É mais que eu esperava (por Paulo Rocha)

Assistir a partida entre os reservas do Fluminense e o Volta Redonda foi um deleite. A fácil vitória de 3 a 0, construída mais uma vez no primeiro tempo, reafirmou mais do que a liderança do grupo na Taça GB (sem sequer empatar ou levar gol, é bom lembrar). Ela fez nascer na torcida tricolor a certeza e a confiança de que temos um elenco capaz de fazer bonito em 2017 – para a tristeza dos “armandos nogueiras” que, antes do início da temporada, nos antecipavam como lanterninha dos grandes.

Como é bom ver Xerém abastecendo tão bem nossa equipe profissional. O desempenho de Marcos Felipe, Reginaldo, Frazan, Calazans e Wendel foi sacanagem! Todos jogaram muito. Lucas Fernandes também cumpriu sua função com excelência até sair machucado e exausto.

Além dos garotos, Renato, Pierre. Marquinho, Marcos Júnior (que não considero mais como um garoto) também deram importante parcela de contribuição para o resultado. Assim como Danielzinho, Maranhão e Osvaldo (sim tricolores, apoiemos também a estes dois últimos). E, finalmente, Richarlison, que, quando está nos seus melhores dias é capaz de decidir jogos. Não devemos esquecer que até Fla-Flu ele já decidiu.

Agora teremos pela frente o Madureira na semifinal. Até pelo que já fizemos (e também pelo que o Flamengo fez com eles) temos a obrigação de vencer e garantir presença na final da Taça Guanabara.

Depois, será clássico na decisão. Iremos a essas batalhas com o que temos de melhor, mas também com a certeza do que temos mais do que esperávamos em termos de material humano. No banco, no campo e à beira deste – Abel, o responsável por isso tudo.

xxxxxxxxxx

Finalmente, conseguimos um fornecedor de material esportivo para substituir a empresa canadense que fez o Fluminense pagar um dos piores micos de sua história. Que a Under Armour nos traga sorte e confeccione uniformes que traduzam – e acima de tudo respeitem – a nossa tradição.

xxxxxxxxxx

O título desta coluna é uma homenagem a Tim Maia, que, apesar de não ter sido tricolor (era torcedor do América) protagonizou uma das mais belas interpretações de todos os tempos do Hino do Fluminense composto por Lamartine Babo. Estaremos sempre morrendo de saudade.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: paroc

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres