Eliminar a liminar (por Lennon Pereira)

LIMINAR

Li um tanto quanto estarrecido a noticia de que uma manobra jurídica havia suspendido o resultado do jogo entre Flamengo e Duque de Caxias. Procurei mais noticias, naveguei pela grande rede e me convenci que tal absurdo era mesmo fato. Alegavam os Rubro negros que, devido ao fato do arbitro da partida ter validado um gol e depois mudado de ideia, antes da partida recomeçada, havia uma tal influencia externa e isso invalidava a partida.

Pois bem, passei a refletir sobre quantas vezes fatos similares ocorreram no futebol. Dei-me conta que não poderia elencar todas sem usar um caderno pautado de no mínimo 80 folhas, de tão comum que é a ocorrência de tal fato

Vemos aí, um claro sinal de duas coisas maléficas no mundo moderno, nessa sociedade pobre de ética e valores:

1 – Vale o interesse econômico acima de todas as coisas. Um campeonato esportivo, que tem seus direitos de transmissão e de alteração de tabela (e também de regulamento, mas quanto a isso há controvérsias interpretativas) vendidos a um determinado conglomerado de comunicações, faz de tudo para defender seus interesses mercadológicos. Ao verem que os dois clubes de maior torcida e apelo fora das semifinais e finais, movem seus batalhões de jornalistas e repórteres numa vã tentativa de quebrar as regras, rasgar leis e assim melhorar seus lucros. Totalmente antiético e antiesportivo. É deprimente, mas como eles não são entidade esportiva e sim uma casa de comércio, até se explica, paciência.

2 – Deplorável é ver uma entidade esportiva, que deveria se valer e se pautar pelo espírito esportivo, onde o importante é sim, competir com dignidade, vencer quando melhor e reconhecer a superioridade alheia numa derrota, tentar se valer de praticas obscuras e rasteiras como a citada anteriormente. Um clube querer usar uma artimanha jurídica, movido pelos gritos da Flapress, que se desespera ao ver seu queridinho fora das decisões, é realmente de envergonhar. Isso vale para qualquer clube que venha a repetir tal fato. Os jogos e disputas valem dentro do campo e faz parte do jogo ganhar e perder. Paciência. Aprender com os erros é fundamental para construir um futuro diferente e melhor! Deprimente, conseguiu ser eliminado duas vezes do segundo turno, mais uma vergonha para sua galeria.

Fica aqui meu protesto e meu conselho. Saber perder é ter dignidade. Usar subterfúgios obscuros, ocultar informações, agir sorrateiramente não são práticas dignas e não merecem minha consideração. Vale sempre o extremo cuidado daqueles de boa fé, pois sim, eles existem, e muitas vezes por isso mesmo podem ser usados por uns e outros, que querem usurpar as glórias, méritos e ideias de outras pessoas.

A mentira cai, os falsos são descobertos, as verdades sempre vêm a tona e a justiça real, e não a dos tribunais duvidosos e tendenciosos, sempre surgirá no horizonte, assim como ao termino de uma noite nasce um novo dia, cheio de esperança e fé.
E por fim, obrigado mais uma vez ao meu amado tricolor, do amor e da fidalguia (e que tal substantivo paute nossos torcedores, dirigentes e atletas), que ao vencer o Bangu em campo, na bola e com total superioridade, jogou terra sobre o bolo fecal tramado por Flapress, Flamengo e FERJ. A vitória do Fluminense deu um suspiro de dignidade a um campeonato tão maltratado e maltrapilho, que nem estádio tem para abrigar os grandes jogos.

Que venha o Volta Redonda, que sejamos superiores dentro de campo, dignamente, e que possamos reeditar as finais de 2012 contra o Alvinegro. E que a vitória esteja do nosso lado.

Aos meus amigos da minha verdadeira casa, o Panorama Tricolor, meu muito obrigado pelo espaço de toda terça.

Termino a crônica de hoje com o espirito aliviado e compartilhando a frase do mais famoso dos homens “quem tiver ouvidos para ouvir, ouça”.

ST, até terça.

Lennon Pereira

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

2 Comments

Comentário