Fluminense 0 x 1 Vasco (por Paulo-Roberto Andel)

IMG_20140330_201042

Au revoir

Estou velho. Em pouco tempo completarei quarenta anos de arquibancada. Em termos de Fluminense, posso dizer que já vi quase tudo; por isso, minha serenidade está intacta depois da (nova) eliminação diante do Vasco – merecidíssima, por sinal: a Colina foi melhor de ponta a ponta.

Perder não é vergonha dependendo do caso. Pode ser fruto de azar, um milímetro, um desses tesouros escondidos que só o futebol resgata. E pode ser questão de total inoperância, exatamente como foi o Fluminense neste domingo. Apático, lento, carente de criatividade e força física necessárias para uma decisão, o Tricolor foi uma presa fácil – e aí sim trata-se de algo vergonhoso.

Quando não oferecia generosos espaços na intermediária mal-aproveitados pelo Vasco, o Fluminense levava meia hora para atravessar o campo, tempo inviável para um time que queira brigar por títulos ou mesmo manter-se na série A em 2015. Então, não ameaçava. A bola de Walter no travessão foi um momento individual. O castigo veio no fim do primeiro tempo, em nova bobeada de Valencia na falta que antecedeu o gol vascaíno, que acabou decretando o placar final.

O fato de ser um cronista apaixonado pelo Fluminense não significa que eu tenha que praticar estelionato verbal contra o leitor. Não tenho vocação para isso: não merecíamos a classificação para a final. Não é aceitável que um time da grandeza de Álvaro Chaves entre num jogo inteiro para praticar chuveirinhos ou fazer ligação direta Cavalieri-Fred através de chutões. É óbvio que não ia dar em nada, ainda mais contra um time que, mesmo inferior tecnicamente e contando com um treinador limitado, sobrou em disciplina tática, condição física e o principal: vontade, algo típico de jogadores que buscam afirmação e não de veteranos esmaecidos por glórias passadas. A vida é hoje, não em 2012 ou 2009.

Sem contar os erros de sempre, caso natural de Bruno e seus desafios inglórios às leis da Física. Fred, craque, poderia ter sido substituído mas parece que essa alteração está proibida por MP. Então Walter é que dança. E quando a porca torce o rabo, sobra para Sobis. Não adianta reclamar de gol perdido, gol legal não marcado e o diabo a quatro: o saldo foi negativo. Péssimo. Apoiei de todas as formas, até vendo superlativos em partidas contra equipes bem mais modestas. Não adianta tapar o sol com a peneira. O jogo de quinta foi de razoável para bom. Neste domingo, desastre.

Serei eternamente grato a Renato por tudo o que fez em 1995. É um gigante eterno da nossa história e, por conta dela, acabou entrando para o rol de profissionais que mais treinaram o Fluminense em 112 anos. Até escrevi um livro por causa dele. Mas há indícios de que o treinador não conseguirá chegar aos pés do craque. A indigência de ensaio no time é visível a olhos míopes, para não dizer cegos.

Quanto a reforços, outro ponto claro: Rodrigo Caetano não serve como volante ou zagueiro. Renato, atacante dos rachões, não serve para nossa dianteira. O Fluminense precisa de pelo menos quatro reforços para sacudir um time que, hoje, está completamente sem pegada, agilidade e prumo. Esclarecendo: reforço é quando se contrata um jogador superior física e tecnicamente ao do titular a ser substituído.

Não é hora de caprichos ou de interesses pessoais predominando sobre o caminho do time. A lição deste domingo tem um resumo evidente: sem novas peças, o Fluminense corre risco no campeonato brasileiro.

Um pequeno consolo: volto no 433 vazio com Leo. Antes, um menininho vascaíno, talvez com três anos, divertia-se a valer com sua bandeira no ponto de ônibus. Alguns pontos depois, um senhor trabalhador vestia a camisa do América, tão maltratada pela força da grana que ergue e destroi coisas belas. Nos dois momentos, a certeza de que nenhuma dor do mundo da bola é para sempre. O futebol sobrevive até a dias estapafúrdios como esse que os torcedores tricolores foram submetidos de forma injusta.

Para evitar o caos nas Laranjeiras e evitar uma guilhotinada de Renato, o Fluminense só tem uma saída: ganhar e bem do Horizonte. Vivamos a agonia de dez dias até o novo jogo. E com fé, mesmo que ela seja rara por motivos óbvios.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Imagem: PRA

7 Comments

  1. Eu sou tricolor, mas agora que a vaca foi pro brejo, temos mais e que perder pro horizonte dentro do maracana! Quem sabe assim essa corja que hoje chamamos de time seja expulsa das laranjeiras! Vamos ficar so com a base e reforcos que possamos pagar e a UNIMED que banque os salarios astronomicos com os jogadores dela no banco ou melhor nem relacionados para as partidas, e se cairmos seremos nos a cair e nao sermos derrubados de dentro, essa igerencia no nosso clube ja ultrapassou todos os limits

  2. O problema é o jogador que chegar se acomodar nas Laranjeiras. Até o Conca não tem jogado nada. Parece que se acomodou. Tem que oxigenar o elenco, mandando alguns embora, trocando-os por outros que queiram mostrar futebol. Creio que poderíamos trocar jogadores com o Corinthians que está sofrendo do mesmo mal: acomodação. Enquanto isso o Abel deu uma sacudida no Inter e virou contra o Grêmio. Acho que está faltando um comando maior no Fluminense. Estão treinando muito pouco e não é de agora. ST

  3. Bom dia Andel,

    Precisamos dispensar alguns, barrar outros e contratar!!
    Muita coisa tem que mudar!!! E pra ontem!!!

  4. Na realidade, Andel, acho que o lance que originou o gol do Vasco não foi falta e a grande falha foi mais uma vez do Gum. Há uma máxima nas peladas de futebol interessante: bola na área, para a zaga, é zero kick. Temos que ter calma nesta hora. Saudações tricolores.

  5. Caro Andel,

    Não vai adiantar ganhar do Horizonte, pois seremos eliminados mais cedo ou mais tarde. Se formos eliminados logo, pelo menos o novo treinador vai ter tempo para treinar o time para o brasileirão.

    Saudações tricolores,

    João Carlos

  6. Andel, Renato nao entende de táticas e formações de um time de futebol. Não adianta! Ele detonou o time do Flu ao escalar Rafinha no lugar do Jean e deixou o Conca só. Ficou uma presa facil no rodizio que parava as jogadas dele com faltas normais. O time do Flu é Burro porque o tecnico é Burro. Foi imposto goela abaixo. O time se acomodou contando seu rico dinheirinho de todo mes. Nossos times sempre honraram nosso Clube. Times com Altair, Denilson, Samarone, Lula, e outros tantos …. ST

Comments are closed.