Fluminense 1 x 1 Flamengo (por Paulo-Roberto Andel)

INFORMÁTICA PARA PEQUENOS E MÉDIOS AMBIENTES

I

Chocho o começo do Fla x Flu em Cariacica. Apesar de algumas arrancadas, apenas duas conclusões antes da parada Gatorade: um chute deles por cima, com Diego, e um gol perdido por Dourado cara a cara com Muralha, depois do passe de Lucas Fernandes. O clássico tem mística, ninguém quer perder, mas como incendiar um jogo que não vale quase nada no Carioca, exceto pela gozação?

Depois do intervalinho, Alex fez boa defesa em chute de Dourado. O Flu poderia ter tido melhores oportunidades se Renato não errasse todos os cruzamentos pela direita. Depois de longo tempo, uma bola contra nosso gol, defendida por Cavalieri para escanteio aos 36 minutos. A movimentação das equipes até melhorou um pouco, mas não a ponto de chegar à sombra da decisão da Taça Guanabara. Demos o troco aos 38, num chutão de Cavalieri que caiu bem para Leo na esquerda, e este servindo Wendel, que tocou por cima do travessão. E Leo poderia ter feito de cabeça aos 40, mas o zagueiro tirou em cima da linha. Aos 44, Milharão acertou uma caneta pela direita mais chutou torto.

Interessante ver o Fluminense reserva jogando de igual para igual com os titulares do Mais Querido da Mídia, mesmo sem a criatividade do meio de campo com as ausências já conhecidas. Wendel se movimentou bem. Dourado, uma pena, é carente dos recursos de bola, mas luta. Marquinho, em nome de 2009/2010, deveria sinceramente encerrar a carreira – fechou o primeiro tempo com um chute bisonho.

Para fugir de uma escadaria de 65 degraus, o pessoal descansou o intervalo no banco.

II

Depois de vinte minutos de equilíbrio, um grande lance num superchute de Lucas Fernandes – que erraria tudo a seguir -, com Muralha espalmando para corner. Antes disso, lá e cá com o Fluminense​ mais presente no ataque, ocupando os espaços mas sem finalizar. Gatorade’s time!

Richarlison em campo, saindo Maranhão. Depois Pedro no lugar de Dourado. E vinte minutos de luta a cumprir.

Pará deu um chute patético na barriga de Lucas Fernandes aos 30, sendo merecidamente expulso pela imprudência. No lance seguinte, Berrío entrou livre pela direita, mas a velocidade ganhou do raciocínio, sendo substituído em seguida. Ufa, mas nem tanto: Osvaldo, senhor, em lugar de Renato.

Outro grande lance nosso, numa jogada ensaiada em cobrança de falta que culminou na defesa de Muralha, em finalização de Leo. No escanteio – cobrado por Marquinho -, Donatti cortou de cabeça, a bola sobrou na diagonal para Wendel, que chutou de direita e marcou 1 a 0, sem defesa para o goleiro rubro-negro aos 37 minutos, com a bola ainda tocando no mitológico Rafael Vaz. Ok, Marquinho ganhou indulto por três meses.

Nos minutos finais, tudo ia devagar, mas no último lance Milharão cabeceou depois do escanteio e Cavalieri papou mais uma. Pena. Reginaldo cabeceou pertinho da trave direita no fim.

Tudo igual, empate, jogo divertido. Os reservas não fizeram feio. Semifinais semana que vem, depois a decisão, os quatro grandes conforme o roteiro previsto.

Agora é Liverpool na quarta diante de 60 mil maníacos.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Imagem: curvelo rap

CENAS DO CENTRO DO RIO – CLIQUE AQUI

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres