Flamengo 1 x 1 Fluminense (por Walace Cestari)

45 minutos antes do nada, começou. E nada esperávamos. Afinal, havia pouco a esperançar na atual circunstância. Mas não é que o Flu começou bem? Marcando justo, ocupando espaços e buscando o ataque criamos oportunidades.

Os minutos foram passando e o ímpeto também. O Flamengo tomou conta da bola, alugou meio-campo, mas nada sabia fazer com o esférico. O Jogo, então, tornou-se erroso, repleto de faltas de chegada, toma-lá-dá-cá. Faltava espaço, sobrava marcação. Nem os sotaques se ouviam em talento. Sin duda, una pelea aburrida.

Mas aí foi a vez do Flamengo dar pressão e aumentar a temperatura do Fla x Flu. Teve blitz na área, defesaça de Cavalieri, bola na trave, sequência de escanteios… O perigo rondando a área protegida por Gum e Reginaldo. Isordil. Isordil. Isordil.

E no final do primeiro tempo, cai Gum na grama. Contusão. Não dá mais. O que devemos pensar? É sorte? Azar? Melhor com ele? Pior sem ele? Há horas em que a torcida fica órfã até mesmo sobre o que sentir. Nogueira em campo. Guerreiros. Guerreiros. Precisamos de vocês. Nesse primeiro tempo que já passou dos 43. De repente, mais uma chance. Dourado quase marca. Mais nada. É fim da primeira etapa.

A segunda etapa começou repetindo o início do jogo. De repente, preocupação: Scarpa parece passar mal. Uma jogada depois, é o lateral rubro-negro que estufa as próprias redes. A sombra de Gustavo fez um a zero pro Flu.

E aí o jogo mudou. O Flu recuou e esperava um contra-ataque. O Flamengo, já com Guerrero e William Arão veio para cima. Marcos Junior sente cãimbras e Romarinho é o responsável pela velocidade de contragolpe. Que não vem. E, em mais uma incrível e costumeira falha bisonha da zaga, Réver, mais solitário que feio em festa, cabeceia à queima-roupa e decreta o empate no Fla x Flu.

O Flamengo não parou. O Fluminense viu que precisava entrar no jogo. E o jogo ficou franco, aberto. Não que estivesse assim tão bem jogado, mas as falhas das equipes permitiam lances perigosos. Abel chama Peu: “menino, você vai jogar no lugar do Scarpa. Veja se avisa ao Sornoza para encontrar o jogo no meio”.

O final tenso foi de perde-ganha, com as duas equipes se lançando vorazmente ao ataque e contra-ataque. Trocação danada, repleta de erros, repleta de quases. Ninguém fez jus à vitória. Não produzimos volume para vencer. Por outro lado, escorreu suor que não merecia a derrota.

Nos noves fora, somamos um ponto. Improvável, até certo ponto. Fizemos no primeiro jogo de outubro toda a pontuação de setembro. Que seja o prenúncio de uma revolução. Outubro é tempo.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: wal

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres