Fluminense 1 x 1 Brasil-RS (por Leandro Capela)

INFORMÁTICA PARA PEQUENOS E MÉDIOS AMBIENTES

Classificados! Ufa! Bom, se não for sofrido, não é Fluminense, não é mesmo?

Abel arriscou ao entrar com uma escalação alternativa. Apenas Cavalieri e Henrique Dourado de titulares. Danielzinho, que teve pouquíssimas chances no ano – era o único do elenco a ter atuado menos de 45 minutos, entre os que haviam entrado em campo –, começou como titular.

A zaga começa a amadurecer. Vinham com uma atuação segura. O gol adversário saiu em um lance estranho. Numa falha que considerei do lateral Renato, a bola entrou e os gaúchos abriram o placar.

O primeiro tempo termina, a chuva começa e aperta. Campo molhado, mais pesado. O cenário não era dos mais favoráveis. Claro: se não fosse sofrido, não era Fluminense.

Mas logo no início do segundo tempo, após a entrada de Maranhão, ele mesmo levanta a bola e Danielzinho desvia de cabeça. Era tudo o que precisávamos.

Chegamos a tomar a dianteira nos cartões amarelos, apesar de ainda não termos levado nenhum vermelho na competição. O risco parecia iminente. Uma bola entrou em nossa rede, mas não valeu. O atacante adversário estava adiantado.

O jogo parecia mais aberto, mas a qualidade não era das melhores. Marquinho foi o destaque negativo. O relógio era nosso amigo.

Ambas as equipes pareciam desinteressadas. O tempo avançou, até o árbitro apontar o centro de campo. Classificados!

Agora, é virar a chave.

Ô, Urubu, pode esperar que a sua hora vai chegar!

CENAS DO CENTRO DO RIO – CLIQUE AQUI

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: leancap

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres