É preciso ter serenidade (por Márcio Machado)

A série de quatro jogos fora de casa em dez dias cobrou o preço para esse elenco curto em opções.

No entanto, serenidade é tudo o que precisamos em momentos difíceis como esse de agora.

Percebe-se muito nervosismo nas redes sociais, muitas teses perdidas ao vento e, quando surgem soluções, em geral elas são impraticáveis. Eu mesmo cedi um pouco a esse nervosismo ontem na hora do almoço e me penitencio por isso, mas vamos tentar analisar a sério o que é possível fazer.

Muito se fala na questão financeira como culpada pelos resultados. Acho crueldade com o grupo de jogadores, os quais se vê o esforço dentro do campo mesmo perdendo, além de se recuperarem antes do previsto, até porque dois meses recém-vencidos de direito de imagem é praticamente a média de mercado no Brasil. Por mais que seja desagradável, aqui certamente temos paranoia de certa parte da torcida.

Paranoia essa marcante com a figura do presidente Pedro Abad. Longe de mim querer defender o que realmente é ruim; contudo, situações como a divulgação das fotos dele em momentos de lazer ou cartas abertas ameaçadoras de grupos que já fizeram parte da gestão não ajudam em absolutamente nada. Protestos eu apoio, cobrar uma conduta que preserve e melhore esse elenco na janela é fundamental.

Se tiver de ser sem Abad, que seja, mas que não se iludam os torcedores de rede social: o ‘super-herói’ disfarçado de advogado e o ex-gestor de plano de saúde também teriam muitas dificuldades se assumissem agora. Talvez unidos como estão, ou parecem estar, poderiam fazer melhor, mas sem trazer dinheiro novo os efeitos ficam limitados a uma melhor gestão do futebol, o que não faz milagres, não altera o patamar atual do clube e sequer é algo certo.

Falando em gestão do futebol, tem muita gente querendo rifar o Abel. Jjá discuti até com companheiros aqui do PANORAMA. É certo que a situação do João Carlos, agenciado pelo filho dele, é esquisita, mas a meu ver, a escalação do Fla x Flu, mesmo errada, foi realmente uma escolha tática do treinador, que deveria ter posto alguém com velocidade para contra-atacar. No domingo passado, facilitou um jogo que estava difícil pro Galo ao tirar os dois laterais que são nossas melhores opções de criação de jogadas.

Porém é certo também que o mercado de treinadores continua difícil de nomes de confiança e, salvo a hipótese que tenhamos como tirar um interino da cartola e ele melhorar o time, essa solução é uma verdadeira loteria e esse profissional seria perseguido pela torcida por qualquer resultado ruim. Não vejo caminho pro Fluminense sem o Abel nas próximas temporadas, ao menos até esse mercado de técnicos completar a reformulação pela qual está passando.

Portanto,  o momento é chave para o futuro do time na temporada. Como sempre, é momento de apoiar, ir na quarta-feira, o horário é bom em tempos de violência, buscar esses três pontos que podem fazer a diferença mais à frente contra um Santos em crise – até pior do que nós –  é importante.

Para finalizar, nenhuma vitória impede que se cobre trabalho da diretoria durante a Copa, ou até mesmo a saída dela, para quem queira trabalhar.

O foco tem de ser em resultados.

Saudações Tricolores

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Imagem: m2

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres