FERJ x Fluminense: a agonia continua (por Matheus Frigols)

ferj

A cada dia que passa fica mais clara a implicância da Ferj com a dupla Fla-Flu e com o Consórcio Maracanã. Essa novela ganha novos capítulos a cada rodada e parece que, dos três citados acima, a Federação escolheu o Fluminense como sua vítima favorita.

A prova da vez é a transferência de Vasco x Botafogo para o Engenhão e depois a volta do clássico ao “Maior do Mundo”.

Qual é a relação do clássico com o Fluminense? Vou explicar.

Rubens Lopes, presidente da Ferj e aliado político de Eurico Miranda, fez valer o regulamento do campeonato, que coloca a decisão do local dos jogos a cargo da entidade e confirmou o clássico entre Flu e Vasco para o Engenhão, fazendo valer a vontade do presidente cruzmaltino de não querer jogar no Maracanã. Com isso, Rubens minimizou o clássico, sem contar com o risco à segurança dos torcedores nos arredores do estádio olímpico, como informado pelo GEPE.

Naquele jogo, o Engenhão funcionou com menos da metade de sua capacidade por ainda estar em obras. Foram disponibilizados exatos 16.374 ingressos, com o público presente de 8.658 e mais de 100 presos pelo show de brigas registradas em vários pontos da cidade, tendo como protagonistas membros de torcidas organizadas dos dois times.

Já no clássico a ser realizado no próximo domingo, entre Botafogo e Vasco, a volta ao Maracanã se dá pelo simples motivo da nota enviada no dia 24/03 pela Ferj abaixo:

“Devido a entraves burocráticos no estádio Nilton Santos (Engenhão), que não atingiu a liberação de no mínimo 25.000 pessoas, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro vem divulgar que a partida Vasco da Gama x Botafogo, válida pela 13ª rodada do Campeonato Carioca 2015, será realizada no Maracanã. O dia (29/03) e o horário (16h) estão mantidos. A partida pelo Estadual Sub-20 será realizada na preliminar dos profissionais”

É no mínimo estranho, não? Se a Federação tem o poder de decidir onde será cada jogo, por que Fluminense x Vasco foi realizado no Engenhão?

Outro ponto. Após as declarações (infelizes) do presidente Peter Siemsen alegando de que o Botafogo recebera dinheiro da Ferj sem prova alguma, Carlos Eduardo, presidente alvinegro, fechou as portas do Engenhão para o Fluminense até uma retratação do mandatário tricolor com a instituição. Ou seja, se houver a necessidade do Flu utilizar o agora estádio Nilton Santos, a Federação não poderia intervir e “usar o regulamento” definindo o local da partida? Por que o Fluminense não pode ter seu direito respeitado e atuar os jogos com seu mando de campo na sua casa, o Maracanã, e o Botafogo tem o direito de decidir quem joga ou não na sua casa?

Nós sabemos a resposta para todas essas perguntas. Só não vou falar mais nada, vai que eu também pego um gancho de 15 jogos.

Abraços,

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: google

#SejasóciodoFlu

1 Comments

  1. Pelo que sei o Botafogo arrendou o Engenhão, ou seja ele administra, o fluminense tem um contrato, que por sinal ainda não apresentou alegando clausula de confiabilidade, ok. por o presidente que é socio de um escritório de advocacia ainda n]ao entrou na justiça

Comentário