Fluminense 1 x 4 Chapecoense (por Marcelo Vivone)

Fluminense-Chapecoense-Campeonato-Brasileiro-MeierLANCEPress_LANIMA20141120_0211_24

Os jogadores convocaram e a torcida compareceu. Enfrentamos o fortíssimo time da Chapecoense, que até então ocupava uma das vagas da zona do rebaixamento.

Ao final do primeiro tempo pensei qual seria a minha definição do que tinha visto até então. Não tive dúvida: compararia o que havia acontecido com o conteúdo do programa “Trash Show”, protagonizado pelo companheiro Leo Prazeres, aqui mesmo no Panorama.

Mas eis que vem o segundo tempo e o que estava ruim, muito ruim, ganhou um aspecto para o qual eu não encontro adjetivo para descrever. Ridículo? Bizarro? Repugnante? Medonho? Talvez o sentido formado por todas essas palavras unidas seja pouco para representar o que foi a nossa atuação nesse período do jogo.

Tomar quatro gols da Chapecoense, em pleno Maracanã, talvez seja o que melhor dimensiona o que foi nosso time na segunda etapa.

No primeiro tempo tivemos um pequeno período de 10 minutos de alguma lucidez. E foi só.

Conca foi mais uma vez, pelo menos no primeiro tempo, um jogador produtivo e solitário em campo. Marlon e Edson não comprometeram.

Todo o resto teve atuação de ruim a lamentável.

Cavalieri tomou quatro gols, mas não teve culpa em nenhum deles.

Mattis entregou a rapadura no primeiro gol, num lance que começou com o Valencia tomando uma canetada feia.

Jean foi peça apagada. Chiquinho teve atuação ridícula, como na maioria de suas presenças em campo.

Valencia muito fraco, e Cícero, apagado.

Sobis mal e Walter, que entrou no intervalo no lugar de Cícero, teve atuação pra lá de lamentável. Digna de um jogador obeso e que alguns insistem em colocar no campo.

Fred, o que falar de Fred. Esse que esteve em campo hoje foi exatamente o cone de que tanto falaram na Copa. O cara, além de todos os problemas de lentidão e pouca mobilidade que apresenta já há bastante tempo, passou a sequer conseguir dominar as bolas e fazer o papel de pivô.

E o Torcedor ainda tem que ouvir esse cidadão reclamar ao final do grito de olé que veio das arquibancadas. O que esse rapaz que pensa e age como do clube acha que o torcedor Tricolor deveria fazer? Aplaudir o vexame do qual o camisa 9 foi um dos protagonistas? Reclamar no Maracanã não pode? Ah tá, então sugiro ao torcedor que peça desculpas ao nosso presidente de chuteiras. Como xingamento não faz parte dos meus textos, vou parar por aqui de escrever sobre esse sujeito.

Triste fim para um elenco que teve seus tempos de glória, mas que permaneceu por um período mais longo do que o aceitável, por culpa de uma diretoria fraca e inapta no que concerne à gestão de futebol.

Passo agora a comentar a atuação do nosso treinador. Há poucas semanas escrevi um texto afirmando que, diante das opções que temos no mercado, eu não trocaria o comandante para o ano que vem. Hoje, depois de sucessivos erros, em sucessivas partidas, preciso discordar veementemente de mim mesmo. Onde eu estava com a cabeça?

Segue lista dos erros cometidos somente na noite de hoje por nosso treinador:

1 – Começar o jogo com dois cabeças de área contra a Chapecoense no Maracanã, quando precisávamos ganhar os três pontos.

2 – Sacar Cícero no intervalo e colocar o obeso. Nessa ação, especificamente, estão inclusos várias falhas:

– Colocar Walter em campo: qual a intenção? O que espera nosso treinador de Walter? E mais, por que colocá-lo em todos os jogos?

– Jogar com Walter, Fred e Sobis juntos! Quando esses três jogadores lentos e sem mobilidade funcionaram estando em campo ao mesmo tempo? Qual era a intenção? Vejam, senhores leitores, o cara formou nosso setor ofensivo com um quase ex-jogador, Fred, e dois jogadores que não marcam um gol sequer há mais de seis meses.

– Sacar Cícero. Concordo que ele teve atuação apagada, mas ele não pode sair com esse nosso jogo medíocre de alçar bola para a área de qualquer lugar do campo. Ele e Edson são os melhores jogadores que temos na bola aérea.

– Insistir em manter os dois cabeças de área mesmo após estarmos atrás no placar.

E com essa bela alteração (troca de Cícero por Walter) feita por nosso treinador o time se desarrumou de vez. Talvez por isso tenhamos tomado o gol aos dois minutos do segundo tempo.

