“Ei! Al Capone… Vê se te emenda… já sabem do teu furo, nego, no imposto de renda” (por Antonio Gonzalez)

Excelente! O Fluminense começou o Campeonato Brasileiro de 2017 pisando firme ao derrotar a briosa equipe do Santos. Jogo daqueles que  mantém a gente ligado o tempo todo. Sem ter feito nada excepcional, mas mostrando muitos detalhes do futebol de qualidade que apresentou no começo deste ano, a equipe Tricolor deixou latente que vai deixar a sua marca neste campeonato. É fato que o treinador Abel Braga sabe do material que tem em mãos e, sem essa de ver as coisas somente com negatividade, é preciso ser frio e saber em todo momento o que pode ser feito em prol do Fluminense.

Sobre a partida em si, foi um Fluminense diferente, mais solto, jogando pelos lados do campo, fazendo a bola rodar, priorizando o passe e o jogo coletivo. O 4-1-4-1 que se desfez com a ausência do Gustavo Scarpa, apresentou sinais de recuperação, com o Orejuela mais fixo e o incombustível Wendel, jogando com mais liberdade, permitindo ao se posicionar pelo lado esquerdo do campo, que o Léo tivesse mais liberdade para criar.

Colocar qualquer atuação dos nossos jogadores abaixo do regular é ser deverás injusto, a entrega foi absoluta, assim como as propostas de jogo colocadas sobre o gramado do Maracanã, sempre buscando ser ofensivo: a nossa missão é a de marcar gols.  Mas faz-se necessário ser justo, as atuações do Léo, do Henrique Dourado, do Sornoza e do Wendel, tangenciaram a perfeição.

Como eu divido a disputa do campeonato por fases de pontuação, com os três pontos conquistados no domingo, faltam apenas 43 para superar a 1ª fase.  E sem essa de que isso é pensar pequeno.  Pelo contrário, é planejamento. Se a nossa equipe consegue chegar a essa cifra na 28ª rodada, poderemos, faltando então 10 partidas, sonhar com vôos bem mais altos. Tudo é possível. Inclusive caminhar em direção à  uma vaga na Libertadores.

Apesar da tabela que se nos cabe pela frente nas próximas rodadas, nada é impossível quando falamos de Fluminense.  Por enquanto, vistamos as sandálias da humildade, isentando-nos de qualquer vestígio de favoritismo.

Mudando de assunto, depois de uma semaninha onde os alguns poucos Tricolores estiveram ensandecidos por causa dos problemas financeiros do clube, principalmente depois da publicação da Revista Época (CLIQUE AQUI), faz-se necessário que eu dê a cara, como sempre fiz, faço e farei.  Mesmo enquanto oposição, nunca surfei na onda da desgraça, ao contrário do que hoje fazem os campeões de audiência que ainda não aceitaram ter perdido a última eleição, atirando para todos os lados como marafonas afônicas depois de um beiço de um travesti.

Na boa, é para ficar preocupado, realmente a saúde financeira do Fluminense é péssima, querer tapar o sol com a peneira, nada vai resolver.

Entretanto, acima de tudo tem que se ter calma. Qualquer coisa fora disso é querer apagar incêndio com gasolina aditivada. E é assim que tem gente destilando o ódio pessoal, colocando o Fluminense em segundo, terceiro ou último plano.

Votei no Presidente Pedro Abad, que está fazendo uma magnífica gestão, mesmo tendo que administrá-la em meio a um tsunami financeiro, por questões filosóficas: OS MELHORES SEMPRE JUNTOS DENTRO DO FLUMINENSE. Além de que não estava disposto a permitir que o Fluminense voltasse a ser dirigido pelo retrocesso, menos ainda a inconseqüência mentirosa de quem jogou no lixo o dinheiro do clube com contratações de barangas mil. Além do pagamento de salários astronômicos dentro da administração.

Ora senhores, todo mundo sabe o que eu sinto pelo antigo Presidente Peter Siemsen, nunca escondi o que pensava dele. Sim, fez um belíssimo trabalho para transformar Xerém em grife, teve a coragem de romper a relação com a Unimed (apesar de  que quando em campanha em 2010, jurou amor eterno ao ex Presidente da patrocinadora, Celso Barros, e graças a isso, ganhou a eleição no Fluminense… FATO!  O apoio do ex magnata dos planos de saúde elegeria, então, até um palito de fósforo para o cargo).

O ato trabalhista, timemania, refis, Profut..  foram passos importantes para dar um direcionamento aos passivos existentes.

O CT é essencial para o bom andamento do futebol, apesar de ter sido (em nenhum momento estou questionando a valia e o arrojo do Vice Presidente de Projetos Especiais, Pedro Antonio) construído com um dinheiro caro, por ser na base do reembolso imediato. O erro em si esteve na gestão da obra por parte do Peter, pois o terreno estava nas mãos do Fluminense desde o dia 20/03/2013, apesar de ter sido doado em 2012 como ato da campanha para a reeleição do Eduardo Paes (CLIQUE AQUI). É só ver abaixo as palavras pronunciadas pelo então presidente do clube.

“”É o nome que eu, como presidente, vou dar. É patrocinador? Tudo bem. Mas ele montou um projeto espetacular que tem sido muito bom para a Unimed e Fluminense. Nada mais justo que homenagear aquela que foi principal pessoal na recuperação do clube desde nosso rebaixamento”, disse o presidente do Flu, Peter Siemsen. As obras devem ficar prontas em 2014…”

O Fluminense teve de 2013 a 2015, dois anos para procurar formas baratas para a viabilização da construção do Centro de Treinamento.

