Fluminense 3 x 3 Chapecoense (por Paulo-Roberto Andel)

Gol no começo é um negócio: ou você deslancha ou escorrega. Não deu outra: o Fluminense saiu imediatamente na frente mas não tomou as rédeas do jogo. Pelo contrário, a Chape foi quem veio para cima e igualou o marcador. E depois do empate sempre levou vantagem diante de um time tricolor pouco inspirado, ainda que raçudo como sempre.

Uma bola dali, a outra de lá, os algozes catarinenses foram gostando do jogo, atacando mais e viraram o placar. Não que não merecessem, mas nosso amigo JC colaborou decisivamente com uma saída de gol extraterrestre. Chape 2 a 1 e poderia ter sido pior: quase fizeram o terceiro a seguir. Até o Wellington “Abraço Eleitoral” Paulista perdeu o dele, como de costume.

Jogo de grande movimentação, de correria, mas de nenhuma inspiração do nosso lado. Tivemos muito mais posse de bola, mas sem produtividade. Hora de Abelão ajeitar as coisas no intervalo. Venceu a primeira etapa quem soube explorar melhor as falhas defensivas do adversário.

Segundo tempo: Wellington em campo, saindo Leo e Calazans passando para a esquerda. Os mesmos erros de antes continuaram e o Flu não conseguiu reagir satisfatoriamente até os vinte minutos. Finalmente aconteceu o empate aos 23: numa arrancada de Wellington, veio o chute-cruzamento e Pedro, livre, voou de peito para igualar o marcador. Aos 35 minutos, o violento Rossi finalmente conseguiu levar seu cartão vermelho. E aos 37, o que só acontece com o Fluminense: terceiro gol da Chape, jogando com um a menos, numa bola que entrou por milímetros.

Para o desfecho desesperado, Marcos Jr. na frente e Lucas Fernandes. E num lance em que Wellington talvez chutasse e Richarlison talvez passasse, MJ não teve dúvidas e meteu para dentro: 3 a 3. Se o resultado decepcionou por ser em casa – e decepcionou mesmo -, os cinco minutos finais foram absolutamente Fluminense e emocionaram quem encarou Edson Passos em plena noite gelada de segunda-feira. Erros e acertos vão continuar, os reforços são necessários, mas seria injusto demais o Flu ter saído derrotado nesta rodada. Valeu pela garra final. Meno male.

Nota 1: ruim com Cavalieri, pior sem ele;

Nota 2: nossa defesa é vazada demais, isso tem que mudar;

Nota 3: sejamos sinceros: se dá em Edson Passos, em Laranjeiras também dava. Basta fazer a obra certa;

Nota 4: o que levaria alguém a acreditar que o jogo desta segunda-feira daria 40 mil pessoas se fosse disputado na Baixada de Jacarepaguá?

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Imagem: curvelo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres