada fácil, especialmente porque é preciso elenco, algo que o Flu ainda não tem.

Uma grande vitória, que valeu para afirmar esse novo Fluminense, enxuto, mediano, mas humilde e brioso e dar um bocado de orgulho ao seu torcedor, cansado de tanto descaso. Hoje é dia de tripudiar de flamenguista. Avante, Fluminense!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @FFleury

#JuntosPeloFlu

Imagem: F2

1 Comments

Comentário