Nem o CT ficou pronto em 2014, nem leva, o CT, o nome do Celso Barros. Nunca existiu qualquer planejamento dessa obra por parte do clube e se não fosse a tenacidade do Pedro Antonio, aquele terreno ainda hoje seria um pântano.

Poderíamos colocar a desculpa para os descalabros financeiros nas costas dos beiços tanto do Matte Viton, assim como da Dry Word… Mas isso era previsível… dinheiro muito fácil e sem qualquer sustentação.

Mas não… o problema financeiro do Fluminense não reside nos beiços, nem no alto custo da operação para a construção do CT (repito, isento ao Pedro Antonio, porque foi o único com colhão para encarar o desafio)…

Os únicos responsáveis por esse descalabro financeiro são o ex-Presidente Peter Siemsen e o ex-funcionário, elevado ILEGALMENTE (vide o Estatuto) à condição de Vice-Presidente de Futebol, Mario Bittencourt. Entre eles dois, gastaram, ou melhor, jogaram fora dezenas de milhões de reais, com a contratação de jogadores abaixo de qualquer realidade minimamente aceitável, por valores bem acima do mercado, com contratos quase que infinitos, cheios de gatilhos salariais totalmente inconseqüentes.

O certo, é que um dia a casa iria cair. Uma bomba relógio com efeito retardado para 2017. E isso está aí, não se pode negar.

A outra coisa é a covardia daqueles que escrevem sem o real sentido, sem nenhuma noção da realidade dos fatos. O ódio dos derrotados!

A casa está sendo colocada em ordem, o trabalho é árduo; ficar vociferando merda à custa de likes e de idiotizados de nada ajuda o Fluminense.

Se quer ser oposição, é um direito seu. Da mesma forma que é dever de todo oposicionista ser consciente para com o futuro do Fluminense.

Para quem me lê há algum tempo nesta casa, sabe da minha franqueza. Afirmo categoricamente que nem o Presidente Pedro Abad, nem o Vice Presidente Geral, Cacá Cardoso, nem o Vice de Finanças, Diogo Bueno, sabiam do tamanho real desse buraco.

Qualquer pessoa com dois dedos de frente, se fosse conhecedora da real dimensão do rombo, pensaria um milhão de vezes antes de colocar a cara na reta.

Portanto, qualquer coisa fora disso é chororô de botafoguense virgem.

Mãos à obra e repense o que você quer para o Fluminense. Mas principalmente o que você pode fazer pelo Fluminense.

Papo reto

a) É preciso que o Fluminense reveja o seu conceito com relação aos seus torcedores.  A nossa torcida apresenta sinais evidentes de que está enferma na sua relação com o clube.  A presença de 15 mil pessoas numa final de campeonato e não colocar 10 mil Tricolores no Maracanã, num jogo com um horário alternativo, o das 11 da manhã, com promoção para as mulheres, faz com que seja necessária a mobilização das cabeças pensantes e com tempo de arquibancada do clube;

b) O que faz, ainda, o Gerente Administrativo, Marcos Carvalho, como Gerente Adminsitrativo do Fluminense? Pera aê que eu vou responder: decidir que as bicicletas deixem de entrar pelo estacionamento do clube. Bicicleta boa tem que entrar pela roleta da portaria do clube. Me poupem para tamanha mediocridade;

c) O Flamengo está fazendo um grande gol contra, que pouca gente está percebendo. O clube de REGATAS está dando as costas para o seu povão. Nunca vi tanto branco na torcida dos caras, nunca vi tanta ausência de favela, nunca vi tanta distância para os afrodescendentes. Eles podem estar jogando fora, ao fazer essa opção, todo o trabalho que foi iniciado nos tempos do Ari Barroso, nas ondas dos rádios, o de popularizar o clube dos urubus.  Se aliarmos a isso, o baixíssimo momento do Vasco da Gama, que também é REGATAS, deveria o Fluminense aproveitar e navegar nesse nicho. Fica a dica;

d) Tem blogayro que acha que tem estofo para me sacanear…  Garoto… primeiro aprende a escrever, depois a falar, utilizar a conjugação correta de verbos é essencial… e, por último, peça para que alguém que tenha o pré-primário REVISE TODOS OS TEXTOS que o seu blog publica. Uma vez feito isso, solicite uma senha;

e) O Fluminense precisa urgentemente rever os conceitos que tem com relação às nossas torcidas organizadas. Da mesma forma que as torcidas organizadas do Fluminense têm que se conscientizar que a época dos ingressos acabou, assim como que não existe espaço para tantas divisões nas arquibancadas. Reitero o que venho propondo há tempos, uma única torcida organizada, atrás do gol, de corner a corner. Nesse sentido, o clube tem que colocar as cartas na mesa. Sem medo, mas com representatividade;

f) Como Tricolor, digo não a Edson Passos;

g) Como Tricolor, digo sim à reativação e ampliação do estádio das Laranjeiras. Se na Gávea pode, na Pinheiro Machado também.

As pessoas me perguntam qual vai ser o meu posicionamento com relação à aprovação das contas de 2016 do Fluminense. Para todas eu respondo que sou uma pessoa de grupo, o que for decidido terá o meu voto. Para elas faço a reflexão sobre o Al Capone que não foi cerceado do seu poder por causa da venda ilegal do Whisky e sim por causa do imposto de renda.

Com transparência absoluta cresceremos!

No mais, como sempre alertei, É O FLUMINENSE QUEM PAGA A CONTA!

Que venha o Grêmio!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: ago

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres