Flamengo 3 x 3 Fluminense: atuações (por Mauro Jácome)


Logo aos 3’, Marcos Junior aproveitou uma saída errada de bola rubro-negra e rolou para Lucas fuzilar Diego Alves. A vantagem do Flamengo foi tirada logo no começo. No entanto, Lucas devolveu imediatamente o gol cometendo uma falta idiota na entrada da área. Depois do empate, o clima ficou muito nervoso, com vários desentendimentos entre os jogadores. Um jogo que tinha tudo para ser emocionante virou um bate-boca, um empurra-empurra, que só interessava ao Flamengo. Os entreveros quebraram o ritmo do jogo. Somente aos 32’ o Fluminense chegou novamente: Renato Chaves escorou um escanteio que Diego Alves pegou no meio do gol. Renato Chaves estava acreditando nesse tipo de jogada e, aos 41’, desviou um escanteio cobrado por Sornoza e colocou o Fluminense na frente.

O Fluminense perdeu Marcos Junior no começo do segundo tempo. Romarinho foi para o jogo. Aos 9’, Gustavo Scarpa bateu uma falta na cabeça de Renato Chaves. Mais um do zagueiro. Logo depois de Romarinho estragar um bom contra-ataque, o Flamengo diminuiu. A pressão rubro-negra em busca do empate era grande e faltava inteligência nos contra-ataques. Sempre alguém queria decidir optando pela pior alternativa. E tome pressão. Aos 38’, numa bola lançada na área, Willian Arão sobe sozinho e empata novamente. A realidade é que o time é muito fraco. Basta um adversário com alguma qualidade apertar que o Fluminense entrega. É preciso mudar muita coisa. Dessa forma, ficaremos cada dia mais fracos e mais endividados. A política está totalmente equivocada.

DIEGO CAVALIERI

Na falta do gol de empate, não pegou impulso e pulou de onde estava. Claro que não ia chegar nunca. Ficou olhando algumas bolas aéreas que passaram na pequena área. Nos outros gols, não tinha muito o que fazer.

LUCAS

Chegou e bateu muito bem no gol. Fez uma falta burra aos 8’, dando o empate para o Flamengo. Depois entrou no seu futebol de espaços atrás e poucas opções na frente. Deixou Willian Arão subir e empatar. É um morto-vivo em campo.

RENATO CHAVES

O grande nome do Fluminense. Muito exigido nas bolas aéreas defensivas e ofensivas, foi bem atrás e melhor na frente, ganhado a disputa contra a zaga rubro-negra. Fez dois gols de cabeça.

REGINALDO

Tem boa leitura de jogo e consegue antecipar-se e interromper várias trocas de passes na entrada da área. No entanto, quando o meio-campo se abre, fica no mano a mano.

MARLON

Lutou muito, mas é limitado. Tinha uma avenida pela lateral. Verdade que faltou ajuda, mas espera o adversário receber para dar o combate. Na frente, uma nulidade. Horroroso.

RICHARD

Marcou duro Diego. Se a bola passasse, o adversário ficava. No primeiro tempo, acompanhou as transições quando era feita com trocas de passes. Correu demais quando o Flamengo apertou e morreu no final.

DOUGLAS

Perdeu-se no momento de maior tensão no primeiro tempo. Depois se acalmou e foi importante no combate e condução da bola até o campo de ataque. Também cansou.

PEDRO

Não pegou na bola.

SORNOZA

Muito nervoso no início, entrando na pilha, cometendo muitas faltas e errando bolas fáceis. Mais tranquilo, melhorou e participou das trocas de passes na intermediária do Flamengo.

WENDEL

Entrou logo que o Flamengo diminuiu para dar gás e melhorar a saída de bola. não conseguiu produzir porque não houve contra-ataque e o Flamengo estrangulou a saída de bola do Fluminense.

GUSTAVO SCARPA

Com o jogo escamado, ficou perdido em campo. Pouco apareceu no primeiro tempo. Na etapa complementar, conseguiu se soltar um pouco, mas insuficiente para contra-atacar, o que era o fator que decidiria o jogo depois dos 3 x 1. Bom lançamento para Renato Chaves marcar o terceiro.

MARCOS JUNIOR

Foi esperto em roubar a bola e em rolar para Lucas abrir o placar. Depois ficou muito preocupado com Pará e esqueceu de jogar. Saiu no começo do segundo tempo contundido.

ROMARINHO

Entrou para os contra-ataques e, na primeira chance de puxar um, em vez de rolar para Gustavo Scarpa, tentou sozinho, perdeu e deu o contra-ataque para o Flamengo marcar o segundo. Errou um caminhão de passes. É uma das coisas mais horrorosas que já passou pelo Fluminense.

HENRIQUE DOURADO

Não teve chances. Procurou recuar e distribuir as bolas lançadas que recebia. Brigou muito, inclusive com a bola. Não é o cara para trocar passes na intermediária.

ABEL

Conseguiu melhorar a marcação no meio-campo no primeiro tempo, mas as laterais continuaram dando espaços. Matou o time ao colocar Romarinho no lugar de Marcos Junior. Não é possível que não tenha percebido que esse cara é horroroso.

FLAMENGO

Ganhou no cansaço tricolor e na entrada de Romarinho.

ARBITRAGEM

Não marcou faltas que estamos acostumados a ver por aqui e marcou faltas que não estamos acostumados. Além disso, foi condescendente com a cera do Flamengo depois do empate.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: jam

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres