Fluminense 1 x 1 Flamengo: atuações (por Mauro Jácome)

INFORMÁTICA PARA PEQUENOS E MÉDIOS AMBIENTES – CLIQUE AQUI

1º TEMPO

O Flamengo começou tomando as iniciativas. O Fluminense esperava para contra-atacar. Num presente de Rafael Vaz, para variar, Lucas Fernandes foi lançado e inverteu para Henrique Dourado. O centroavante perdeu na saída de Alex Muralha. Após os 15’, o Fluminense igualou a posse de bola. Aos 24’, noutra saída errada do Flamengo, dessa vez com Márcio Araújo, Wendel recuperou e tocou para Henrique Dourado, que chutou para defesa de Muralha. No rebote, Wendel bateu para nova defesa do goleiro rubro-negro. O Fluminense levava perigo, mas as conclusões facilitavam a defesa de Muralha. Depois dos 30’, o Flamengo adiantou a marcação e o Fluminense passou a errar muitos passes. No entanto, o rubro-negro continuava entregando bolas de graça para o Fluminense. Aos 40’, numa recuperação de Maranhão, Wendel recebeu e bateu de bico, mas a bola passou por cima do gol. Aos 41’, numa cobrança de escanteio, Muralha errou, Léo cabeceou e Trauco salvou quase na linha.

2º TEMPO

O Fluminense voltou mais ofensivo, mas sem penetração. Trocava passes, mas perdia a bola à frente da área rubro-negra. Depois dos 20’, o Flamengo aumentou a posse de bola e o Fluminense errava muitos passes. O jogo se desenrolava no meio-campo. Aos 32’, Lucas Fernandes foi atrás de uma bola que iria sair pela lateral e levou um pontapé de Pará. Vermelho para o jogador do Flamengo. Aos 34’, numa cobrança de falta ensaiada, Leo perdeu na pequena área. Na cobrança de escanteio, Wendel pegou o rebote, chutou, a bola resvalou no “tricolor” Rafael Vaz e entrou. O Fluminense em vantagem no placar, com um a mais, mas em vez de valorizar a bola, optava em se livrar da bola.

DIEGO CAVALIERI

Na única bola que foi ao gol, falhou feio. Uma cabeçada fraca e deixou a bola passar embaixo da mão. Tem dificuldades na reposição de bola e entrega muitas bolas de graça. Nos cruzamentos fáceis, em vez de pegar, sai de soco e devolve para o adversário. O Fluminense está precisando de um goleiro…

RENATO

No primeiro tempo, chegou algumas vezes ao lado da área, mas os cruzamentos não encontraram Henrique Dourado. Chegou pouco no segundo tempo.

NOGUEIRA

Falhou na marcação de Leandro Damião. O atacante ganhou no corpo e na antecipação. Num dos lances, fez falta perigosíssima. Melhorou da parte final do jogo.

REGINALDO

Variou erros e acertos no primeiro tempo. Ganhou de Berrío, mas cortou algumas bolas com defeito e entregou nos pés do adversário. Fez um ótimo segundo tempo.

LÉO

Alguns problemas para marcar Berrío nas bolas esticadas. Teve uma boa chance de cabeça. Não chegou ao fundo e optou para tocar para o lado. No gol do Flamengo, não subiu com Arão e facilitou a cabeceio.

LUIZ FERNANDO

Boa participação. Fez bons desarmes. Na saída de bola, optou por toques rápidos para os companheiros. Não chegou na frente.

WENDEL

O principal nome do primeiro tempo. Além de combater em toda a intermediária tricolor, carregou a bola para o ataque com qualidade e, ainda, chegou para concluir. Cansou no segundo tempo, mas apareceu para marcar o gol tricolor. Se eu fosse o Abel, teria sérias dúvidas se devolveria a posição de titular a Douglas.

MARQUINHO

Errou demais: passes, posicionamento e conclusões. Nem a experiência que tem serve para alguma coisa. Poderia ter chamado a responsabilidade nos minutos finais para garantir a posse de bola e evitar a pressão do Flamengo em busca do empate.

MARANHÃO

Na briga dos estados, levou vantagem algumas vezes sobre o Pará. Fez duas boas assistências no primeiro tempo. Na etapa complementar, quando foi ao fundo, não cruzou com perfeição.

RICHARLISON

Entrou para colocar fogo no jogo. Ganhou algumas vezes de Trauco, mas foi parado em outras com faltas.

LUCAS FERNANDES

Inútil. Muito driblinho de corpo no vento, mas pouca efetividade. Desperdiçou vários ataques. Só fez uma única jogada positiva: aos 20’2ºT, chutou bem da intermediária e quase marcou.

OSVALDO

Mesmo nível de Lucas Fernandes. Atrapalhou mais do que ajudou.

HENRIQUE DOURADO

Ficou muito escondido entre os zagueiros rubro-negros. Ninguém conseguia encontrá-lo na área.

PEDRO

Entrou muito no final. Mesmo assim, puxou alguns contra-ataques. É muito superior a Henrique Dourado. Tivesse em campo mais cedo, a probabilidade de vitória seria maior.

ABEL

Prometeu e cumpriu: mandou a campo o time reserva. Depois de um início pressionado, a estratégia de contra-ataques começou a funcionar. O Fluminense perdeu boas chances no primeiro tempo. O time foi mantido na volta do intervalo. Algumas peças poderiam ter saído mais cedo: Lucas Fernandes e Henrique Dourado, por exemplo. Poderia ter orientado o pessoal do meio para segurar mais a bola.

FLAMENGO

Está confiando demais nesse Berrío.

ARBITRAGEM

Os erros normais. Nada de importante.

…SAINDO DE CAMPO

Cavalieri entregou o ouro no final e os reservas do Fluminense perderam a oportunidade de mais uma vitória em clássicos. Que venha o Botafogo.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: jam

CENAS DO CENTRO DO RIO – CLIQUE AQUI

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres