De volta para o futuro (por Rods)

De volta para o futuro

O ano era 1985. O jovem Marty McFly participa sem querer de um experimento de viagem no tempo, conduzido pelo seu excêntrico amigo Doc Brown, e acaba voltando à época na qual seus pais se conheceram. Entre descobertas e confusões, quase compromete a própria existência, mas consegue chegar a um final feliz. De tanto sucesso que o filme fez, foram produzidas duas continuações, desenho animado e infindáveis brincadeiras – especialmente nas redes sociais – com as datas das viagens, com as previsões e os produtos futurísticos (que são muito populares, mesmo que não existam).

Se há uma lição que a franquia poderia passar é que viajar no tempo pode ser bom, mas também pode ser ruim.

O ano era 2004. Um lateral direito já bastante rodado troca o São Paulo para o Fluminense. Seu nome é Leonardo Moura. Suas boas atuações com rápidas subidas ao ataque conquistam a torcida tricolor rapidamente. Jogou com Roger (Maradoninha), Ramon, Edmundo e Romário. Um time com um belíssimo potencial, que poderia ter deixado sua marca na história do Flu e do futebol brasileiro. Mas tamanha era a bagunça, que não produziu nada demais. Ainda assim, a passagem do Léo Moura pelas Laranjeiras foi boa, apesar de rápida. Isso há 11 anos.

O ano era 2009. O Figueirense terminou rebaixado na edição anterior do Brasileirão, mas o jovem Marquinho de 22 anos conseguiu se destacar, chamando atenção de vários times grandes. Optou pelo Fluminense e acabou se tornando um dos maiores ícones do aclamado Time de Guerreiros. No decorrer daquele ano, não conseguiu se firmar como titular, mas era o indiscutível 12º jogador. Coube a ele fazer o gol tricolor no empate fora de casa, em um a um, contra o Coritiba, que decretou a permanência do Flu na primeira divisão. Chamou atenção da Europa e seguiu seu caminho. Isso há seis anos.

O ano era 2013. Flamengo e Fluminense não foram bem. Mesmo com boa parte do time tetracampeão, terminamos na zona de rebaixamento. Mas o clube da Gávea fez uma tremenda lambança (os detalhes você já conhece bem) e se colocou no nosso lugar. Antes que o pior (para eles) acontecesse, armaram tenebrosas transações para fazer a Portuguesa “morrer” pela “causa”. A habilidade que nos faltou em campo, sobrou nos tribunais e comprovamos nossa inocência no imbróglio. Ainda assim, time e torcida foram achincalhados e agredidos por meses. Coube a nós do Panorama e a nossos iguais da mídia segmentada e extraoficial, a defesa tricolor. Isso há quase dois anos.

Chegamos (ou voltamos?) a junho de 2015. O Fluminense quer trazer Léo Moura de volta dos Estados Unidos, que trazer Marquinho de volta do mundo árabe e vê seu nome envolvido novamente no Lusagate.

Sobre o Léo Moura: apesar de sofrermos com nossos laterais, será que um jogador de 36 anos é a solução? A lateral é a posição que mais requer preparo físico. Mesmo que ele aceite receber pouco, mesmo que, apesar de molambo, seja um tremendo profissional, não é possível que não exista no mercado um jogador mais novo que se encaixa na nossa realidade e necessidades. Alguém para nós investirmos.

Sobre o Marquinho: aí entramos na história do “se”. Afinal, alguém faz ideia de quem é o Marquinho de hoje? Porém, se ele trouxer ao menos o mesmo espírito de antes, chega pra jogar de titular. Poderia tanto resolver nosso problema na lateral esquerda quanto jogar na posição do Wagner. Ainda com 28 anos, tem muita lenha pra queimar. Segundo a ESPN, está perto de voltar.

Sobre Ilídio Lico: o que esperar de um ex-presidente da Portuguesa que foi deposto por incompetência? Para mim, é bem óbvio que essa entrevista foi encomendada. Falou o que mandaram falar. Depois tentou colocar panos quentes, mas a palavra já dita, nunca volta. Isso também fazia parte do pacote. Então pergunto: por quê? Por que isso agora? Será porque estamos cada vez mais perto de escancarar tudo? Ameaçar processar agora nem tem o mesmo peso de antes. Uma coletiva de refutação enérgica e bem argumentada valeria mais.

Bem, como eu coloquei acima, se há uma lição que a franquia “De Volta Para o Futuro” poderia passar é que viajar no tempo pode ser bom, mas também pode ser ruim. Cabe ao viajante saber a diferença entre um e outro.

Tem alguém aí, Mcfly?

ST!

Panorama Tricolor

@Panoramatri @Rods_C

Imagem: divulgação

6 Comments

  1. Ei Rods, se Léo Moura e Marquinho serão bons reforços só o “tempo” vai responder! rs Magno Alves já voltou e estou gostando, mesmo com o episódio da expulsão o saldo é positivo. Tendo no time um lateral que sabe cruzar, Fred fará muito mais gols. Contra o Sport foram muitos cruzamentos sem direção e tem sido assim nos últimos anos não importando o lateral em campo. Se me lembro bem, Mariano foi o último que cruzava com qualidade jogando pelo Flu.

    S.T

    1. Salve, Vicente!

      Olha, não sei não. Realmente, Léo Moura hoje não em empolga nem um pouco. Se ele tivesse capacidade criativa para comandar o meio-campo, talvez…

      Sobre Marquinho, sigo minha opinião: se chegar ao menos com o espírito de 2009, veste camisa de titular.

      O tal Breno, quando jogou, após um primeiro tempo nervoso, fez o cruzamento para o gol do Resolve. Acho que deveríamos investir nele e buscar opções para as laterais que não sejam ex-jogadores em atividade.

      Abraço e ST!

    1. Sempre, Carlos!

      O lance é passar por cima desses caras e seguir com a esperança de um dia colocarem tudo isos em pratos limpos, doa a quem doer.

      Abraço e ST!

  2. Tudo bem, Rods?
    Na verdade Marquinho ainda foi fundamental no título do tricampeonato do BR em 2010. Ele deixou o Fluminense no início de 2012.
    ST!!

    1. Tudo bem, Nelson! E contigo?

      Talvez eu não tenha expressado certo, mas é que a chegada dele foi em 2009 e é lembrado pelo gol no Couto Pereira. Por isso acabei não colocando que ele jogou até o fim de 2011 no Flu.

      Muito obrigado e um abraço!

      ST!

Comments are closed.