Erros imperdoáveis do Flu (por Aloísio Senra)

Tricolores de sangue grená, vamos passar uma borracha no desastre acontecido no último sábado, em que tivemos nosso Marcelo Oliveira com delírios de Abelão, inventando Mateus Norton na lateral-direita tendo Igor Julião no banco, e Marcos Jr. no meio tendo Daniel relacionado entre os reservas. Vamos ignorar tudo o que deu certo pra eles e errado pra nós e seguir em frente, pois se formos analisar friamente o que aconteceu nessa partida, talvez cheguemos à conclusão de que vamos brigar pra não cair e que já fomos longe demais na Sul-Americana. O desânimo é a última coisa com a qual podemos lidar agora, pois ainda há muita estrada adiante. O compromisso contra o Nacional está distante, então foquemos no Brasileirão e no que precisamos fazer daqui pra frente para termos um fim de ano sem sustos. Domingo que vem temos o Galo em nossos domínios, e temos que vencer para manter a média salvadora de uma vitória a cada duas rodadas.

Supondo que vençamos, chegaremos a 40 pontos, faltando apenas sete para a margem que considero segura de verdade. Restarão oito rodadas para tal, o que tornará nossa missão bem mais suave. Os últimos compromissos serão contra Santos (fora), Vasco (casa), Sport (casa), Palmeiras (fora), Ceará (casa), Bahia (fora), Internacional (fora) e América-MG (casa). Fazendo um exercício de “achismo”, penso que o Fluminense tenha plenas condições de vencer o Sport e o Ceará em casa e arrumar um pontinho contra alguma das demais equipes. Empatar o clássico contra o Vasco ou beliscar um ponto contra o Bahia não são prognósticos improváveis. Se perdermos ou empatarmos com o Atlético-MG, contudo, precisaremos garantir mais um ponto talvez contra o Santos, e torna-se mandatório vencer o América-MG em casa na última rodada, considerando que ainda haja algum perigo real de queda a essa altura do campeonato.

Avaliando a reta final, penso que devamos conseguir em torno de quinze pontos se formos muito bem, o que nos deixaria com uma pontuação de 52, ou pelo menos uns nove pontos se formos muito mal e só vencermos as equipes menores em casa. Dessa maneira, faríamos 46 pontos e teríamos grandes chances de não ter problemas com o Z4. É uma pena que nosso elenco seja tão fraco, e nossos dirigentes tão incompetentes, além do azar de perdermos o Pedro, é claro. Esse campeonato está se provando um dos mais fracos tecnicamente à parte dos que estão lá em cima, e teríamos plenas condições de pleitear colocações melhores num cenário mais favorável. O ideal mesmo seria engatar três vitórias seguidas, contra Atlético-MG, Santos e Vasco, dar um “até logo” pro Brasileirão e focar inteiramente na Copa Sul-Americana, mas dada a oscilação do time e a limitação de nossas peças, não podemos contar com algo assim.

Deixarei para analisar nosso adversário de domingo numa próxima coluna, após esta rodada se completar. O Fluminense precisa descansar seus jogadores e treinar, porque vamos enfrentar uma equipe de nível técnico similar à dos molambos. É o momento de não repetir os mesmos erros e substituir de forma lógica: não teremos o Sornoza? Daniel deve ser o titular, não há outro meia no elenco; Léo se machucou ou ficou suspenso? Igor Julião é a terceira opção, então ele é quem deve entrar. Zagueiro por zagueiro, volante por volante, lateral por lateral, atacante por atacante. Estamos em outubro. Não dá mais para ficar fazendo experiências, Marcelo Oliveira. Você deveria treinar esse time em outro esquema, pois fomos engolidos anteontem jogando no 3-5-2. Precisamos de variação, vamos ficar manjados! Corrigir os erros durante essa semana de treinamentos será fulcral para almejarmos os três pontos no domingo. Chega de inventar!

Curtas

– Acredito que ninguém mais aguente o Mateus Norton. Na mesma vibe de Fernando Bob, Maurício e Edinho, agora tem esse rapaz. Nada tenho contra ele, mas o futebol dele não é para o Fluminense.

– É inacreditável que o Calazans não tenha tido a chance de entrar nesse jogo de sábado. Ele seria provavelmente o jogador mais motivado em campo e foi preterido pelo Mateus Alessandro. Eu gostaria de entender o que se passa na cabeça do nosso técnico.

– Aliás, Calazans já provou ser um meia de qualidade em outras oportunidades, e poderia ter entrado para jogar até mesmo ao lado do Daniel. Faltou ousadia, como tem faltado em vários jogos ao Marcelo Oliveira.

– Lamentável o ocorrido na última reunião do Conselho Deliberativo do Fluminense. Lamentável mesmo, de toda sorte.

– E aí, diretoria? Vão esperar até quando para abrirem o check-in para os sócios e para começarem a venda de ingressos para a partida contra o Nacional do Uruguai? Depois não adianta lamentar a baixa presença de público!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

2 Comments

Comentário