Dona Leda, minha mãe (por Wagner Victer)

Minha Dona Leda nasceu vascaína! Seu pai era português, ia ao estádio. Sua irmã, minha tia Zita, era torcedora que escutava todos os jogos e conhecia todos os jogadores. Meu tio Flandrio era conselheiro do Vasco, íntimo do Eurico e Calçada. Ou seja, era uma vascaína de berço.

Quis o destino que seu único filho virasse tricolor e nisso, nesse momento que é um dos mais tristes de minha vida, reflito ainda mais o amor que ela tinha por mim, pois à medida que minha paixão pelo Flu crescia, ela, em cada momento, me fazia aflorar esse sentimento.

Cada detalhe da minha casa, nao só quando morava com ela, mas até depois que saí, tudo tinha a sua mão. Meus lençóis, colchas, fronhas, copos, tudo o que ela via do Fluminense comprava para mim. Se nao tivesse, ela mandava fazer!

Aos poucos e, com nossa vida, ela se tornou uma ardorosa torcedora do Fluminense, pois sabia que minha felicidade era a felicidade dela e isso é a mais simples expressao de AMOR por um filho.

Um dia, em um Fluminense × Botafogo estive com o Fred antes do jogo e falei da paixão que ela tinha por ele. Coloquei-o na linha com ela, prometeu o gol para ela. Não é que o danado fez o gol e depois ela me repetia que o Fred fez o gol para ela?

Minha mãe, mesmo velhinha, muitas vezes foi aos jogos comigo mas, nos últimos anos, mesmo doente, seu prazer era assistir os jogos do Fluminense e me ligar no apito final para gritar “Ganhamos!”. Quando perdíamos, não ligava.

Senti que estava aos poucos perdendo ela quando já não tinha mais forças para levantar e assistir na TV, mas me perguntava o resultado como se não esquecesse.

Sábado passado contra a Chapecoense, não tive forças de ir ao jogo pois sabia que nao teria ela ali por trás naquela torcida pelo Flu e por mim.

Ontem, no dia que me despedi dela, quis o destino justamente ser Fluminense e Vasco. Amigos fizeram uma homenagem a ela e a mim fazendo o minuto de silencio em homenagem a ela. Estava dopado, meu filho e amigos me ligaram e comecei a chorar e refletir nossa relaçao de amor entorno desse gesto dela em relação ao Fluminense.

Confesso que pela primeira vez na minha vida nao torci pelo Fluminense. O empate do time de minha mãe (Vasco) com o outro time dela que passou a torcer (Flu) era algo que marcava bem meu coraçao. Não suportaria também acabar o jogo vencendo sem ver o número dela no meu celular dizendo “Ganhamos, viva o Fluminense!”.

Continuo Fluminense, mas nao tera mais uma vitória do meu time que eu nao sinta uma tristeza e uma saudade de rasgar o coração de nao escutar a voz dessa torcedora do Fluminense, que mais amei e admirei.

Fiz esse texto com muita tristeza, chorando, mas como uma declaração pública de amor, orgulho, devoção, agradecimento e saudade da minha eterna Dona Leda, minha mãe.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

10 Comments

  1. Bela declaração de amor. Coloquei o nome de D. Leda na prece do Dr. Bezerra de Menezes. A certeza de que a vida continua conforta o meu coração quando um ente querido se vai. Um dia tds nós estaremos juntos novamente! Que sua mãe possa ser conduzida para uma nova etapa da vida e que vc seja amparado com muitas luzes de amor e paz!

  2. Caro Victer, gostei muito da sua declaração pública de amor por quem sempre te amou a ponto de negar a si própria por sua felicidade. Minha mãe também é assim. Essa é a essência do amar, amar sem possuir, amar querendo que cresça e realize seus próprios sonhos. Quer fazê-la feliz onde estiver, basta ser feliz e viver intensamente que era o que ela mais queria de você. Agora o tempo é de chorar mesmo, não tem jeito, pois a ausência será duramente sentida. Estamos juntos. Abraço forte deste velho…

  3. GRANDE VICTER. Mantenha o foco no seu luto, chore tudo e sempre que precisar. Sua mãe será sempre seu ídolo, sua heroína e acredita que ela nunca lhe faltará. Força, amigo tricolor.

  4. Dr. Wagner,

    Meus sentimentos , nesta hora não temos palavras para acalentar ninguém principalmente a um filho.

    Linda declaração para sua D. Leda.(sua querida e amada mãe. )

  5. Victer , a saudade de sua mãe vai ficar e cada momento de sua vida a trará de volta ! Meu pai que faleceu há dois anos também era um belo tricolor e me lembro todos os dias , de nossas comemorações e de nossos choros por causa deste nosso time , assim
    como de todo o nosso dia a dia ! Amor , carinho , dedicação ! Você foi um filho que deu tudo isso a
    mãe e foi recíproco ! Uma vida assim fica para sempre ! Deus a recebeu com muito amor ! Rezo por ela

  6. Meus sinceros sentimentos.
    Pense que ela estará para sempre cuidando de vc e da sua família. Força e muita paz para suportar toda essa dor.
    Um forte abraço.

  7. Tive oportunidade de conhecer Dona Leda aos cuidados carinhoso do Wagner Victer. A partida é sempre um momento tristeza, mas sabemos que um dia chegará para todos! A grande diferença no momento de dor é saber que demos todo o amor e atenção possível quando estávamos juntos. Sou testemunha que o Wagner fez o melhor. Que Deus conforte o coração da família.

  8. Caro Victer ,conheço a família à pouco tempo mas o suficiente pra perceber seu carinho e preocupação com sua mãezinha, sei o quanto dói, mas te desejo a partir de agora, força pra seguir em frente, coragem e sabedoria para por em prática
    tudo o que Ela te ensinou . Força!

  9. Prezado Dr. Victer.
    Belo e profundo texto sobre sua mãe. Que Deus conforte seu coração é a minha oração.

  10. Que linda homenagem!
    Conheci Dona Leda no meu primeiro emprego na Companhia Federal de Fundição, onde ela era a Engenheira Quimica da Aréa de Fundição. Muito Amiga da Minha Mãe Vera Lúcia. Todo ano eu ligava para ela no dia do seu aniversário – 04 de Janeiro.
    Estou muito triste e Deus a receba com todo Carinho, pois Dona Leda era conhecida por sua gentileza, pelo seu carinho com os colegas de trabalho. Sempre pronta a ajudar a quem quer que fosse, desde os funcionários da Fábrica até a…

Comments are closed.