Com a inferioridade no placar, o time se perdeu de vez. E o que fez nosso treinador? Nada. Simplesmente nada. Assistiu com sua costumeira passividade o time tomar mais dois gols.

Aí sim, quando já estava tudo perdido, Cristóvão entendeu que era hora de mudar.

E quem ele coloca em campo? Kenedy e… Carlinhos! Isso mesmo, Carlinhos. Nova pergunta: Carlinhos para quê, Meu Deus!

Nosso segundo tempo foi uma das piores coisas relacionadas ao futebol que já vi na vida. Talvez ganhe somente da atuação da Seleção Brasileira contra a Alemanha na Copa do Mundo.

Se minha paciência com esse bando de jogadores já tinha acabado há tempos, agora foi para o espaço o que me restava de complacência com o Cristóvão.

Presidente e diretoria, sejam incisivos, ajam com a força que a situação exige, e aproveitem essa vergonha (mais uma) que o torcedor Tricolor viveu na noite de hoje para fazer a limpa em Laranjeiras. O torcedor não aguenta mais os mesmos discursos vazios de sempre.

O ano finalmente acabou, vamos aproveitar para nos livrarmos desse elenco que hoje manda no Fluminense. Presidente e diretoria, vocês já deixaram o torcedor Tricolor na mão algumas vezes desde 2013 e foram os responsáveis diretos pelo rebaixamento do ano passado. Vocês são também responsáveis por essa situação sem controle que é o futebol do Fluminense de hoje. É imperativo que finalmente vocês tenham a firmeza que os cargos que ocupam demandam.

Presidente e diretoria: AJAM JÁ A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA! CHEGA DE VERGONHA!

Panorama Tricolor 

@Panoramatri @Mvivone

Imagem: lancenet.com

9 Comments

  1. Faxina geral já! Eu encabeçaria a lista com Cristovão e Fred e a maioria dos medalhões iria junto. Permaneceriam apenas Conca, Gum e Wagner e talvez Cicero… QUE SE PONHA ORDEM NA CASA OU PODEM DESISTIR DA TORCIDA!!!!!

    1. Vivone:

      Xavier, concordo. Só acho o Gum muito caro para o q joga. Por outro lado, é um cara de grupo, dedicado. Talvez seja válida a continuidade.

      Do titular eu ainda ficaria com o Mattis e o Marlon.

      Um abraço.

  2. Seu texto reflete bem a indignação da torcida tricolor. Só discordo em sua absolvição ao Cavalieri, pois nos 3 primeiros gols a bola foi ao alcance dele (meio do gol), onde inclusive até tocou nela em 2, poderia ter evitado até certo ponto. Se analisar os últimos 10 gol que ele tomou renovar seria uma burrice. A culpa ali é de todos e digo inclusive que se hoje o Cristóvão for demitido hoje mudaríamos, mas ainda seria algo bem longe de ser uma solução.

    1. Vivone:

      Gabriel,

      O 1o gol a bola passou por baixo das pernas de 2 jogadores, acho muito difícil ter reflexo para pegar. O 2o acho que foi parecido. Do 3o pra frente eu nem lembro… rsrsrs

      Espero que agora a diretoria faça o q tinha q ter feito no final de 2013.

      Um abraço.

  3. Finalmente alguém com um comentário lúcido sobre o pseudo-ídolo. Sobre o Cristóvão, volto a dizer: É caso para o Instituto Phelippe Pinel e para os maiores psiquiatras do planeta. Sobre a diretoria, mudanças radicais e a tão necessária faxina: É mais fácil vacas voarem… O assim chamado presidente do clube já fixou residência nos EUA. Só vem aqui para dar uma passeada. Vide os recentes eventos Flamenguesa nas últimas semanas. Só entrevistas por telefone.

    1. Vivone:

      Fábio,

      O pior é que depois dos sucessivos vexames do ano (sem esquecer o rebaixamento do ano passado), também não acredito em faxina. Escrevi quase que uma súplica, pois não acredito que o presidente e a diretoria de futebol vão finalmente ter mão firme nesse caso.

      Um abraço.

  4. Até que enfim o ano acabou. Ainda ví gente com fé na Libertadores. Sinceramente, eu não acreditadva. Faxina Geral já. Ah!! o fred. VTNC.
    A culpa agora é da torcida. ainda falar isso na Globo é foda, De novo. Vá Tomar no Cú!!
    PS: suas palavras representam toda a minha indignação.

    1. Vivone:

      Marcos,

      E o seu xingamento representa exatamente o que eu tive vontade de escrever na coluna.

      Um abraço.

  5. Enfim vejo a paciência, que já tinha me esgotado, acabar pasta outros também. A permanência deste técnico e desses jogadores só farão de 2015 um ano de novos vexames.
    Espero que essa diretoria tenha a decência de não renovar com teste péssimo técnico.

Comments are closed.